Voltar
IMÓVEIS

Buscando sugestões para:


Página inicial / Compra / O que diferencia os imóveis comuns das casas de alto padrão?

O que diferencia os imóveis comuns das casas de alto padrão?

Bem localizadas, sofisticadas e muito desejadas, as unidades luxuosas possuem ainda uma série de distinções em relação a uma habitação mais modesta


Da Redação

28/08/2020 - 2 minutos de leitura


Moradias normalmente são buscadas por clientes exigentes, detalhistas e com salários acima de R$ 30 mil mensais/ Foto: Getty Images

O primeiro ponto a se destacar nas casas de alto padrão é a sua localização: geralmente um bairro que proporciona qualidade de vida, com ruas e avenidas ajardinadas, parques, comércio, shoppings e mobilidade eficiente. No entanto, essa questão não se estende ao tamanho do imóvel, que é apontado apenas como um diferencial neste ponto, já que existem unidades de luxo também em lotes menores e até verticais.

Leia mais:
Imóveis de luxo: dicas para não errar na compra
5 bairros com maior concentração de imóveis de luxo em São Paulo

Vale ressaltar que existem propriedades comuns bem localizadas, em territórios que não são considerados nobres, mas, ainda assim, possuem aspectos ligados principalmente à praticidade e segurança que as inclui entre os imóveis de alto padrão.

O que realmente define as casas de alto padrão?

Segundo o site Custo da Construção, existem alguns critérios que definem este tipo de moradia, normalmente buscadas por clientes exigentes, detalhistas e com salários acima de R$ 30 mil mensais.

Assine nossa newsletter e receba por e-mail as principais notícias e dicas.
Fique tranquilo, não enviamos SPAM.
Quero me cadastrar para receber informações relevantes por e-mail. Fique tranquilo, não fazemos SPAM.
  • Personalização – Com projeto original e uma construção diferenciada;
  • Conforto – Possui itens de luxo, como sauna, espaço gourmet, dentre outros;
  • Qualidade do material de fabricação – Uma fundação sólida e com inovações, como o Painel Monolítico de Poliestireno Expandido (EPS);
  • Qualidade de acabamento – Um projeto de iluminação, acabamentos em pedras, vidros e demais materiais que cumprem a função, mas apresentam uma estética de qualidade;
  • Design – Ergonomia, itens de decoração, revestimentos e texturas harmonizando o projeto arquitetônico com o design de interiores;
  • Tecnologia – Características diferenciadas, como itens de automação residencial e central de segurança e monitoramento;
  • Marcas consolidadas – Desde materiais de construção, itens de decoração até mão de obra com especialização para instalação dos produtos.

Ainda há outras questões que passaram a ser pautadas recentemente, como o apelo ecológico, em que soluções, como painéis de captação de energia solar e valorização da luz natural, são empregadas. Em casos onde a localização fica fora de condomínios de luxo, uma questão essencial é a segurança, que conta com um monitoramento e com o projeto arquitetônico, já pensando para promover a segurança patrimonial.

Não é possível definir um valor referente ao metro quadrado da obra para entender se o imóvel é comum ou de alto padrão. “Existem índices de preço do custo de obras residenciais por metro quadrado. Esse custo é dividido em baixo, médio e alto padrão. Também é dividido por regiões do Brasil e seu custo é tão variável quanto nossa diversidade cultural. Resumindo, cada caso é um caso”, explica Luiz Henrique de Paula, da CCA Arquitetura.

Vale salientar que existem imóveis considerados intermediários que fogem apenas de questões arquitetônicas que podem ser relacionadas à ostentação, visando conforto e segurança em detrimento de símbolos de status. Com isso, as casas de alto padrão possuem uma função que vai além da moradia: elas cumprem papéis simbólicos de sofisticação que vão desde projetos dignos de admiração, como obras de arte, até questões de desenvolvimento tecnológico de ponta, alinhando tudo com conforto, bom gosto e um elevado nível de qualidade.

AVALIAR ESSE ARTIGO
Você precisa estar logado para comentar.
Faça o login


Notícias relacionadas