Minha Casa Minha Vida & Programas Habitacionais

Como vender um imóvel financiado pelo Minha Casa Minha Vida?

Contemplados pela Faixa 1 do programa podem vender o bem financiado somente depois de quitado. Beneficiários das demais categorias conseguem repassá-lo antes. Entenda

Por: Da Redação 10/07/2020 2 minutos de leitura
Vender imóvel financiado pelas condições dessas faixas do programa é permitido a qualquer momento/ Foto: Getty Images

Publicidade

A compra da casa própria é um sonho que o Minha Casa Minha Vida (MCMV) torna possível a famílias de baixa renda. O programa habitacional do governo federal oferece subsídios e taxas de juros mais baixas para o financiamento do imóvel.

Mas nem sempre a entrega das chaves é um momento aguardado por quem foi contemplado. Seja por divórcio, mudança de cidade ou outro motivo, o beneficiário pode precisar vender o patrimônio financiado, inclusive quando ainda nem terminou de pagar.

Se esse é seu caso, é importante ficar atento às regras do programa para fazer a venda do bem. Elas são determinadas de acordo com a faixa em que o beneficiário é encaixado para obter o financiamento. Confira quais são de acordo com a categoria na qual se encaixa.

Faixa 1

Contempla famílias com rendimento de até R$ 1.800.

Publicidade

Se você conseguiu o imóvel financiado pelo governo por essa categoria, não pode repassá-lo até finalizar o pagamento de todas as parcelas do acordo. Esse período pode durar até 10 anos, durante os quais não é permitido vender, ceder e nem mesmo emprestar o apartamento a outra pessoa.

E se fizer a quitação em um período mais curto? Nesse caso, é permitido vender a moradia financiada pelo Minha Casa Minha Vida. No entanto, o comprador deverá arcar não somente com as parcelas antecipadas, como também com o subsídio concedido pelo governo para custear uma parte do valor.

Faixas 2 e 3

  • Faixa 2: Famílias com renda mensal bruta de R$ 1.800 até R$ 4.000.
  • Faixa 3: Famílias com renda mensal bruta de R$ 4.000 até R$ 9.000.

Vender imóvel financiado pelas condições dessas faixas do programa é permitido a qualquer momento. O beneficiário pode quitar o valor do parcelamento e transferir o patrimônio para o novo comprador. Também tem a opção de repassar o financiamento da moradia. Nesse caso, é feito um novo contrato.

Lembrando que a revenda do imóvel financiado não é feita com os benefícios obtidos pelo contemplado inicial. Ou seja, se você pretende repassar o bem, a pessoa que vai comprá-lo deverá arcar com valores e taxas praticadas no mercado, porque ele não entra como participante do programa.

Publicidade

Risco de perder o imóvel

Desde que siga as regras mencionadas, o beneficiário pode sim vender a moradia obtida pelo Minha Casa. O recomendado é procurar o banco que financiou a habitação para entender como funciona o processo no seu caso e acertar possíveis valores que deverá quitar.

Isso é importante para evitar irregularidades que levem a processos judiciais e até mesmo à perda do bem. O próprio banco responsável pelo financiamento se encarrega de fazer essa fiscalização.

Se você pretende se cadastrar no MCMV e quer repassar o imóvel a curto ou médio prazo, analise bem se vai conseguir fazer isso de acordo com as regras, porque pessoas contempladas uma vez não podem mais participar do programa habitacional.

NEWSLETTER
IMÓVEIS

Inscreva-se e receba notícias atualizadas do mercado de imóveis

Confira nossas

WEBSTORIES

Notícias relacionadas

Imagem destacada

Vale a pena investir em aluguel de curta temporada?

2 minutos de leitura
Imagem destacada

O que esperar do mercado imobiliário em 2024? Especialistas respondem

5 minutos de leitura
Imagem destacada

Confira dicas para uma boa convivência entre vizinhos

4 minutos de leitura
Imagem destacada

É o fim do Minha Casa Minha Vida? Veja como o programa deve ser substituído pelo Governo Federal

2 minutos de leitura