Escolher um novo modelo de piso para o lar exige pesquisa. Tudo deve ser levado em conta na hora de encontrar o tipo ideal para garantir um ambiente bonito, prático e funcional no dia a dia. De acordo com Fran Acosta, designer de interiores do escritório de decoração Arte e Bom Gosto, o mais importante é pensar nas áreas presentes na residência e optar pelo mais adequado. A profissional destaca dois perfis: a área seca e a molhada. “Grosso modo, varandas, salas, quartos e corredores são considerados áreas secas. Já as áreas molhadas são a cozinha, quintal, banheiro e área de serviço”, explica ela.

Para áreas molhadas, o modelo de piso escolhido não pode absorver água, ou seja, eles devem ser “pisos frios”, como, por exemplo, o porcelanato, a cerâmica ou a pedra. O porcelanato está na lista dos pisos mais escolhidos. Isso porque o produto apresenta características como a coloração uniforme e o brilho, que são incomparáveis. Além disso, esse tipo de material tem alta resistência, é muito difícil se desgastar naturalmente. No caso da cerâmica, ela tem como característica a variedade de modelos e preço acessível. Segundo a especialista, a manutenção da cerâmica é muito fácil, o que é considerado um critério importante para muitos consumidores.

Porcelanato apresenta características como a coloração uniforme e o brilho/ Foto: GettyImages

Já as pedras ornamentais são uma excelente opção para quem deseja um piso que faça brilhar os olhos de qualquer visitante. “Esse material se adapta perfeitamente tanto a ambientes internos como externos, oferece proteção incomparável e ainda tem manutenção fácil”, evidencia Fran. Porém, são necessários alguns cuidados na escolha da pedra. É preciso verificar o índice de absorção de água e os procedimentos para manutenção. Além disso, você não deve usar o mesmo modelo de pedra na piscina e no seu quarto, por exemplo. “Mais uma dica: na hora de decidir o tamanho do piso, opte pelas placas maiores, pois elas ampliam o ambiente e o deixam mais prático, facilitando na hora da limpeza.”

Nas áreas secas você também pode colocar o piso frio e usar truques para aquecer, como tapetes. E ainda de quebra, o tecido ajuda a trazer sensação de intimidade e aconchego. “Outra pedida para áreas secas é o mármore. Ele é muito elegante e tem personalidade, mas não é indicado para locais com muito trânsito de pessoas, pois sua vulnerabilidade abre espaço para manchas, devido à porosidade”, comenta a designer.

Queridinho da vez

Assine nossa newsletter e receba por e-mail as principais notícias e dicas.
Fique tranquilo, não enviamos SPAM.
Quero me cadastrar para receber informações relevantes por e-mail. Fique tranquilo, não fazemos SPAM.

Os assoalhos e tacos de madeira são os “queridinhos da vez”. Existem diversas espécies de madeiras utilizadas na fabricação de pisos. As mais comuns para esta finalidade são: carvalho, cumaru, sucupira, ipê, amendoim, jatobá, muiracatiara, tuari, cabreúva, amêndola, guaiuvira, marfim, peroba e teca. Na hora da escolha, vale a regra: quanto mais clara a madeira, mais macia. Quanto mais escura, mais dura.

Segundo Fran, “a cada dia que passa os pisos de madeira ganham mais espaço nos lares brasileiros. São perfeitos para quem adora conforto e ficar com o pé no chão. Como sugestão, indico o piso laminado. E acredite: vale a pena colocar aquele tapete para deixar o cômodo ainda mais aconchegante”.

Novidade

O piso vinílico é uma opção para quem quer repaginar a casa sem quebra-quebra/ Foto: GettyImages

O piso vinílico é uma opção para quem quer renovar sem ter muito trabalho e, principalmente, sem quebradeira. Suas texturas podem simular madeiras ou pedras com tons dos mais clarinhos até os mais escuros. Se a preferência for por algo mais moderno, ele pode resultar em um chão lisinho, com diversas cores como opções, mas é próprio para as áreas secas. “Em meus projetos utilizo principalmente o piso vinílico, pela facilidade de aplicação e manutenção no dia a dia, além de trazer cores modernas, como o cimento queimado.”

Garagem

“Essa é uma dúvida de muitas pessoas. O ideal para garagem, tanto aberta como fechada, é o porcelanato acetinado, que não risca e não mancha com facilidade, mesmo com alto fluxo de pessoas”, conclui a designer.