Compra

Apartamento na planta: confira tudo o que você precisa saber para comprar

Modalidade apresenta vantagens na forma de pagamento, mas tempo de espera pode dificultar os planos de quem adquire

Por:Breno Damascena 19/03/2023 6 minutos de leitura
apartamento-na-planta
Especialistas recomendam pesquisar o histórico da construtora antes de fechar negócio/ Crédito: Getty Images

Publicidade

Comprar o apartamento na planta é a solução ideal para quem quer gastar menos e não tem pressa de se mudar. A popularidade desta modalidade de venda pode ser notada pelos sons de máquinas trabalhando em canteiros de obras espalhados por todos os cantos das grandes metrópoles. Se está pensando em comprar um imóvel nessas condições, confira o que você precisa saber antes de tomar a decisão. 

O que é o apartamento na planta?

Trata-se daquele imóvel que ainda está em fase de planejamento ou de construção. Ou seja, ele não pode ser utilizado como moradia de forma imediata. Na prática, quando uma pessoa compra um apartamento na planta, ela está fazendo um investimento que pode ser de curto, médio ou longo prazo. 

Como existe esse hiato entre a compra do imóvel e a entrega das chaves, é comum que as condições de preço, pagamento e financiamento sejam melhores do que para apartamentos prontos. “Você consegue pagar prestações ao longo da execução da obra, diminuindo seu saldo devedor e, consequentemente, o valor financiado com o banco quando o imóvel ficar pronto”, explica Claudio Hermolin, Country Manager da eXp Brasil. 

Vantagens de comprar apartamento na planta

  1. Forma de pagamento

O especialista argumenta que as condições de pagamento diferenciadas são justamente um dos principais diferenciais para quem opta pela compra de um imóvel na planta. “Se você adquirir um imóvel pronto, precisa ter condição de pagar à vista ou de conseguir o financiamento imediatamente.”

Publicidade

“O imóvel na planta permite que você melhore a sua capacidade de renda. E tem mais tempo para o caso de ter valores a receber, como bônus ou herança, por exemplo, que te ajudem a pagar o imóvel”,  compara.

  1. Menos riscos 

Por se tratar de um apartamento totalmente novo, a probabilidade de você precisar realizar muitos reparos ou reformas significativas após a compra são bem menores do que quando se trata de um apartamento usado. Desde que a negociação seja realizada, é claro, com uma incorporadora confiável. 

  1. Planejamento

O tempo de espera até receber as chaves do apartamento pode ser utilizado para planejar a mudança. Isso vai desde a compra dos móveis até o estresse menor de encontrar uma empresa para realizar a mudança. 

Além disso, caso você more de aluguel, saber quando e como será a mudança ajuda na negociação com a proprietária do imóvel atual. 

Publicidade

  1. Personalização

O apartamento novo, quando é entregue, não possui nenhuma marca do antigo morador. Isso vai te ajudar a dar uma cara mais particular ao imóvel ou mesmo contratar um profissional de decoração para ajudar na personalização e ambientação do seu novo lar. 

  1. Investimento 

Por conta dos pontos levantados acima, apartamentos na planta tendem a custar menos do que os imóveis já prontos. Ou seja, há uma chance significativa de ter uma valorização mais lucrativa do imóvel quando ele for entregue. 

Dicas para não errar ao comprar apartamento na planta

  1. Procure uma construtora com boa reputação

Verifique se a empresa tem certificados de qualidade (ISO) e se há reclamações no Procon ou no Reclame Aqui. Olhar os comentários nas redes sociais também é válido. Busque informações sobre os empreendimentos já entregues e descubra se cumpre o prazo e demais condições acordadas. 

“Veja se a construtora tem um histórico de entregas no prazo e se teve muitas reclamações na comparação de qualidade do que foi oferecido na planta e o que foi entregue, de fato”, sugere Hermolin. 

Publicidade

Claudio Hermolin explica que o tempo de entrega depende do nível de complexidade do empreendimento e seu tamanho/ Crédito: Divulgação

Ele pontua a importância de verificar se o apartamento que você está adquirindo tem o projeto aprovado e financiamento ativo. “Se o empreendimento tiver um seguro, você tem uma proteção a mais caso o imóvel não seja entregue ou a construtora quebre”, acrescenta. 

Os moradores dos apartamentos da construtora são uma boa fonte de consulta, já que os problemas apresentados em uma obra podem se repetir em outras. Não complete a transação antes de sanar todas as dúvidas.

  1. Fique de olho na obra

Gaste a sola do sapato antes de fechar negócio. Visite a obra do apartamento na planta que pretende comprar e não só o estande de venda. Aproveite para observar o entorno, conhecer a vizinhança, entender o comportamento do trânsito e o acesso ao transporte público. 

Verifique como é o local em dias de chuva para saber se há problemas com enchentes e inundações. E, mesmo depois de assinar o contrato, continue visitando o local para acompanhar a evolução. Não se contente apenas com as informações do contrato.

Publicidade

  1. Estude bem a maquete

Tenha em mente que ela é a representação do empreendimento. É pela maquete que você verifica se o apartamento receberá sol, por exemplo. Observe também qual será a vista do seu novo lar.

Essas escolhas influenciam no preço do apartamento e também na valorização, em caso de revenda.

  1. Tenha atenção aos documentos

O registro do imóvel na Prefeitura e o memorial descritivo da obra são documentos que você deve pedir para ver antes mesmo de estreitar a conversa com o corretor. No memorial está a lista dos materiais e equipamentos a serem utilizados na obra, como revestimentos, pias, metais, elevadores etc.

Não confie apenas no que seus olhos veem nos apartamentos decorados.

Publicidade

  1. Programe-se para os gastos

É preciso redobrar a atenção para a parte financeira ao comprar um apartamento na planta. Além do valor da parcela do imóvel, você deve se programar para pagar as prestações intermediárias (que costumam ser mensalidades mais caras) e reservar 3% do valor do imóvel para as despesas de cartório e para o Imposto de Transmissão de Bens Imóveis (ITBI).

Lembre-se de que, durante o período da construção, todas as parcelas não pagas sofrerão correção do Índice Nacional da Construção Civil (INCC). O ideal é quitar o imóvel na conclusão da obra. Em caso de financiamento, se usar o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) após a entrega das chaves, é possível diminuir o valor a ser financiado e, com isso, o preço total do imóvel também cai.

Sinais de que você pode estar fazendo um mal negócio

Se mesmo seguindo essas dicas, você não sabe ainda se fecha ou não a compra do imóvel, Hermolin sugere ficar de olho em aspectos como histórico de prazo de entrega da empresa e velocidade de venda dos apartamentos. 

“É importante entender porque essas unidades não estão sendo vendidas, se for o caso. Seja porque o preço está fora do padrão do mercado, seja porque a localização não é tão atrativa ou se tem alguma questão que você deveria descobrir para entender melhor sobre aquele produto”, recomenda.

Publicidade

NEWSLETTER
IMÓVEIS

Inscreva-se e receba notícias atualizadas do mercado de imóveis

Notícias relacionadas

Imagem destacada

Mercado imobiliário aponta melhora nas vendas e fala em retomada em ‘V’

2 minutos de leitura
Imagem destacada

PL do Senado muda regras de condomínios durante quarentena

3 minutos de leitura
Imagem destacada

Copom anuncia taxa Selic a 10,75%, voltando ao patamar de dois dígitos

4 minutos de leitura
Imagem destacada

Cidade Líder: em franco crescimento e desenvolvimento

3 minutos de leitura