Indicadores Estadão Imóveis
FIPEZAP: 
0.64%
ICON: 
0.45%
IGP-M: 
0.66%
INCC: 
0.46%
PMI: 
16.2%
IMÓVEIS

Buscando sugestões para:


Página inicial / Casa Verde e Amarela & Programas Habitacionais / O que é e para que serve o Cadastro Único do Governo Federal

O que é e para que serve o Cadastro Único do Governo Federal

Instrumento informa sobre a realidade socioeconômica da população e colabora para a estruturação dos programas habitacionais


Da Redação

03/12/2020 - 2 minutos de leitura


Para o Responsável pela Unidade Familiar (RF) é obrigatória a apresentação do CPF ou do título de eleitor/ Foto: Getty Images
Assine nossa newsletter e receba por e-mail as principais notícias e dicas.
Fique tranquilo, não enviamos SPAM.

O Cadastro Único de programas sociais para selecionar beneficiários elegíveis ao Minha Casa Minha Vida e Casa Verde e Amarela foi criado pelo Governo Federal para identificar e caracterizar as famílias de baixa renda. Nele são registradas informações como: características da residência, identificação de cada pessoa, escolaridade, situação de trabalho e renda, entre outras.


A execução do instrumento é de responsabilidade do Poder Executivo, dos Estados e dos municípios, de forma compartilhada. Em nível nacional, o Ministério do Desenvolvimento Social (MDS) é o gestor responsável e a Caixa Econômica Federal é o agente operador que mantém o Sistema de Cadastro Único.

O Cadastro Único está regulamentado pelo Decreto nº 6.135, de 26 de junho de 2007 e por outras normas.

  • Podem se inscrever no Cadastro Único:
  • Famílias com renda mensal de até meio salário mínimo por pessoa;
  • Famílias com renda mensal total de até três salários mínimos;
  • Famílias com renda maior que três salários mínimos, desde que o cadastramento esteja vinculado à inclusão em programas sociais nas três esferas do governo.
  • Pessoas que moram sozinhas;
  • Pessoas que vivem em situação de rua (sozinhas ou com a família);

Como se cadastrar?

Para se inscrever no Cadastro Único, é preciso que uma pessoa da família se responsabilize por prestar as informações de todos os membros para o entrevistador. Essa pessoa — chamada de Responsável pela Unidade Familiar (RF) — deve ter pelo menos 16 anos e, preferencialmente, ser mulher.

O Responsável Familiar é quem poderá garantir que as informações comunicadas durante a entrevista são verdadeiras, além de se comprometer a atualizar o cadastro sempre que houver mudanças na família. Segundo o MDS, quem assumir esta função deve procurar o setor responsável pelo Cadastro Único ou pelo Bolsa Família na cidade em que mora. Se não souber onde fica o local de cadastramento, pode buscar essa orientação no Centro de Referência de Assistência Social (Cras) mais próximo de sua casa. Em muitas localidades, o próprio Cras realiza o cadastramento das famílias.

Documentos obrigatórios:

Para o Responsável pela Unidade Familiar (RF) é obrigatória a apresentação do CPF ou do título de eleitor.

As exceções são as famílias indígenas e quilombolas:

  • O RF da família indígena pode apresentar o CPF, o título de eleitor, mas também o Registro Administrativo de Nascimento Indígena (RANI) ou outros documentos de identificação como certidão de casamento, RG e carteira de trabalho;
  • O RF da família quilombola pode apresentar o CPF, o título de eleitor ou outros documentos de identificação como certidão de nascimento, certidão de casamento, RG ou carteira de trabalho.
  • Para as outras pessoas da família, é obrigatória a apresentação de qualquer um destes documentos de identificação: certidão de nascimento, certidão de casamento, CPF, carteira de identidade (RG), carteira de trabalho ou título de eleitor.

AVALIAR ESSE ARTIGO
Você precisa estar logado para comentar.
Faça o login


Notícias relacionadas