Os investidores do mercado imobiliário sempre buscam as melhores negociações possíveis. Poucas ofertas apresentam mais vantagens do que comprar imóvel com dívida, principalmente quando se trata de um financiamento.

Leia mais:
Vinci e XP ‘reabrem’ mercado de fundos imobiliários
Mercado imobiliário aponta melhora nas vendas e fala em retomada em ‘V’
Para construtoras, quarentena revela que estande não é tão importante

“As vantagens são inúmeras, a começar pelo momento financeiro da pessoa que está vendendo esse patrimônio. Geralmente, quando alguém resolve vender um bem que está financiado, em regra essa pessoa está com dificuldades de suportar o valor das parcelas ou quer comprar um outro maior e não consegue arcar com o custo do financiamento de dois lugares, por exemplo”, explica o advogado Roberto Bigler, especialista em direito imobiliário da Alves e Bigler Advogados Associados.

Esta situação apresenta ganhos para o comprador, que assegura um poder de negociação melhor do que para o vendedor, aumentando o lucro, já que, no atual momento, também existem benefícios na hora de renegociar as dívidas do imóvel.

“Em situações como essa surge para o interessado na aquisição a possibilidade de um grande proveito comercial, pois além de preços mais baixos do que os praticados pelo mercado, o comprador pode ainda obter taxas melhores para refinanciamento do saldo, já que atualmente a Selic tem tido os menores índices da história”, afirma o especialista.

Assine nossa newsletter e receba por e-mail as principais notícias e dicas.
Fique tranquilo, não enviamos SPAM.
Quero me cadastrar para receber informações relevantes por e-mail. Fique tranquilo, não fazemos SPAM.

Atenção e cautela

Ainda assim, mesmo com a situação atrativa para obter um bem com débitos, é necessária muita atenção. Como toda operação imobiliária, a aquisição de um patrimônio exige o rito de checagem de documentação e propriedade. Isto é, o comprador deve estar assessorado por um profissional habilitado (advogado ou corretor) para saber como está a situação do vendedor na praça, a emissão de certidões, avaliação fiscal do imóvel e levantamento de dívidas no condomínio.

É importante que o comprador esteja ciente de todos os débitos reais que a moradia apresenta, e que busque celebrar a aquisição dentro de um contrato aplicável de imediato. “Este tipo de operação deve ser realizada com a anuência da instituição

responsável pelo financiamento do imóvel, já que é muito comum ainda ocorrer negócios por meio do que chamamos de contratos de gaveta. Transações como essas podem colocar o adquirente em uma situação de risco incalculável”, adverte Roberto Bigler.

Tomando todos os cuidados, comprar um apartamento ou uma casa com dívida, em termos de investimento, é uma excelente alternativa para quem busca extrair valor do setor imobiliário, principalmente se o comprador tiver condições de quitar o saldo devedor à vista. Neste caso, além do preço abaixo do valor de mercado, é possível obter a redução de boa parte dos juros do financiamento junto à instituição financeira.