Marie Brandão

Marie Brandão

Ver mais especialistas
Artigos

Jovens profissionais e consumidores estão redefinindo o mercado imobiliário

Marie Brandão é fundadora e CEO da Stratégie Inteligência e Gestão Imobiliária

Por:Marie Brandão 23/03/2024 3 minutos de leitura
jovens-mercado-imobiliario
“A sustentabilidade ambiental deixou de ser um bônus para se tornar a base de qualquer projeto de construção”/ Crédito: Big Shot Theory/AdobeStock

Publicidade

A indústria da construção civil se encontra em um momento decisivo de autoanálise e reformulação. Pesquisas da SindusCon-SP revelam uma realidade cada vez mais presente: uma geração jovem de profissionais e consumidores com novas prioridades que está redefinindo as normas e expectativas do mercado imobiliário. A mensagem é inequívoca: ou as empresas se adaptam às demandas desse novo público ou se tornar obsoletas.

O termômetro desse novo tempo é a adoção e integração dos princípios ESG (Environmental, Social, and Governance), que transcenderam o status de meros adjetivos corporativos para se tornarem verdadeiros pilares de operação. O impacto ambiental, o compromisso social e a transparência governamental não são mais diferenciais, mas, sim, requisitos mínimos para uma atuação competitiva e consciente.

A sustentabilidade ambiental deixou de ser um bônus para se tornar a base de qualquer projeto de construção. As novas gerações não somente solicitam, mas esperam que as edificações sejam projetadas com consciência ecológica, desde a concepção até a execução. Iniciativas como edifícios com zero emissões líquidas de carbono, aproveitamento de águas pluviais e uso de materiais reciclados e sustentáveis são, agora, a norma, não a exceção.

No aspecto social, as empresas do setor são chamadas a fazer mais do que simplesmente erguer estruturas. Elas são responsáveis por construir comunidades que apoiam o crescimento econômico, promovem a inclusão e oferecem ambientes seguros e acessíveis para todos. Iniciativas de responsabilidade social corporativa, que apoiam a educação e o desenvolvimento das comunidades locais, tornaram-se um poderoso chamariz para a atração e retenção de talentos.

Publicidade

A governança responsável é o elo que conecta a confiança do público às operações da empresa. Uma governança sólida significa práticas empresariais éticas, transparência nos processos de tomada de decisão e responsabilidade perante os stakeholders. O comprometimento com a integridade é agora um fator crítico na escolha de investimentos, tanto por parte de investidores institucionais quanto por consumidores individuais.

Este tripé ESG é o fundamento sobre o qual as empresas devem construir não apenas suas políticas corporativas, mas toda a sua estratégia de mercado. A adoção desses princípios deve ser vista como uma transformação integral, afetando desde a cultura organizacional até a operacionalização nos canteiros de obra.

O setor da construção civil, agora mais do que nunca, necessita de uma liderança proativa e de uma visão estratégica que antecipem e formem o futuro. As organizações devem se comprometer com a inovação e com a melhoria dos seus processos, produtos e serviços, sempre com o objetivo de alinhar-se aos princípios ESG. 

Isso significa investir em novas tecnologias, como automação e inteligência artificial, para não apenas otimizar a eficiência, mas também para atender aos padrões sustentáveis e éticos exigidos pelo mercado.

Publicidade

+ Com IA, edifícios podem nos ensinar a descarbonizar

O engajamento dos trabalhadores em práticas sustentáveis e responsáveis deve ser uma prioridade, assim como a garantia de que cada projeto não apenas cumpra com os regulamentos ambientais, mas também os supere, buscando inovações que possam reduzir ainda mais a pegada de carbono da indústria.

Para navegar neste novo cenário, a educação e a capacitação contínua dos profissionais do setor são fundamentais. As empresas devem oferecer oportunidades de aprendizado e crescimento que ressoem com os valores da nova geração. Isso inclui treinamento em habilidades digitais, métodos de construção sustentáveis e liderança responsável.

O mercado imobiliário está em um cruzamento crítico, e as decisões tomadas hoje terão impacto por décadas. As organizações que abraçarem a mudança, integrando os princípios ESG em seu núcleo, não apenas sobreviverão, mas prosperarão. Aquelas que resistirem ou adiarem essa integração verão suas posições no mercado diminuírem.

Publicidade

+ Saber escolher seu imóvel pode causar um impacto socioambiental positivo

Com as informações em mãos e a análise do cenário atual, é essencial agir com convicção e celeridade. O futuro é agora, e ele pertence às empresas que reconhecem o valor intrínseco de uma abordagem sustentável e socialmente responsável. No mercado imobiliário, ser resiliente significa ser adaptável, inovador e eticamente sólido. Esses são os novos pilares de sucesso em uma era definida pela mudança constante.

NEWSLETTER
IMÓVEIS

Inscreva-se e receba notícias atualizadas do mercado de imóveis

Notícias relacionadas

Imagem destacada

A reinvenção do trabalho presencial e seus reflexos no urbanismo

2 minutos de leitura
Imagem destacada

25 decorações de Natal para inspirar

2 minutos de leitura
Imagem destacada

FIIs: 64% dos fundos tiveram retorno positivo em março; confira o ranking

2 minutos de leitura
Imagem destacada

Conheça o futuro do programa Casa Verde e Amarela

2 minutos de leitura