Notícias

Obra de megacomplexo de luxo em SP cria teatro subterrâneo dentro de antigo hospital; veja detalhes

Cidade Matarazzo usa engenharia inovadora para manter patrimônio tombado e escavar novos pavimentos; francês quer trazer 20 milhões de visitantes por ano para região da Avenida Paulista

Por: Priscila Mengue, O Estado de S. Paulo 26/09/2022 2 minutos de leitura
predio-imobiliario-bilionario
Os planos são de concluir todo o megaempreendimento bilionário até o fim de 2023/ Crédito: Getty Images

Publicidade

Após sustentar uma capela tombada a 31 metros de altura, o megacomplexo de luxo Cidade Matarazzo volta a chamar a atenção por uma obra de engenharia. Os trabalhos desta vez são nos blocos do antigo Hospital Umberto I, em que pilares a metros de profundidade e outros reforços têm permitido o restauro das fachadas e do telhado simultaneamente às escavações de subsolos e à demolição da estrutura interna.

O destaque da nova fase do megacomplexo de luxo será o teatro subterrâneo, com 17 metros de altura. Os planos são de concluir todo o megaempreendimento bilionário até o fim de 2023, com dois hotéis, escritórios, capela, gastronomia variada, dezenas de lojas de luxo, spa e um centro de artes e criatividade.

Tudo a duas quadras da Avenida Paulista, em conjunto com um boulevard – cuja permissão de uso por 30 anos acabou de ser autorizada pela Prefeitura – e os Parques Trianon e Mário Covas e a Praça Alexandre de Gusmão, que seguem públicos, mas com gestão privada por 25 anos.

A meta é atrair 20 milhões de pessoas por ano, somando os espaços, o que significa uma média de quase 55 mil por dia. “Não tem qualquer equipamento turístico que conheço no Brasil que tenha a capacidade de fazer um número tão grande”, compara o idealizador do complexo, o empresário francês, Alexandre Allard. Para ele, a procura pelos já em funcionamento demonstra que estava certo em investir no que alguns chamavam de “o lado errado da Paulista (o da Bela Vista)”. “Todo mundo falava do maluco francês, apostava no momento que eu fosse desistir. E eu não desisti”, recorda-se.

Publicidade

Ao todo, a obra custa cerca de R$ 3 bilhões, dos quais 35% são referências à fase atual, que engloba os cinco blocos do antigo hospital. “Existe uma complexidade talvez nunca feita no Brasil”, diz o engenheiro George Sallum, diretor técnico do complexo.

Além de aproveitar a estrutura existente, o projeto também envolve expansões. Como a maior parte do complexo envolve construções tombadas, a alternativa encontrada foi crescer abaixo do nível do solo. E não somente para estacionamento, mas também para centro de convenções, cinema, lojas, restaurantes, depósito, área técnica e até uma “dark kitchen” (cozinha exclusiva para delivery) de alta gastronomia.

Esta matéria foi publicada antes em:
https://www.estadao.com.br/sao-paulo/obra-de-em-sp-cria-teatro-subterraneo-dentro-de-antigo-hospital-veja-detalhes/

NEWSLETTER
IMÓVEIS

Inscreva-se e receba notícias atualizadas do mercado de imóveis

Confira nossas

WEBSTORIES

Notícias relacionadas

Imagem destacada

Saiba quais são as cidades com o aluguel mais caro do Brasil

2 minutos de leitura
Imagem destacada

Vale a pena financiar um imóvel com a alta dos juros?

2 minutos de leitura
Imagem destacada

Incorporadoras investem em experiências imersivas para impulsionar vendas

2 minutos de leitura
Imagem destacada

Vendas de moradias usadas nos EUA caem em agosto

1 minuto de leitura