Notícias

O peso do aluguel: Brasil tem mais de 6 milhões de domicílios em déficit habitacional

Número representa um aumento de 4,2% na comparação com 2019, segundo estudo

Por: Redação, Estadão Imóveis 25/04/2024 2 minutos de leitura
deficit-habitacional
Impacto do aluguel na renda das famílias contribui para cenário desafiador/ Crédito: Cenas brasileiras/AdobeStock

Publicidade

O Brasil tem 6,2 milhões de domicílios em déficit habitacional, de acordo com um estudo da Fundação João Pinheiro (FJP), em parceria com a Secretaria Nacional de Habitação do Ministério das Cidades. O número representa 8,3% do total de habitações ocupadas no país e simboliza um aumento de 4,2% em comparação a 2019. 

Mulheres, pessoas negras e/ou pessoas que se encaixam na faixa 1 do Minha Casa, Minha Vida são os maiores responsáveis pelo déficit habitacional no Brasil/ Crédito: Fundação João Pinheiro

As residências rotuladas no déficit habitacional são aquelas com um certo nível de precariedade, lares em que há coabitação ou casas em que os moradores recebem até 3 salários e despendem mais de 30% da renda com aluguel. Este último item é, aliás, o principal responsável pelo déficit no Brasil.

+ 5 dicas para economizar na hora de escolher um aluguel

Segundo o levantamento, 52,2% dos imóveis (3,2 milhões) classificados em déficit habitacional são por conta do ônus excessivo com o aluguel. Enquanto isso, a habitação precária é responsável por 27,1% (1,6 mi) e a coabitação possui os outros 20,8% (1,2 mi). 

Publicidade

Mais de 3 milhões de domicílios no Brasil estão em déficit habitacional/ Crédito: Fundação João Pinheiro

Em entrevista à Agência Brasil, a diretora executiva da ONG Habitat para a Humanidade Brasil, Socorro Leite, afirma que a pandemia e a falta de políticas públicas contribuíram para o cenário alarmante.

“A gente teve um período recente sem política pública de moradia, houve a crise sanitária e econômica, muitas famílias ficaram sem renda. Precisamos de política pública continuada com aumento de renda, além de ter investimento em infraestrutura das casas”, defende.

De acordo com o levantamento, inclusive, 74,5% das moradias em déficit habitacional são lideradas por famílias com uma renda de até R$ 2.640,00, ou seja, enquadradas dentro da Faixa 1 do programa Minha Casa, Minha Vida. 

+ O que você precisa saber sobre o novo Minha Casa, Minha Vida

Publicidade

Déficit habitacional por região

O Sudeste é a região do Brasil com o maior número de domicílios com déficit habitacional. São 2.433.642  moradias classificadas desta forma. Em seguida, aparecem o Nordeste, com 1.761.032; a região Norte, com 773.329; e, por último, a região Sul, com 737.626 residências. 

O estudo também mostra que 62,6% (3.892.995) estão sob a responsabilidade de mulheres. E, com exceção da região Sul, as pessoas negras são a maioria à frente de imóveis deste tipo no Brasil.

NEWSLETTER
IMÓVEIS

Inscreva-se e receba notícias atualizadas do mercado de imóveis

Confira nossas

WEBSTORIES

Notícias relacionadas

Imagem destacada

Conheça os valores para entrar no Casa Verde e Amarela pela Caixa

2 minutos de leitura
Imagem destacada

Como identificar golpes ao alugar imóvel no carnaval

2 minutos de leitura
Imagem destacada

Convenção Secovi-SP 2023: mudanças no MCMV agradam mercado

2 minutos de leitura
Imagem destacada

Quais animais se adaptam melhor a apartamentos pequenos?

9 minutos de leitura