Indicadores Estadão Imóveis
FGV IBRE: 
4.2%
FIPEZAP: 
0.57%
ICON: 
1.84%
IGP-M: 
0.60%
INCC: 
2.16%
PMI: 
44.1%
IMÓVEIS

Buscando sugestões para:


Decoração, reforma e construção

Página inicial / Decoração, reforma e construção / Estilos arquitetônicos: já pensou em ter uma casa no estilo barroco?

Estilos arquitetônicos: já pensou em ter uma casa no estilo barroco?

Imponência e ostentação por meio da arte é o que define a arquitetura de origem religiosa


Da Redação

10/12/2020 - 2 minutos de leitura


A arquitetura barroca não é muito comum no ambiente urbano, a não ser por Roma/ Foto: Getty Images
Inscrições abertas para o Ve...

13/07/2021 03:00 até 01/08/2021 02:00


Assine nossa newsletter e receba por e-mail as principais notícias e dicas.
Fique tranquilo, não enviamos SPAM.
Quero me cadastrar para receber informações relevantes por e-mail. Fique tranquilo, não fazemos SPAM.

Proporções incomuns e irregulares, exageros, suntuosidade, cenas realistas, presença de espaços e formas ovais, exaltação de figuras católicas, como Deus e Jesus Cristo, presença de murais nos tetos, abóbadas, arcos e colunas tortas, muito dourado, jogos de luz, sensação de perpetuidade e grandeza, espaços centralizados, fachadas que remetem à sensação de movimento, cúpulas desenvolvidas, efeitos teatrais e cenográficos: essas são as principais características do estilo barroco.

A arquitetura barroca não é muito comum no ambiente urbano, a não ser por Roma, onde o arquiteto Domenico Fontana teve a incumbência de enfatizar o papel da cidade como um local santo e os pontos focais do panorama urbano foram demarcados com grandes obras.

Origem do estilo

Precedido pelo renascimento e maneirismo, o estilo barroco foi preponderante na Europa entre os séculos XVI e primeira metade do século XVIII. O conceito surgiu em um momento importante da história, quando as pessoas passaram a questionar a visão teocêntrica pregada pela igreja católica, cunhando-se assim a ideologia racionalista e antropocentrista.

Após tantos questionamentos, a Igreja Católica promoveu o Concílio de Trento, entre 1545 e 1563, quando, na busca por reafirmar os seus dogmas religiosos, o papel das artes ficou ainda mais destacado, decidindo-se então que está seria utilizada como um instrumento de persuasão, devido a sua fácil assimilação, surgindo assim o barroco.

O estilo, que demonstrava toda a riqueza e o poder da igreja católica, também apresentava adornos mais acessíveis para os sentimentos, e, assim como ocorreu com o estilo gótico, o barroco partiu da Itália para os demais países da Europa e também para América Latina, migrando para locais onde a igreja achava importante reafirmar sua ideologia.

Os maiores representantes e precursores da arquitetura barroca são os italianos Gian Lorenzo Bernini, Francesco Borromini, Pietro da Cortona e Guarino Guarini.

Onde encontrar

O estilo barroco empregado no Brasil tem forte influência do praticado em Portugal, onde a crise econômica fez com que os adornos fossem mais contidos, devido à necessidade de economizar no uso de materiais, criando características mais discretas e com fachadas mais simples e pouco ostentativas.

O escultor, entalhador e arquiteto Antônio Francisco Lisboa, conhecido por Aleijadinho, é o principal expoente nacional do conceito, sendo que, grande parte do seu acervo pode ser encontrado em Minas Gerais, em especial nas cidades históricas de Ouro Preto, Sabará, São João del-Rei e Congonhas.

Os maiores destaques das obras de Aleijadinho são a Igreja São Francisco de Assis, em Ouro Preto, e o Santuário do Bom Jesus de Matosinhos, localizado na cidade de Congonhas.

Para quem busca referências mais clássicas, a fachada e a cúpula da Basílica de Santo André do Vale, fachada da Basílica de São Pedro e Palazzo Barberini são algumas das obras de Carlo Maderno.

Outros exemplos clássicos de arquitetos que foram referências no estilo barroco ficam por conta do inglês Inigo Jones, que é responsável pela Casa da Rainha Elizabeth II e a Casa dos Banquetes, e o francês François Mansart, que desenhou o Castelo de Blois e a Igreja Val-de-Grâce.

AVALIAR ESSE ARTIGO
Você precisa estar logado para comentar.
Faça o login


Notícias relacionadas