Voltar
IMÓVEIS

Buscando sugestões para:


Página inicial / Compra / Como garimpar boas casas para comprar em São Paulo

Como garimpar boas casas para comprar em São Paulo

Profissionais apontam duas ferramentas para fazer bons negócios, explicam o que deve ser observado e listam os bairros mais valorizados


Da Redação

Há 6 dias - 3 minutos de leitura


A busca por meio de uma imobiliária ou um corretor de imóveis credenciado facilitar o processo/ Foto: Getty Images
Assine nossa newsletter e receba por e-mail as principais notícias e dicas.
Fique tranquilo, não enviamos SPAM.
Quero me cadastrar para receber informações relevantes por e-mail. Fique tranquilo, não fazemos SPAM.

São Paulo é a cidade mais populosa do Brasil, com 12,3 milhões de habitantes, além de ter 1.521,110 quilômetros quadrados (km²) de área territorial, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Com tanto espaço e com tanta gente, é necessário garimpar bastante antes de encontrar casas para comprar em São Paulo.

O corretor de imóveis e planejador financeiro Luis Furtado explica que o perfil do comprador é o que define muitas vezes o que é um bom investimento. “Para o perfil de baixa renda, que na maioria das vezes busca uma moradia, a principal preocupação é dada em cima do valor despendido nas mensalidades a pagar. Como as instituições financeiras aceitam financiamento de até 80% do valor e limitam a usar apenas 30% da renda do comprador, as ofertas ficam bem limitadas”, analisa.

“Sobre o perfil de alta renda, onde o foco é em boa parte investimento, o cenário muda para a análise da rentabilidade na aquisição da propriedade. Os principais sinais na aplicação do capital são avaliar qual a porcentagem de rentabilidade sobre o valor nominal investido e qual prazo para realização dessa rentabilidade. Para locação, a rentabilidade mais almejada é 1% ao mês. Porém, a média do mercado gira entre 0,5% a 0,8%. Salve os casos que têm reajustes por meio de índices como IGP-M ou IPCA”, completa.

De acordo com Furtado, há duas maneiras principais para ter sucesso no processo de garimpo e compra de um ótimo empreendimento. A primeira e mais fácil é a busca por meio de uma imobiliária ou um corretor de imóveis credenciado. A segunda forma, trata-se do uso de ferramentas de tecnologia da informação, como sites, buscadores, portais, classificados online, redes sociais, entre outros. “A busca nessas ferramentas acaba por direcionar o comprador diretamente a um proprietário ou direcionar-se a uma imobiliária e corretores. É sempre importante destacar que uma boa transação necessita de um bom intermediador”, orienta.

Locais de mais interesse

O gestor imobiliário e economista Ricardo Paulo ressalta que algumas regiões de São Paulo são mais desejadas pela população na compra de uma casa. “As mais desejadas são muito conhecidas por todos os cidadãos: Ibirapuera, Jardim Europa, Jardim América, Jardim Paulista, Vila Nova Conceição, Moema, Itaim Bibi, Vila Olímpia, Higienópolis, Cidade Monções, Alto de Pinheiros, Perdizes, Pacaembu”, lista o profissional.

“Todos estes nomes são de regiões consideradas nobres e de bom valor comercial para moradias de quaisquer categorias. Existem também localidades mais afastadas do grande centro, porém são pontos mais isolados com perfis de baixa renda ou altíssima renda que fogem da média do mercado”, completa Ricardo.

Cuidados na negociação

“Para imóveis em construção, é necessário observar qual o valor final. Como durante a construção ocorrem algumas correções como INCC e IGP-M mais uma taxa fixa por mês, o valor pode ficar discrepante após a entrega das chaves. Vale saber se o padrão construtivo é condizente com a localização que se apresenta o empreendimento”, recomenda Ricardo.

“Para espaços prontos, é essencial considerar a origem do patrimônio (leilão, particular, herança), as condições da unidade (bom estado de conservação), padrão construtivo (acabamentos, decoração, jardinagem) e instalações (elétrica e hidráulica). Após isso, verificar toda a documentação de origem do bem, para assim partir para a negociação e aquisição. Buscar a transparência na negociação também é uma peça-chave”, conclui.

AVALIAR ESSE ARTIGO
Você precisa estar logado para comentar.
Faça o login


Notícias relacionadas