Voltar
IMÓVEIS

Buscando sugestões para:


Página inicial / Investir em Imóveis / Como as parcerias público-privadas afetam os investidores?

Como as parcerias público-privadas afetam os investidores?

Entenda os benefícios oferecidos pelos programas do governo junto às empresas interessadas e usuários finais dos serviços imobiliários


Da Redação

30/09/2020 - 2 minutos de leitura


A parceria acarreta valorização no entorno e consequentemente do mercado imobiliário/ Foto: Getty Images
Assine nossa newsletter e receba por e-mail as principais notícias e dicas.
Fique tranquilo, não enviamos SPAM.
Quero me cadastrar para receber informações relevantes por e-mail. Fique tranquilo, não fazemos SPAM.

Para aumentar o trânsito econômico na compra de imóveis e favorecer a população, existem algumas parcerias entre instituições particulares e públicas, as conhecidas PPP (Parceria Público Privada) da habitação. Para participar, a empresa ou empresário interessado deve primeiramente adquirir o edital da licitação e, em seguida, apresentar todos os documentos solicitados. Ganhará a licitação aquele que cumprir todas as exigências previstas no edital e oferecer o menor preço para a Administração Pública ou para o Contribuinte (usuário final dos serviços).

Leia mais:
Vale a pena investir em imóveis fora do Brasil?
“Atual cenário econômico provoca grande entusiasmo na construção civil”
Confira os termos e siglas mais usados no mercado imobiliário

Atualmente, esse modo de associação público-privada é amplamente utilizado nos mais variados setores. Na área de locomoção urbana, a Linha 4-Amarela do metrô de São Paulo é um exemplo de PPP entre o governo do Estado e a concessionária ViaQuatro (sendo esta parceria pertencente à modalidade patrocinada, uma vez que os usuários do metrô, comprando as passagens, custeiam parte do serviço).

A cooperação parece complexa, sobretudo na habitação, mas a advogada Daniela Araújo ajuda a desvendar os pontos mais questionados pelos interessados na aquisição de uma residência ou para quem deseja entender como funciona esse mecanismo.

Notoriamente as parcerias acarretam mudanças para as corporações, mercado de vendas e também para o consumidor. “Suas características trazem maior valorização para os empreendimentos. No setor imobiliário, as parcerias público-privadas são um atrativo para investidores, que podem formar Fundos Imobiliários com o Poder Público e alavancar investimentos em infraestrutura. Isso acarreta valorização no entorno e consequentemente do mercado imobiliário”, afirma a profissional do escritório Cerqueira Leite Advogados

Benefícios dessa união

É possível tirar proveito das iniciativas público-privadas na hora de investir em imóveis, já que o primeiro impactado é o consumidor. “As parcerias podem ser formadas com propósitos específicos, em especial para execução de obras de infraestrutura e serviços essenciais, fatores que são um atrativo para investidores interessados em formar fundos imobiliários para investimento em imóveis”, lembra.

Considerando as iniciativas público-privadas, os locais destinados ao comércio são os mais representativos. Eles possuem as melhores condições e, por isso, são os destaques na hora de investir. Para quem pretende aplicar seus recursos é essencial reconhecer seu próprio estilo como investidor. Com o perfil estruturado, é possível identificar o modelo mais indicado para aplicar e quais as margens de risco. Tal cálculo pode ser realizado com o auxílio de um consultor financeiro. “Esse tipo de atividade deve crescer ainda mais, devido ao período difícil gerado pelo novo coronavírus (Covid-19)”, constata.

AVALIAR ESSE ARTIGO
Você precisa estar logado para comentar.
Faça o login


Notícias relacionadas