Indicadores Estadão Imóveis
FIPEZAP: 
0.43%
ICON: 
0.16%
IGP-M: 
0.64%
INCC: 
0.86%
IPCA: 
0.89%
PMI: 
23.0%
IMÓVEIS

Buscando sugestões para:


Galeria Estadão Imóveis (ver todos)

Conheça os empreendimentos que se destacaram em nossa Galeria. Desfrute oportunidades imperdíveis!
Widget DR. Lava Tudo
SOLUÇÕES DE LIMPEZA HIGIENIZAÇÃO DE SOFÁS, TAPETES E ESTOFADOS EM GERAL,

aprovadas por mais de
500.000 clientes

1 - Selecionar itens
1 - Selecionar itens
Primeiro você seleciona os itens que deseja realizar a higienização.
2 - Agendar
2 - Agendar
Em seguida, entraremos em contato para confirmar o agendamento
3 - Relaxar
3 - Relaxar
Com nossas soluções de limpeza, viva a melhor versão de sua casa!

Personalize sua navegação

Escolha os assuntos do seu interesse

Personalize sua navegação

Escolha os assuntos do seu interesse

Com quarta alta consecutiva e aumento de 0,57% no último mês, preço do aluguel acelera em outubro
IGP-M, a inflação do aluguel, fica em 0,02% em novembro, abaixo do esperado pelo mercado
IGP-M sobe 0,64% em outubro e acumula alta de 21,73% em 12 meses
IGP-M cai 0,64% em setembro e alta em 12 meses fica abaixo de 30% pela 1ª vez desde fevereiro
Quanto custa morar em São Paulo?
Estancorp cria marca de 'moradia por assinatura' para cliente que busca por praticidade
Construtoras mudam forma de se relacionar com vizinhos e revitalizam espaços públicos
No coração de Paris, uma floresta vertical
Trisul consegue crédito de R$ 60 mi com juro reduzido para ‘imóvel verde’
Megaprojetos oferecem conexão com a natureza
Casas sustentáveis: o que mudar desde a construção até a mobília
Com 'custo verde', Califórnia vai pagar caro para deixar novos edifícios mais ecológicos
Casas de madeira: Tenda lança projeto-piloto e quer ter 10 mil unidades em 5 anos
Casa Verde e Amarela: Governo anuncia redução de juros e ampliação do valor dos imóveis
Plano & Plano reduz exposição ao Casa Verde e Amarela e volta ao médio padrão
Com Casa Verde Amarela parado, Bolsonaro anuncia subsídios em linha para policiais
Conselho do FGTS aprova aumento no preço de imóveis do Casa Verde e Amarela
Um ano depois, programa de habitação de Bolsonaro entrega menos moradias e zero reformas
Mini-terrenos: potencial de construção fora do olhar das grandes construtoras
MRV dá vida à ‘Amazon da casa própria, seu marketplace de produtos para o lar
Apesar dos seguidos aumentos nos juros, mercado está otimista
Como ficam os investimentos em imóveis com a alta da taxa básica de juros?
Vale a pena financiar um imóvel com a alta dos juros?
Como se preparar para sair do aluguel e comprar a casa própria
Redação, O Estado de S.Paulo 25 de novembro de 2021 | 12h25 Atualizado 25 de novembro de 2021 | 14h39 BRASÍLIA - O governo anunciou nesta quinta-feira, 25, um projeto de lei para instituir o Novo Marco de Garantias, com o objetivo de baratear os empréstimos e financiamentos. Uma das novidades é permitir que o mesmo imóvel (casa ou apartamento, por exemplo) possa ser usado como garantia em mais de uma operação de crédito, seja no mesmo banco ou em instituições diferentes. O presidente Jair Bolsonaro participou de cerimônia no Palácio do Planalto, ao lado do ministro da Economia, Paulo Guedes, e do presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto. LEIA TAMBÉM Apesar dos seguidos aumentos nos juros, mercado está otimista Apesar dos seguidos aumentos nos juros, mercado está otimista A possibilidade de uso de um mesmo imóvel como garantia de mais de uma operação de crédito será viável por meio da extensão da alienação fiduciária ou via instituições gestoras de garantias, as IGGs. Segundo explicação dada em entrevista coletiva à imprensa pelo subsecretário de Política Microeconômica e Financiamento da Infraestrutura, Emmanuel Sousa de Abreu, a extensão da alienação fiduciária valerá em operações realizadas num mesmo banco. A alienação fiduciária é justamente quando há a concessão do imóvel como garantia nas operações de crédito. O objetivo do texto é "dirimir controvérsias jurídicas e, assim, minimizar a probabilidade de discussões judiciais no futuro". Ou seja, deve ficar mais fácil para os bancos pegar os bens dados como garantia nas operações de crédito. Vista de São Paulo / Imóveis Vista da cidade de São Paulo; projeto permite que um mesmo imóvel (casa ou apartamento, por exemplo) possa ser usado como garantia em mais de uma operação de crédito. Foto: Felipe Rau/Estadão -14/7/2021 Na segunda alternativa, a garantia é administrada por alguma IGG, que oferecerá ao tomador de empréstimo uma lista de instituições financeiras credenciadas para oferecer crédito. “Qualquer tipo de garantia pode ser cursado no IGG”, comentou Abreu, citando entre as possibilidades garantias que vão de imóveis e créditos a receber a celular, maquinário de fábricas e estoques, além de garantias concedidas por terceiros como complemento da garantia. Com as IGGs, as garantias dadas ainda poderão ser fracionadas, permitindo um uso maior delas nas operações de crédito. O melhor uso das garantias no cenário de retomada econômica pós-pandemia é considerado um catalisador das operações de crédito para quem tem patrimônio (lastro) na busca de financiamentos mais baratos. A proposta é aumentar a eficiência do uso dessas garantias, trazendo maior competitividade ao segmento, como ocorre em outros países. A ideia é permitir que máquinas, estoques de produtos finalizados e até mesmo matérias-primas adquiridas pelas firmas possam ser empenhadas em novos financiamentos. A estimativa do grupo é de que as mudanças possam destravar até R$ 600 bilhões em crédito ao longo dos próximos anos, com a criação de novos produtos financeiros não apenas pelos grandes bancos, mas também pelo próprio setor produtivo. Com a proposta, o comerciante poderá dar em garantia todo seu estoque de uma só vez, sem a necessidade de descrever nenhum bem. A garantia automaticamente deixa de incidir sobre o estoque vendido e passa a incidir sobre o dinheiro da venda e sobre os bens de reposição, sem afetar a operação do comércio. O projeto também garante a conservação das garantias mesmo após a transformação dos bens. Por exemplo, uma indústria poderá usar o seu estoque em lã para garantir um empréstimo com um banco e o estoque em botões para garantir a dívida com outra instituição. Quando esses materiais forem usados para fabricar uma malha, os bancos passam a compartilhar proporcionalmente a garantia com base no novo produto. A reforma do sistema também abrirá um leque maior de modalidades de execução dessas garantias, ficando a critério do devedor e do credor escolher a melhor forma de levar o bem ao mercado. Outra forma de execução que passa a existir é a apropriação direta, que faz sentido quando a operação dentro da cadeia produtiva é garantida por um estoque de materiais. “Estamos devolvendo ao dono da garantia o seu direito de usá-la. Hoje, você vai ao banco com uma casa de R$ 1 milhão e pega R$ 100 mil emprestado, a casa toda fica para o banco. Está errado. Que tal pensar em uma empresa? Quantos empresários estão precisando de crédito mas não conseguem pegar por não terem garantia?”, afirmou o secretário de Política Econômica do Ministério da Economia, Adolfo Sachsida. “O novo mercado de garantia torna o crédito mais barato para todos os empresários brasileiros, principalmente para os pequenos.” Como exemplo, o secretário citou a importância de ter permitido usar o saque-aniversário do FGTS como garantia para novos empréstimos. Segundo ele, mais de 16 milhões de trabalhadores optaram pela modalidade e movimentam um mercado de R$ 20 bilhões de crédito. Ele afirmou que, com a garantia do FGTS, o empréstimo aos trabalhadores da iniciativa privada é mais barato que o consignado oferecido aos servidores públicos. “Estamos democratizando o acesso à garantia. Esse mercado de garantias vai valer 10 vezes o mercado de alienação fiduciária”, afirmou. O funcionamento das instituições gestoras de garantia será regulamentado pelo Conselho Monetário Nacional (CMN)/Crédito: Getty Images
Governo vai permitir que um mesmo imóvel seja usado em mais de uma operação de crédito

