Compra

Que tal usar o 13º salário para quitar despesas do imóvel?

Existem algumas maneiras de investir o dinheiro extra numa aquisição ou reforma. Veja quais são as possibilidades

Por: Da Redação 12/12/2019 3 minutos de leitura
Aproveite o 13º salário para adiantar as parcelas do financiamento/ Foto: iStock

Publicidade

Para aqueles que não pediram adiantamento do abono, a primeira parcela do 13º salário já está na conta. E, segundo o advogado especialista em direito imobiliário, Bence Pál Deák, quem tem juízo evitou gastar com os presentes de Natal e outras regalias para quitar parcelas da casa própria ou até aplicar a quantia em um investimento imobiliário.

A primeira recomendação, no entanto, é a resolução de contas antigas, como as do cheque especial e do cartão de crédito, que têm juros agressivos. “A prioridade deve ser quitar dívidas. Caso as contas estejam em dia, uma das opções é aplicar em imóvel, que pode ser para renda futura ou para residência. Mas a dificuldade é o preço, porque imóveis, por mais simples que sejam, tem um valor alto. No entanto, se o trabalhador procurar, pode achar um que caiba em seu orçamento”, afirma o advogado.

Sonho da casa própria

Bence ainda sugere realizar uma pesquisa detalhada nos valores dos imóveis novos. “As incorporadoras passaram por uma crise e muitas têm um estoque grande de bens que foram devolvidos ou simplesmente não foram vendidos. Eles podem ter preço e condições de pagamento favoráveis. Se a pessoa tiver uma quantia em dinheiro e tempo para procurar, deve achar um apartamento a ser negociado vantajosamente”, assegura o especialista.

“Seja rápido, porque o mercado imobiliário está dando ares de que deve melhorar muito no ano que vem e as boas oportunidades poderão desaparecer. Se seu capital ou se o valor do seu 13º salário for suficiente, uma boa ideia é comprar um imóvel ou dar de entrada e financiar o saldo. O momento é bom, porque os bancos estão praticando juros menores. Pela nova regra do Banco Central, que permite financiamento pelo IPCA, as parcelas iniciais de seu financiamento serão menores”, explica Bence, referindo-se ao Índice de Preços ao Consumidor Amplo.

Publicidade

Impostos

Normalmente, o 13º salário não é suficiente para oferecer como entrada no valor de um imóvel, mas pode ser muito útil para custear as despesas extras que fazem parte da transação imobiliária, como as taxas que envolvem os custos com Imposto Sobre Transmissão de Bens Imóveis (ITBI), Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU), registro de escritura, que vai certificar a propriedade, certidões emitidas pelo cartório, além de serviço de despachante, avaliação e outras documentações.

Leia também:

Vale a pena financiar imóvel com correção pelo IPCA?
“Juros baixos são alavanca para mercado imobiliário em 2020”, afirma Luiz Antonio França
Conheça mitos e verdades sobre compra de imóveis na planta

Amortização do financiamento

Já no caso de usar o 13º salário para adiantar as parcelas do financiamento, o mais comum é que sejam quitadas as últimas parcelas, em vez das que estão mais próximas do vencimento. Geralmente, o banco oferece duas modalidades de amortização. A primeira delas é diminuir o valor da prestação, alternativa adequada para quem sente que está comprometendo o orçamento familiar.

Publicidade

Já a segunda modalidade consiste em antecipar algumas prestações. Essa alternativa é indicada para pessoas que não encontraram uma opção de investimento, não desejam correr o risco de gastar o dinheiro ou quando a parcela não compromete o orçamento familiar.

Parcela das chaves

Se você está com as finanças em dia, também é possível aplicar o 13º salário em uma reserva para quitar despesas que despontam mais à frente, principalmente para quem adquiriu imóvel na planta, como a parcela das chaves, que consta no contrato. No ato da entrega das chaves, o proprietário deve quitar o saldo devedor ou apresentar para a construtora uma carta de crédito aprovada.

Reforma e decoração

Também é possível usar o dinheiro para equipar o apartamento novo, colocar piso, azulejos, louças na cozinha e banheiro, comprar os móveis ou mandar fazer planejados, decorar, adquirir eletrodomésticos ou ainda fazer alguma reforma no imóvel recém-adquirido.

NEWSLETTER
IMÓVEIS

Inscreva-se e receba notícias atualizadas do mercado de imóveis

Notícias relacionadas

Imagem destacada

Forro de gesso: conheça os tipos e suas vantagens

6 minutos de leitura
Imagem destacada

Prepare a casa para o inverno com 4 dicas imperdíveis

2 minutos de leitura
Imagem destacada

Queda na Selic e valorização acumulada indicam cenário positivo para fundos imobiliários

2 minutos de leitura
Imagem destacada

Projeto de bairro inteligente aponta para o futuro

3 minutos de leitura