Minha Casa Minha Vida & Programas Habitacionais

Quais são os subsídios do Minha Casa Minha Vida?

Financiamento do programa pode cobrir até 90% do valor total do imóvel, mas varia de acordo com a renda familiar. Entenda

Por: Da Redação 22/05/2020 2 minutos de leitura
O programa habitacional contempla famílias com rendas que vão de R$ 1.800 a R$ 9.000/ Foto: Envato

Publicidade

Os subsídios do Minha Casa Minha Vida são auxílios oferecidos pelo programa habitacional às famílias com menor poder aquisitivo, para cobrir parte do valor do imóvel sem exigir o reembolso. 

Para entender melhor como é concedido o benefício, é importante lembrar que o programa contempla famílias com rendas que vão de R$ 1.800 a R$ 9.000 e que não tenham participado de outro programa habitacional social do Governo Federal. Elas são divididas por faixas e cada qual usufrui de vantagens diferentes, inclusive em relação aos subsídios.

Faixa 1: renda familiar bruta de até R$ 1.800 

Famílias que têm esse rendimento bruto, ou seja, recebem o total mensalmente, sem descontos, são contempladas com os maiores subsídios do Minha Casa Minha Vida. O governo paga 90% do imóvel, que deve ter valor máximo de R$ 96 mil. Os outros 10% podem ser financiados em até 120 prestações mensais (dez anos), que variam de R$ 80 a R$ 270, sem juros. 

Faixa 1,5: renda familiar bruta de até R$ 2.600

Nesta categoria, os subsídios do Minha Casa Minha Vida são ramificados. Famílias com rendimento bruto de até R$ 1.200 conseguem auxílio de até R$ 47,5 mil. Já as com receita entre R$ 1.200 e R$ 2.600 têm o incentivo reduzido progressivamente. Ambas podem financiar o restante do valor do imóvel em até 30 anos, com juros de 5% ao ano. 

Publicidade

Faixa 2: renda familiar bruta de até R$ 4.000

Famílias cujas receitas se encaixam nesta faixa também conseguem adquirir um imóvel pelos subsídios do Minha Casa Minha Vida. Mas o custeio varia de acordo com a cidade em que a moradia está localizada e seu valor total não pode ultrapassar R$ 240 mil. 

O programa paga até R$ 29 mil de subsídio para financiamento de imóveis em SP, RJ e DF. Já se o endereço do empreendimento for na região sul do país ou em ES e MG, o auxílio chega a R$ 26.635. Finalmente, moradias nas regiões centro-oeste (exceto DF), norte e nordeste podem ser adquiridas tendo até R$ 23,2 mil do seu valor custeado pelo programa. O restante do valor é financiado com taxas de 5,5% a 7,16% ao ano.

Faixa 3: renda familiar bruta de até R$ 9.000

Quem está nessa categoria não consegue subsídios do Minha Casa Minha Vida. No entanto, pode financiar o imóvel com juros menores em relação aos cobrados pelas instituições financeiras fora do programa. A taxa é de 5,5% até 7,16% ao ano, mas o empreendimento adquirido deve ter valor máximo de R$ 300 mil. Atualmente, os encargos praticados por outros bancos variam de 6,75% a 7,99%.

Futuro incerto

Em dezembro de 2019, o governo chegou a anunciar a substituição do Programa Minha Casa Minha Vida pelo novo Casa Brasil. Até o momento, as mudanças anunciadas não têm data para entrar em vigor. 

Publicidade

Aproveite que os subsídios do Minha Casa Minha Vida ainda estão valendo para pesquisar quanto conseguiria de auxílio. A Caixa Econômica Federal (CEF) e o Banco do Brasil oferecem simuladores para calcular o subsídio e demais custos referentes ao financiamento pelo programa, de acordo com o seu perfil.

NEWSLETTER
IMÓVEIS

Inscreva-se e receba notícias atualizadas do mercado de imóveis

Confira nossas

WEBSTORIES

Notícias relacionadas

Imagem destacada

QuintoAndar cria linha de crédito de R$ 4,5 mi para corretores e imobiliárias

2 minutos de leitura
Imagem destacada

Cresce venda de imóveis por meio de consórcio em 2021

2 minutos de leitura
Imagem destacada

Incorporadoras buscam crédito em fundos especializados para driblar ‘vácuo’ de financiamento de obra

4 minutos de leitura
Imagem destacada

Pompeia: cultura e lazer na metrópole

3 minutos de leitura