Notícias

Entenda como funciona o mercado de investimento imobiliário

Comprar e vender um imóvel não é a única forma de lucrar neste setor

Por: Da redação 28/03/2019 2 minutos de leitura
gráfico de investimento com pilhas de moedas e casas de papel
Existem diferentes maneiras de empregar o dinheiro no mercado imobiliário. Foto: iStock

Publicidade

Investir em mercado imobiliário não é apenas comprar uma casa, apartamento, terreno ou outra propriedade para vender por um preço superior, ou mesmo para alugar. Existem outras formas de investir em imóveis com capital menor e mais liquidez. Estamos falando de fundo imobiliário e crowdfunding imobiliário.

Conheça cada um desses investimentos:

Fundo imobiliário

É formado por um grupo de investidores, geridos por um administrador, com o objetivo de investir em construções de grande porte, como prédios comerciais, hotéis e shoppings. Cada investidor possui uma cota daquele imóvel, proporcional ao capital que investiu, e obtém o rendimento que aquela propriedade vai gerar, seja por aluguel ou comercialização.

Publicidade

Aplicar em fundo imobiliário é bem parecido com comprar ações, já que esses fundos têm suas cotas negociadas na Bolsa de Valores. Também é possível adquirir as cotas de ofertas públicas ou negociando com outros investidores, por meio de uma corretora de valores.

Ao comprar cotas de fundo imobiliário, o investidor recebe rendimentos mensais – 95% do lucro líquido auferido é distribuído aos cotistas. Alguns fundos são diversificados e, por isso, oferecem menos risco. Por exemplo, em um mesmo portfólio podem ter um hospital e um shopping. Em caso de crise em um setor, o outro pode compensar a perda.

O prazo para resgate do dinheiro investido é determinado pelo próprio fundo, mas é possível vender as cotas na Bolsa de Valores e obter mais liquidez.

Os fundos imobiliários também podem investir em títulos relacionados ao mercado imobiliário. Há três importantes títulos no mercado:

Publicidade

  • Letras de Crédito Imobiliário (LCI): o investidor empresta dinheiro a uma instituição financeira para que ela injete capital diretamente no setor de imóveis, por exemplo, ao emprestar dinheiro para quem quer construir.
  • Certificado de Recebíveis Imobiliários (CRI): é um título de renda fixa que paga rendimentos de créditos concedidos para financiar projetos imobiliários. O investidor compra o direito a receber os pagamentos de financiamentos do setor.
  • Letras Hipotecárias (LH): também um título de renda fixa emitido por instituições financeiras autorizadas a conceder crédito hipotecário – quando o cliente dá o imóvel como garantia de pagamento de empréstimo. O dinheiro do investidor financia esses empréstimos.

Crowdfunding imobiliário

É uma aplicação coletiva realizada pela internet por meio de um site de crowdfunding, que capta dinheiro para tirar projetos do papel. Nesse caso, projetos de construção de empreendimentos.

Antes de investir em um projeto, o investidor sabe a rentabilidade mínima garantida pela incorporadora – por exemplo, 100% da taxa CDI – e quando terá o retorno do dinheiro. Mas o valor a receber ao fim do prazo dependerá do sucesso do empreendimento – no caso de um prédio, quanto mais apartamentos forem vendidos em menos tempo, maior a rentabilidade.

Todos os projetos têm um valor mínimo de captação, que se não for atingido o dinheiro é devolvido ao investidor.

Publicidade

NEWSLETTER
IMÓVEIS

Inscreva-se e receba notícias atualizadas do mercado de imóveis

Notícias relacionadas

Imagem destacada

Conheça os desafios de se tornar investidor no mercado imobiliário dos Estados Unidos

7 minutos de leitura
Imagem destacada

Sudeste registra queda em lançamentos e vendas de imóveis no último trimestre

3 minutos de leitura
Imagem destacada

Estímulos paliativos não vão ajudar o Brasil a crescer

4 minutos de leitura
Imagem destacada

Com pacotes de R$ 9.500, empresa lança empreendimento multifamily de luxo nos Jardins

1 minuto de leitura