Voltar
IMÓVEIS

Buscando sugestões para:


Página inicial / Notícias / Casamento: quais mudanças fazer na casa para uma vida a dois?

Casamento: quais mudanças fazer na casa para uma vida a dois?

Compartilhar o mesmo teto impõe desafios ao casal e, para garantir a harmonia, é preciso aproveitar bem o espaço e fazer escolhas difíceis


Da Redação

25/08/2020 - 2 minutos de leitura


Casamento definitivamente muda a vida do casal e pode impactar todo seu círculo social/ Foto: Getty Images

Casamento é um acordo que exige, além de amor, afeto, confiança, parceria e outros aspectos sentimentais, uma boa dose de bom senso. Isso é sobretudo importante nas decisões relativas à casa para uma vida a dois.

Leia mais:
Casais: tempo de qualidade... o tempo todo?
Casamento impulsiona compra de imóveis em São Paulo
CVM admite que mudanças regulatórias podem ficar para 2021

A lista de questões a serem alinhadas é longa. Por exemplo: alguém irá deixar sua casa e mudará para a do/a parceiro/a? Que móveis serão mantidos e quais serão descartados? O cômodo livre será um escritório ou um quarto para visitas?

Matemática não é tão simples

“João morava em um apartamento de 40 metros quadrados (m²), enquanto Maria em um de 50 m². Logo, apenas somando, os dois devem se mudar para um de 90 m²?”, questiona Thais de Vasconcellos Mattos, arquiteta da Inova Urbis.

A profissional destaca que a disposição dos cômodos, a localização do imóvel e a qualidade de vida proporcionada pelo bairro podem ser fatores mais decisivos do que a metragem do lugar comum. “Outra questão importante é que o casal pode pensar em aumentar a família e, portanto, pode até precisar de mais espaço do que os 90 m² da soma simples”, conclui Mattos.

Escolhas conjuntas

O casamento definitivamente muda a vida do casal e pode impactar todo seu círculo social e mexer com a rotina de familiares e amigos. Portanto, mais do que o imóvel em si, é preciso observar toda a logística que envolve a mudança de moradia.

Assine nossa newsletter e receba por e-mail as principais notícias e dicas.
Fique tranquilo, não enviamos SPAM.
Quero me cadastrar para receber informações relevantes por e-mail. Fique tranquilo, não fazemos SPAM.

Os fatores mais importantes são o deslocamento para o trabalho, a proximidade de amigos e familiares e a infraestrutura com opções de lazer, saúde e educação – principalmente se o casal tiver ou planejar crianças.

O importante é ter em mente que, agora, todos os fatores individuais devem ser somados e equilibrados entre os dois. E, às vezes, o melhor equilíbrio pode já ser uma das duas casas.

“Não é necessário realizar muitas mudanças, mas algumas alterações com certeza serão necessárias”, afirma Thais Mattos. “O/A parceiro/a não vai chegar sem nada em mãos. Ele ou ela tem uma história de vida e isso se traduz, em parte, por roupas, móveis, eletrodomésticos e demais bens materiais. É possível abrir mão de parte desses bens, o que simbolicamente significa se despedir do que ficou para trás, mas não dá para se desfazer de tudo. Afinal, casamento é uma busca por evolução, não por se desintegrar como indivíduo”.

E caso o imóvel não dê conta de acolher tudo que os dois querem, a recomendação número um é chamar um arquiteto. Mas, antes, há formas de organizar melhor os pertences. “Aproveite a mudança para verificar os armários e prateleiras e separar objetos que você não usa há anos. O que não interessa mais pode ser doado ou vendido”, aconselha a arquiteta e diretora do SPARQ Arquitetura em Saúde, Brunaliza Almeida Firmino.

AVALIAR ESSE ARTIGO
Você precisa estar logado para comentar.
Faça o login


Notícias relacionadas