Projeto de lei para instituir o Novo Marco de Garantias tem o objetivo de baratear empréstimos e financiamentos

Com quarta alta consecutiva e aumento de 0,57% no último mês, preço do aluguel acelera em outubro
Bisneta preserva casa centenária de imigrante italiano em São Paulo
Governo vai permitir que um mesmo imóvel seja usado em mais de uma operação de crédito
Projeto de boulevard prevê mercado de orgânicos e 'traffic calming’ na região da Avenida Paulista
Capela que 'flutuava' a 31 m de altura reabre em megaempreendimento de SP
Mercado imobiliário de alto padrão tem saldo positivo em 2021
Alvarez & Marsal lança fundo de R$ 50 milhões para startups do ramo imobiliário
Mais rentabilidade: fundos imobiliários de papel podem ser a opção
XPLG11: conheça mais sobre esse Fundo Imobiliário
Gestora Jive procura comprador para a incorporadora Viver
Altre, do Votorantim, paga R$ 200 mi na 2ª aquisição de prédio corporativo
Aumento da inflação e da taxa de juros causam fuga dos FIIs
Empresária comanda fabricante de materiais de construção que deve faturar R$ 1 bi pela 1ª vez
Mansão de 'Casa Gucci' está à venda por 990 mil euros na Itália
FILI 2021 reúne especialistas do mercado para debater futuro do setor
Para competir com Loft e QuintoAndar, Arbo e Superlógica anunciam fusão
Risco climático acelera aposta de investidores em edifícios cada vez mais ‘verdes’
Apesar dos seguidos aumentos nos juros, mercado está otimista
Logo Top Imobiliário

Prêmio Top Imobiliário 2021

Uma parceria entre o jornal O Estado de S. Paulo e a Embraesp, reconhecendo incorporadores, construtores e vendedores mais ativos na Região Metropolitana de São Paulo desde 1993.

Assine nossa newsletter e receba por e-mail as principais notícias e dicas.
Fique tranquilo, não enviamos SPAM.
Assine nossa newsletter e receba por e-mail as principais notícias e dicas.
Fique tranquilo, não enviamos SPAM.
Quero me cadastrar para receber informações relevantes por e-mail. Fique tranquilo, não fazemos SPAM.