Voltar
IMÓVEIS

Buscando sugestões para:


Página inicial / Investir em Imóveis / Saiba como elaborar uma procuração para venda de imóvel

Saiba como elaborar uma procuração para venda de imóvel

Entenda para que serve o documento e quais as informações que não podem faltar

  • (3.0)

Da Redação

09/04/2020 - 2 minutos de leitura


Após a elaboração, a via original fica no arquivo do tabelião para que terceiros possam comprovar sua autenticidade e retirar cópias da escritura/ Foto: Getty Images

A procuração é um dos documentos que mais geram dúvidas para os proprietários. De acordo com o Código Civil, Art. 653, o documento autoriza uma determinada pessoa, escolhida pelo dono do bem, a representá-la, por exemplo, na situação de venda do imóvel. A escritura pode ser pública ou particular, mas, para ter valor legal, no caso de imóveis deve ser pública, já que a procuração particular não fica registrada em livro do Cartório de Notas. Um grande benefício deste registro público é a possibilidade de solicitar uma 2ª via da Certidão de Procuração sempre que precisar.

Leia mais:
Como preparar um imóvel para a venda?
Aluguel residencial cresce e venda de imóveis usados cai em SP
Posso vender ou alugar uma casa financiada pelo Minha Casa Minha Vida?

Além disso, o documento deve ser elaborado em tabelionato de notas e ter “conteúdo detalhado”,  com informações gerais das características e de uso do instrumento para evitar transtornos. Após a elaboração, a via original fica no arquivo do tabelião para que terceiros possam comprovar sua autenticidade e retirar cópias da escritura.

Irrestritos x Especificado

É preciso ficar atento ainda ao tipo de documento, já que a procuração com “poderes gerais e irrestritos” não serve para venda de imóvel não especificado, uma vez que não atende o requisito de especialidade exigido pelo Código Civil. Sendo assim, de acordo com o Art. 661, o mandato em termos gerais só confere poderes de administração, como descrito no parágrafo 1º, “para alienar, hipotecar, transigir ou praticar quaisquer atos que exorbitem da administração ordinária, depende a procuração de poderes especiais e expressos”. Somente será possível a comercialização do bem, se o procurador tiver uma declaração de “poderes especiais e expressos”, incluindo a descrição específica , como informações gerais do instrumento e o que, para quem e até quando será concedida a procuração do bem para o qual a escritura se destina.

Assine nossa newsletter e receba por e-mail as principais notícias e dicas.
Fique tranquilo, não enviamos SPAM.
Quero me cadastrar para receber informações relevantes por e-mail. Fique tranquilo, não fazemos SPAM.

Como elaborar

Este documento deverá especificar tanto os dados do imóvel em questão quanto os poderes que estão sendo cedidos. Uma vez tendo a posse do documento, o procurador será o representante do proprietário em todos os órgãos e poderá realizar os atos necessários para realização da venda em questão.

Outro fator válido de mencionar é que a procuração não tem data de validade, por isso é essencial a especificação quanto ao seu conteúdo para não gerar interpretações duvidosas, como uma procuração vitalícia, por exemplo. Portanto, é de extrema importância especificar o limite dos poderes concedidos pelo outorgante para sua maior segurança. Dependendo da data de elaboração do documento, é solicitada a certidão original atualizada da procuração.

AVALIAR ESSE ARTIGO
Você precisa estar logado para comentar.
Faça o login


Notícias relacionadas