Para oficializar o trâmite de compra e venda é preciso pagar o Imposto de Transmissão de Bens Imóveis (ITBI), um tributo municipal que, se deixado de ser pago, implica a não regularização do imóvel no nome dos novos compradores.

A legislação muda de uma cidade para outra. Há algumas, por exemplo, em que o pagamento do ITBI deve ser realizado após o registro da escritura. O mais recorrente, porém, é que os vencimentos para quitação estejam ajustados ao cronograma de mudança e à efetiva transmissão do bem.

Para saber qual é a lei vigente sobre o ITBI da sua cidade, informe-se no site oficial da Prefeitura.

Assine nossa newsletter e receba por e-mail as principais notícias e dicas.
Fique tranquilo, não enviamos SPAM.
Quero me cadastrar para receber informações relevantes por e-mail. Fique tranquilo, não fazemos SPAM.
Faça as contas

Para calcular o imposto, é preciso multiplicar o valor venal do imóvel pelo valor da alíquota. Exemplo: nas cidades onde a alíquota é de 2% e o imóvel custa R$ 500 mil, o valor a ser pago no ITBI é de R$ 10 mil.

Geralmente, o ITBI é pago por quem está comprando o imóvel, apesar de se tratar de uma tributação passível de acordos e negociações entre as partes envolvidas. Ou seja, quem está interessado em vender o imóvel também pode arcar com esse custo para passar a propriedade adiante.  

É possível obter desconto

Quem adquirire os imóveis por meio de financiamentos do Sistema Financeiro de Habitação (SFH) e por meio do Minha Casa Minha Vida pode obter desconto no ITBI e até mesmo ficar isentos de pagamento. Mas é preciso consultar as condições do município.