O destaque foi o Mérito Fundo e Ações Imobiliárias (MFAI11), que teve uma valorização de 8,64%. Ele é seguido pelo Hedge Brasil Shopping (HGBS11), que teve alta de 8,46%; e pelo Centro Têxtil Internacional (CTXT11), com retorno de 7,34% no mês e retorno de 64% dos FIIs, em março.

O estudo levou em conta as variações das cotas e os rendimentos – também chamados de dividendos, que são os aluguéis. Além disso, foram considerados apenas os fundos com pelo menos 30 negociações (compra ou venda de cotas) durante o mês na B3 e que existem há mais de três meses.

Ainda de acordo com o levantamento, durante o ano de 2022, apenas 43,4% dos FIIs listados na B3 tiveram desempenho positivo. Os que tiveram melhor retorno foram o Centro Têxtil Internacional (CTXT11), com rentabilidade de 29,69%; RB Capital Renda II (RBRD11), com 16,16%; e o The One (ONEF11), com 14,72%.

Já durante a pandemia da covid-19, aproximadamente 32,55% apresentaram bom desempenho. Destaque para o Hectare CE FII (HCTR11), com rentabilidade de 37,17%; CSHG Prime Offices (HGPO11), com 36,18%; e o EUROPAR (EURO11), que apresentou uma valorização de 33,98%. Os mais 64% dos FIIs março é positivo para quem busca investir.

Fundos de Investimentos Imobiliários

Possui baixa aplicação mínima, rendimentos líquidos isentos do Imposto de Renda da Pessoa Física (IRPF) e apresenta rentabilidade média de 0,65% a 0,80% ao mês. Em caso de emergências, o investimento conta com a liberação de valores em até dois dias úteis e oferece mais diversificação.

FIIs: Imóveis residenciais e comerciais

É necessário alta aplicação inicial para adquirir um apartamento, por exemplo. É mais burocrático, pelas etapas de documentação e registros para aquisição e o aluguel recebido tem tributação pelo IRPF. Esta possibilidade oferece rentabilidade menor que os fundos, de 0,37% a 0,43% ao mês. Para uso do valor líquido, é necessária a realização da venda, que pode ser mais ou menos rápida em função das características do imóvel (localização, estrutura interna, condições de conservação, etc). Em caso de locação para renda, é necessário que o proprietário ou uma empresa contratada faça a gestão dos contratos e pagamentos devidos.

Saiba como começar a fazer as primeiras aplicações em fundos imobiliários: o economista Vitor Miziara compartilha algumas dicas para começar a aquisição:

Investir em FIIs

“A melhor forma de aprender é começar aos poucos para entender as oscilações do mercado e, desde os primeiros depósitos, diversificar os aportes, aproveitando que os valores podem ser baixos, possibilitando ao investidor colocar o dinheiro em diferentes setores do mercado imobiliário.”


FIIs: Quem pode investir?

Qualquer pessoa, física ou jurídica, com um valor mínimo estipulado para o primeiro aporte pode adquirir cotas.

Este conteúdo foi originalmente publicado em:
https://einvestidor.estadao.com.br/investimentos/desempenho-marco-2022/