Compra

Santa Catarina abriga 3 das 5 cidades mais caras para comprar imóvel no Brasil

Balneário Camboriú, Itapema e Florianópolis aparecem acima de São Paulo no ranking

Por:Breno Damascena 10/01/2024 2 minutos de leitura
santa-catarina-valorizacao
Balneário Camboriú fecha 2023 com metro quadrado avaliado em R$ 12.624/ Crédito: Bruno/AdobeStock

Publicidade

Com o metro quadrado avaliado em R$ 12.624, Balneário Camboriú fechou 2023 como a cidade mais cara para comprar um imóvel no Brasil. O município simboliza o cenário de valorização de Santa Catarina, estado que abriga três das cinco cidades mais valorizadas do País, de acordo com o Índice FipeZAP de Venda Residencial, divulgado pelo DataZAP.

Na segunda colocação do Índice aparece Itapema, com o metro quadrado avaliado em R$ 12.498. A cidade localizada nos arredores de Balneário Camboriú registrou uma alta de 19,52%, a segunda maior valorização do ano.

A maior valorização registrada em 2023 também está em Santa Catarina. São José teve um crescimento de 19,63% no período. Apesar do metro quadrado avaliado em R$ 7.116, bem abaixo das cidades catarinenses mais valorizadas, a tendência é de alta.

A capital do estado, por exemplo, viu o preço médio do metro quadrado se tornar 12,28% mais caro no ano. Desta forma, Florianópolis fecha o ano com o m² avaliado em R$ 10.786, o quarto m² mais caro do Brasil. 

Publicidade

Preço Médio De Venda Por Cidade

CidadeR$ / m²
Balneário Camboriú (SC)R$ 12.624,00
Itapema (SC)R$ 12.498,00
Vitória (ES)R$ 10.877,00
Florianópolis (SC)R$ 10.786,00
São Paulo (SP)R$ 10.676,00
Itajaí (SC)R$ 10.490,00
Rio de Janeiro (RJ)R$ 9.988,00
Barueri (SP)R$ 9.463,00
Curitiba (PR)R$ 9.092,00
Brasília (DF)R$ 8.984,00
Belo Horizonte (MG)R$ 8.309,00
Maceió (AL)R$ 8.240,00
Vila Velha (ES)R$ 8.239,00
São Caetano do Sul (SP)R$ 7.863,00
Recife (PE)R$ 7.601,00
São José dos Campos (SP)R$ 7.359,00
Osasco (SP)R$ 7.304,00
Fortaleza (CE)R$ 7.169,00
São José (SC)R$ 7.116,00
Goiânia (GO)R$ 7.096,00
Niterói (RJ)R$ 6.937,00
Santo André (SP)R$ 6.804,00
Porto Alegre (RS)R$ 6.682,00
Joinville (SC)R$ 6.546,00
Manaus (AM)R$ 6.485,00
Santos (SP)R$ 6.485,00
Campinas (SP)R$ 6.187,00
Diadema (SP)R$ 6.171,00
Guarulhos (SP)R$ 6.141,00
Guarujá (SP)R$ 6.112,00
Blumenau (SC)R$ 6.055,00
São Bernardo do Campo (SP)R$ 5.977,00
João Pessoa (PB)R$ 5.932,00
Campo Grande (MS)R$ 5.884,00
Salvador (BA)R$ 5.854,00
Praia Grande (SP)R$ 5.619,00
Jaboatão dos Guararapes (PE)R$ 5.222,00
Caxias do Sul (RS)R$ 5.104,00
Canoas (RS)R$ 5.065,00
São José do Rio Preto (SP)R$ 4.908,00
Santa Maria (RS)R$ 4.877,00
Contagem (MG)R$ 4.860,00
São José dos Pinhais (PR)R$ 4.796,00
Novo Hamburgo (RS)R$ 4.711,00
Londrina (PR)R$ 4.672,00
Ribeirão Preto (SP)R$ 4.546,00
São Leopoldo (RS)R$ 4.422,00
São Vicente (SP)R$ 4.208,00
Pelotas (RS)R$ 4.172,00
Betim (MG)R$ 3.851,00
Índice FipeZAP de Venda Residencial / DataZAP

Valorização imobiliária em 2023

De acordo com o Índice FipeZAP de Venda Residencial, o preço médio dos imóveis no Brasil acumulou uma alta de 4,82%, superando a variação registrada pelo IGP-M/FGV no ano (-3,89%) e a prévia de novembro do IPCA/IBGE* (+4,09%). 

Os valores foram impulsionados por imóveis de um dormitório, que tiveram um preço médio de venda relativamente mais alto “R$ 10.261/m²), contrastando com o menor valor entre unidades com dois dormitórios (R$ 7.826/m²).

NEWSLETTER
IMÓVEIS

Inscreva-se e receba notícias atualizadas do mercado de imóveis

Notícias relacionadas

Imagem destacada

Novo Minha Casa, Minha Vida impactou a estratégia de lançamentos da Direcional Engenharia

2 minutos de leitura
Imagem destacada

É possível manter uma piscina com baixo custo mensal?

2 minutos de leitura
Imagem destacada

Que tal voltar pra casa?

4 minutos de leitura
Imagem destacada

Gestora vai captar R$ 150 mi para financiar incorporadoras de pequeno e médio porte

1 minuto de leitura