Campo Grande

Campo Grande: de bairro industrial para residencial

Região está transformando terrenos onde funcionaram empresas e fábricas, décadas atrás, em áreas para construção de novos empreendimentos

Por: Redação, Estadão Imóveis 11/08/2022 4 minutos de leitura
rio-pinheiros
Com vocação industrial, o bairro foi ocupado por grandes empresas. Em paralelo, houve o avanço de moradias irregulares nas proximidades do rio Pinheiros/ Crédito: Getty Images

Publicidade

Campo Grande é um distrito da zona sul de São Paulo que integra a subprefeitura de Santo Amaro e faz divisa com os bairros do Socorro, Cidade Dutra, Cidade Ademar e Pedreira. Atualmente, passa por uma reformulação de seu espaço urbano, no qual terrenos e galpões de empresas industriais estão dando lugar a novos empreendimentos e condomínios residenciais – com versões populares, de classe média e até de alto padrão.

História

O nascimento do bairro como é conhecido hoje ocorreu a partir do interesse da Companhia City, uma empresa que contribuiu em projetos de urbanização de vários bairros paulistanos ao longo do século 20. A Companhia City batizou a região de Campo Grande e em 1953 realizou a solicitação de urbanização do bairro. No ano seguinte, iniciou-se o loteamento residencial. O projeto original previa que o loteamento dessa forma a bairros de médio e alto padrão, a exemplo de outros empreendimentos que a empresa liderou, caso do Alto da Lapa, por exemplo.

Contudo, o bairro cresceu com vocação industrial: nas décadas seguintes foi ocupado por grandes empresas, com fábricas e galpões. Somou-se a isso o avanço de ocupações de moradias irregulares, sobretudo nas proximidades do rio Pinheiros.

A partir da década de 1990, houve uma reversão neste fenômeno. As indústrias deram lugar a novos empreendimentos do setor de serviços, caso do Shopping SP Market, por exemplo. Ao mesmo tempo, houve a valorização da sub-região conhecida como Jardim Marajoara, à margem do Corredor Norte-Sul, que se estabeleceu com características de alto padrão.

Publicidade

Quanto custa para morar

Campo Grande era uma região com forte presença industrial. Porém, muitas dessas empresas foram desativadas ou estão em processo disponibilização para construção. O setor imobiliário está aproveitando esse momento para construção de prédios, casas e condomínios. Bom para quem busca um lugar para se investir em casas de aluguel.

O metro quadrado na Campo Grande tem preço médio na venda de R$3.656,12m² a 6,447,06m² para casas e apartamentos. Já para locação, o preço médio é de R$6,80m² a R$46,69m². Os valores são baseados em casas a partir de dois cômodos a apartamentos de dois dormitórios, segundo dados do CRECI-SP.

Mobilidade

Passam por Campo Grande diversas linhas de ônibus municipais e intermunicipais que ligam o bairro a outras regiões de São Paulo e a cidades vizinhas. O bairro possui também estação de trem da CPTM Jurubatuba, que integra a Linha 9-Esmeralda, com conexão às linhas de metrô 5-Lilás e 4-Amarela. Para quem pensa em morar ou mesmo investir no bairro com variedade de opções de transporte público com diversas vias, Campo Grande pode ser uma boa opção.

Lazer

O bairro possui dois grandes shoppings nas proximidades: o Interlagos e o SP Market, onde está localizado o Parque da Mônica, que foi inaugurado em 1997 como Parque do Gugu e, posteriormente, foi também Mundo da Xuxa.

Publicidade

O futebol de várzea faz parte do lazer dos moradores. Campo Grande conta com três conhecidos times da várzea de São Paulo: Grêmio Campo Grande, o Vila Anhanguera e o Estrela e possui vários espaços para a prática de esportes, entre eles o IPACE- PUC, o CDC Jurubatuba, o Campo Maria Felizarda, o CDC Estrela, o CDC Mini Centro Campo Grande e CDC Bola Preta.

Para diversão em família, a região conta com dois restaurantes temáticos: o Mundo Animal, que serve petiscos e tem apresentações infantis inspirados em animais da selva em vários horários do dia; e o Magia e Bruxaria, com menu de lanchonete e ambiente totalmente caracterizado com o tema Harry Potter, onde acontecem também pequenas apresentações e interações com personagens.

Já para os adultos, dois bares fazem sucesso em Campo Grande: o Kombuca Bar, com estrutura ao ar livre e shows ao vivo; e o Vila Paulistânia, também com música ao vivo e carta com grande variedade de cervejas artesanais.

Educação

O distrito de Campo Grande tem uma ampla gama de instituições de ensino. Entre os colégios particulares estão o Alicerce, o Brasil Objetivo, o Magister e o tradicional Santa Maria. Entre as escolas públicas, destacam-se a EMEF Prof. Laerte Ramos de Carvalho e a EE Ibrahim Nobre.

Publicidade

O principal destaque, no entanto, é o Centro Universitário Senac Santo Amaro, na sub-região de Jurubatuba: o campus é aberto à comunidade e a instituição de ensino tem cursos de graduação, pós-graduação e extensão.

Saúde e serviços

São várias opções de serviços e comércios e grandes redes de supermercados e atacados. A região também tem lojas de ruas bem diversificadas, além de pet shops, acadêmicas e agências dos principais bancos e concessionárias de carros.

Já na área da saúde, os moradores encontram atendimento público na UBS Campo Grande, clínicas médicas e odontológicas, laboratórios e hospitais, como o Hospital e Maternidade Vida’s e o Hospital Geral de Pedreira.

Ficam também na região dois grandes cemitérios de São Paulo: o Cemitério Congonhas e o Cemitério do Campo Grande.

Publicidade

NEWSLETTER
IMÓVEIS

Inscreva-se e receba notícias atualizadas do mercado de imóveis

Notícias relacionadas

Imagem destacada

Top Imobiliário 2021: Lopes acelera atuação digital

3 minutos de leitura
Imagem destacada

Brasileiros preferem adquirir imóveis usados em relação aos lançamentos

2 minutos de leitura
Imagem destacada

Por que imóveis em SP estão cada vez menores? E como é viver nesses apartamentos pequenos?

3 minutos de leitura
Imagem destacada

Aprenda a usar a cor azul tiffany na decoração da sua casa

2 minutos de leitura