Indicadores Estadão Imóveis
FIPEZAP: 
0.64%
ICON: 
0.45%
IGP-M: 
0.66%
INCC: 
0.46%
PMI: 
16.2%
IMÓVEIS

Buscando sugestões para:


Página inicial / Compra / LCI: Entenda como funciona a Letra de Crédito Imobiliário

LCI: Entenda como funciona a Letra de Crédito Imobiliário

Por ter tributação 0 para pessoas físicas, a LCI pode ser um bom investimento para quem pretende aplicar no mercado

  • (3.0)

Verônica Lima

26/05/2021 - 2 minutos de leitura


Aplicação utiliza o dinheiro emprestado aos bancos para financiar, construir ou reformar imóveis/ Crédito: Getty Images

Letra de Crédito Imobiliário (LCI) é um investimento aplicado em títulos de renda fixa negociados por instituições financeiras e lastreado no crédito imobiliário. Isso significa que o LCI é uma aplicação que utiliza o dinheiro emprestado aos bancos para financiar, construir ou reformar imóveis.


Para entender ao certo como funciona a modalidade de aplicação, é necessário compreender a função dos bancos nesse negócio. De modo geral, as instituições financeiras oferecem empréstimos a seus clientes para as mais diversas finalidades: aquisição de um imóvel, carro ou a compra de uma empresa, por exemplo.

Mas para isso, o banco precisa de recursos e uma das maneiras que ele dispõe para consegui-lo é vendendo títulos de crédito, como a LCI. Ou seja, ele faz um empréstimo com investidores para ter esse dinheiro. A taxa de juros desse empréstimo é inferior à cobrada de seus clientes, por isso a transição gera lucro.

Essa concessão, que ocorre entre uma instituição financeira e um investidor, é firmado por meio de um contrato em que detalha a taxa de juros a ser paga e o prazo de pagamento. Quando se trata do LCI, o investidor estará aplicando seu dinheiro no banco para que ele seja usado especificamente no setor imobiliário.

Aplicação mínima e prazos

A Letra de Crédito Imobiliário possui um valor mínimo de aplicação que varia de instituição para instituição. Em algumas, a prática mínima é de R$ 500 em outras R$ 50.000. Normalmente os títulos desse tipo exigem um valor de R$ 5.000 ou R$ 10.000.

Assine nossa newsletter e receba por e-mail as principais notícias e dicas.
Fique tranquilo, não enviamos SPAM.

É considerado também o prazo de carência, ou seja, o período mínimo que o investidor precisará deixar o dinheiro aplicado, tempo em que não poderá resgatar o valor sem que haja perda da rentabilidade.

O prazo estipulado pelo Conselho Monetário Nacional (CMN) é de 90 dias. Após este período, o título passa a ter liquidez diária, sendo comum encontrar LCIs com prazo de vencimento de 1, 2 ou 3 anos. Mesmo assim, é possível encontrar opções que podem chegar a 10 anos.

Rentabilidade e tributação

As Letras de Crédito Imobiliário podem ser de três tipos: prefixadas, pós-fixadas ou híbridas.

  • Prefixado: o investidor tem ciência do valor exato que receberá na data de vencimento do título. Isso porque a taxa de juros é fixa e definida no momento da aplicação.
  • Pós-fixado: o investidor descobre o valor que irá receber somente no final do investimento, mas consegue ter uma ideia antecipada de sua rentabilidade, porque o retorno é interligado a um indicador financeiro, como por exemplo o Certificados de Depósitos Interbancários (CDI).
  • Híbrido: junção das duas modalidades (Prefixado e Pós-fixado), tem a taxa preestabelecida acrescida da variação de um indexador, como o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).

No mercado é comum encontrar a Letra de Crédito Imobiliário com rentabilidade pós-fixada atrelada ao CDI. Apesar de a rentabilidade alterar de um título para outro, a tributação (Imposto de Renda e Imposto sobre Operações Financeiras – IOF) é isenta para todas as pessoas físicas, o que torna a opção de investimento interessante.

AVALIAR ESSE ARTIGO
Você precisa estar logado para comentar.
Faça o login


Notícias relacionadas