Voltar
IMÓVEIS

Buscando sugestões para:


Página inicial / Investir em Imóveis / O que é o INCC e como ele influencia os investimentos imobiliários?

O que é o INCC e como ele influencia os investimentos imobiliários?

O cálculo considera o custo de mão de obra, materiais, tecnologia, serviços e equipamentos fundamentais para a construção civil


Da Redação

09/06/2020 - 2 minutos de leitura


O Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) é o indicador que mede a alteração dos gastos dos imóveis habitacionais que estão em fase de construção. O valor dele tem influência sobre as prestações dos financiamentos e precisa ser incluído nos cálculos de quem está à procura de um imóvel novo.

Leia mais:
Taxa de evolução de obra: saiba o que é e por que ela é cobrada
O que é ITBI, como calcular e quem deve pagar esse imposto?
Tire suas dúvidas sobre o IPTU

Como o INCC funciona?

O cálculo é realizado mensalmente pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) e é usado no reajuste das parcelas do contrato de financiamento de imóveis comprados na planta. A primeira taxa, criada na década de 50 pela FGV e denominada como Índice de Custos da Construção (ICC), analisava somente a despesa no mercado de construção do Rio de Janeiro — capital federal naquele período.

No entanto, após 35 anos, a atividade econômica foi descentralizada e o Instituto Brasileiro de Economia da FGV (FGV-IBRE) iniciou o acompanhamento dos valores das obras em outras regiões. Com isso, a partir do avanço da tecnologia, o consumo de outras especialidades e de outros produtos que começaram a ser incorporados no mercado imobiliário também foi aplicado.

Atualmente, o cálculo considera o custo de mão de obra, materiais, tecnologia, serviços e equipamentos fundamentais para a construção civil em sete capitais do Brasil: Belo Horizonte, Brasília, Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro e São Paulo e Salvador.

Como o cálculo é feito?

O índice é formado pela média ponderada dos dados que são recolhidos nos sete municípios examinados, resultando em uma combinação do sistema de pesos com a série de preços.

Assine nossa newsletter e receba por e-mail as principais notícias e dicas.
Fique tranquilo, não enviamos SPAM.
Quero me cadastrar para receber informações relevantes por e-mail. Fique tranquilo, não fazemos SPAM.

Dentro dos fatores considerados pelo indicador, o desembolso com materiais é separado em três grupos: instalações, acabamentos e estruturas. E a FGV possui essas informações por meio de orçamentos de análise de organizações da engenharia civil.

Influência nos investimentos imobiliários

Quando se opta por investir em um imóvel em fase de obra, você não estará somente comprando o imóvel: estará financiando o empreendimento. O projeto está suscetível a mudanças no custo dos materiais que estão sendo utilizados ao longo de sua realização. Portanto, o INCC é utilizado para acertar o saldo devedor dessa etapa. Ou seja, se você iniciasse a edificação de uma casa, por exemplo, um orçamento seria antecipadamente definido e, dentro dele, haveria uma previsão do gasto dos materiais a serem utilizados.

Entretanto, no decorrer da obra, esse valor seria alterado e você teria que pagá-lo para poder finalizar a estruturação e é exatamente desse jeito que o Índice Nacional de Custo da Construção funciona. Logo, é importante salientar que o INCC não é uma modalidade de juros e não pode e nem deve ser cobrado dessa maneira. Se trata, basicamente, de uma correção monetária que ocorre de acordo com as variações oriundas dos valores dos materiais.

De acordo com Ana Maria Castelo, coordenadora de Projetos da Construção do FGV-IBRE, o INCC de maio registrou variação de 0,20%, passando a acumular em 12 meses 4,24%. “Se o adquirente do imóvel tivesse uma parcela de R$ 1.000 a vencer no início de junho (correção de 12 meses), essa prestação passaria para 1.042,40 e esse valor seria mantido por mais 12 meses.”

AVALIAR ESSE ARTIGO
Você precisa estar logado para comentar.
Faça o login


Notícias relacionadas