Voltar
IMÓVEIS

Buscando sugestões para:


Página inicial / Notícias / O que fazer após quitar o financiamento imobiliário da Caixa?

O que fazer após quitar o financiamento imobiliário da Caixa?

Trocar de imóvel ou permanecer? Antes de sair por aí visitando unidades maiores à venda é preciso atenção e planejamento


Da Redação

04/05/2020 - 3 minutos de leitura


Faça orçamentos antes de tomar a decisão, avalie todos os possíveis gastos, seja em relação à variação do local ou de uma reforma/ Foto: Getty Images

A resposta para a questão não é tão simples. Trocar de casa ou permanecer em um imóvel já virou até tema de reality show, como no programa “Irmãos à Obra” (Property Brothers), protagonizado pelos gêmeos idênticos Drew e Jonathan Scott, transmitido no Brasil pelo canal Discovery Home & Health. Da mesma emissora, o programa “Ame-a ou Deixe-a” faz sucesso devido ao dilema comum dos participantes sobre como tomar essa decisão.

Leia mais:
Mofo na parede e goteiras: os vilões da infiltração
Startups põem reforma e decoração ao alcance do celular
Quais são os tipos de financiamento imobiliário mais vantajosos para investidores?

O presidente do Sindicato da Habitação de São Paulo (Secovi-SP), Basilio Jafet, diz que o mais importante é conhecer a própria necessidade. “Após saldar a dívida, a escolha entre permanecer na unidade paga ou trocar por outra maior é uma questão pessoal. Deve-se analisar caso a caso. Hoje, as pessoas têm gostos variados e as decisões devem ser tomadas com base nisso e de acordo com a capacidade financeira de cada um. Os riscos das escolhas devem ser analisados antes da tomada de decisão e os agentes financeiros fazem essas análises de risco.”

Passo a passo

Defina os motivos

Antes de cogitar a troca de um imóvel, é importante ter, bem claro, os reais motivos desse desejo e pontuar sobre essa decisão, se ela é realmente uma opção válida. Confira um exemplo:

Motivo – Quero vender o apartamento para investir em um bem em outro região ou mais amplo

Questionamentos – Investir em uma moradia melhor não apresenta mais custos? Como por exemplo, taxa de condomínio mais elevada, despesas com a mudança, eventual dificuldade de negociar o bem atual, reformas, investimento em móveis, adaptações na rotina da família.

Faça essa dinâmica para todos os fatores plausíveis e consideráveis para a transformação, seja uma mudança de cidade, bairro, opção de apartamento melhor ou qualquer outra razão.

Geralmente, durante este processo, a pessoa menos interessada tende a sabotar este exercício. Neste caso, seria interessante realizar a etapa com familiares e pessoas que serão impactadas diretamente pela modificação.

Assine nossa newsletter e receba por e-mail as principais notícias e dicas.
Fique tranquilo, não enviamos SPAM.
Quero me cadastrar para receber informações relevantes por e-mail. Fique tranquilo, não fazemos SPAM.

Faça orçamentos

Antes de tomar a decisão, avalie todos os possíveis gastos, seja em relação à variação do local ou de uma reforma. Considere todos os mínimos aspectos e adicione um percentual de 10% para imprevistos.

Calcule valores relacionados à documentação, trâmites legais, carreto e todos os aspectos, dos mais relevantes até os mínimos. Somado a isso, dimensione o esforço necessário para isto, seja dias de afastamento do trabalho, até período de férias, dentre outros comprometimentos pessoais.

Após realizar todos os orçamentos, volte a calcular, desta vez com outra opção ou proposta. Essa questão pode ser algo próximo ao “Irmãos à Obra”, ou seja, uma reforma. No entanto, esta opção também pode ser uma compensação de lazer, como adquirir outro imóvel de temporada, sítio, casa de praia, dentre outros.

Discuta as opções

Por fim, diante de todas as possibilidades, com todos os gastos e investimentos devidamente calculados, discuta com familiares que serão mais impactados com a decisão.

Tenha em mente o que esta determinação irá acarretar para você, se é realmente o momento ideal para realizar o movimento. Caso seja necessário, recorra a alguém fora da zona de interesse, para ter uma visão imparcial, seja um amigo, colega, psicólogo ou qualquer indivíduo que enxergue as possibilidades sem tomar algum partido.

“Existem vários tipos de investimentos no mercado financeiro e todos eles têm os seus riscos. Cabe à pessoa avaliar e escolher o melhor investimento”, completa Jafet.

AVALIAR ESSE ARTIGO
Você precisa estar logado para comentar.
Faça o login


Notícias relacionadas