Voltar
IMÓVEIS

Buscando sugestões para:


Página inicial / Guia de Bairros / Brasilândia: 21 km² de trabalho e cultura

Brasilândia: 21 km² de trabalho e cultura

Território que recebeu um grande fluxo de migrantes em busca de oportunidade de emprego na capital é palco da tradicional escola de samba, Rosas de Ouro, e de outras iniciativas artísticas


Da Redação

05/08/2020 - 3 minutos de leitura


O bairro já foi enredo do carnaval da escola Rosas de Ouro, cujo título foi "História da Vila Brasilândia"/ Foto: Getty Images

Na década de 30, alguns sítios e chácaras de cana de açúcar da zona norte de São Paulo foram transformados em núcleos residenciais. O crescimento de sua ocupação veio a formar o bairro Brasilândia. Na época, o comerciante Brasílio Simões liderou a comunidade para a construção da Igreja de Santo Antônio, em substituição à uma antiga capela. Por isso, o lojista teve o seu nome empregado na denominação do distrito, em reconhecimento ao feito.

Leia mais:
Mandaqui: tranquilidade e muita área verde
Casa Verde: bairro das tradicionais escolas de samba da zona norte
Tucuruvi: tranquilidade e comodidade em um único lugar

O território também recebeu um grande fluxo de migrantes do nordeste do País, que fugiam da seca em seus Estados nas décadas de 50 e 60, além de famílias vindas do interior em busca de oportunidades de trabalho na capital.

A Brasilândia foi loteada em 1946 pela família Bonilha, que era proprietária de uma grande olaria na região. Embora não fossem dotados de qualquer infraestrutura, os terrenos eram adquiridos com grande facilidade de pagamento, inclusive com a doação de tijolos para estimular a construção das casas. Outro elemento incentivador da ocupação da região foi a chegada da empresa pedreira Vega-Sopave que, ao instalar sua sede na Brasilândia, oferecia moradia a seus empregados, o que trouxe um considerável número de famílias para o local.

Segundo o Censo 2010, o distrito com 21 quilômetros quadrados (km²) é atualmente o sétimo mais populoso da capital, com cerca de 280 mil moradores, dos quais 7.610 vivem em áreas consideradas rurais.

Preço

De acordo com a Pesquisa de Mercado da Capital do Conselho Regional de Corretores de Imóveis (Creci-SP), o preço médio por metro quadrado (m²) no bairro da Brasilândia é de R$ 5.042,93 na compra. Já o valor médio do aluguel de casas com um dormitório é de R$ 1.176,67 e de apartamento é de R$ 1.019,23.

Mobilidade

Ainda não tem estações de metrô ou de trem na Brasilândia. Há uma estação com o nome do bairro em construção pela linha 6-Laranja. O melhor jeito de chegar à região é por meio do Terminal Vila Nova Cachoerinha e pelas estações de trem vizinhas: Lapa e Piqueri (linha 7-Rubi).

Educação

A região acomoda diversas opções de ensino, como a Escola Estadual Professor Jair Toledo Xavier, a Escola Estadual Martin Egídio Damy, o Colégio Rodhum e o Centro de Educação Infantil (CEI) Vila Brasilândia.

Assine nossa newsletter e receba por e-mail as principais notícias e dicas.
Fique tranquilo, não enviamos SPAM.
Quero me cadastrar para receber informações relevantes por e-mail. Fique tranquilo, não fazemos SPAM.

Saúde

A Brasilândia é atendida pelo Hospital Penteado, Pronto-Socorro Municipal 21 de Junho, o Ambulatório de Especialidades Freguesia do Ó, o Hospital Dia da Rede Hora Certa e a Unidade Básica de Saúde Vila Ramos.

Lazer

O Largo da Matriz é ponto de encontro dos moradores da Brasilândia. Inclusive, ali é o local onde as tradicionais festas religiosas são realizadas todos os anos, como a Festa do Divino, que acontece 50 dias após a Páscoa; a Festa do Assentamento da Cruz, em maio; além da Feira das Nações, que traz a cultura de diversas partes do mundo por meio de apresentações artísticas e da gastronomia.

Fica no Largo também a Casa de Cultura Salvador Ligabue, que é palco de shows e exposições. Nessa linha, conta também com a Casa de Cultura Brasilândia, que oferece atividades como capoeira, dança do ventre, projeto samba do gongo, samba rock e artesanato.

Para quem vive na região e gosta de praticar exercícios ou ter contato com a natureza, a Praça do Cruzeiro é uma opção. Dá para caminhar ou correr, além de andar de skate, brincar no playground e jogar dominó junto com os moradores da terceira idade, que frequentam o lugar durante o dia. Tem também o Clube da Comunidade Clipper, ou CDC Curtiball, que oferece atividades esportivas e recreativas, com quadra poliesportiva, campo de futebol, aulas de judô, muay thai, boxe, capoeira, entre outras.

Próximo dali também está uma das mais tradicionais e antigas escolas de samba de São Paulo: a Rosas de Ouro. Em 1971, o bairro foi enredo do carnaval da escola, cujo título foi “História da Vila Brasilândia”.

Gastronomia

A Brasilândia oferece um grande leque de possibilidades gastronômicas, como o Restaurante Baião.com (Rua Eurides Bueno, 92) e suas diversas opções de pratos típicos nordestinos. A Pizzaria Casa Velha (Rua Parapuã, 1203A) é ideal para os apreciadores de massa. Para quem quer variar, o Brasa Burger (Rua Parapuã, 1551) e o Ben Aky Comida Japonesa (Avenida Itaberaba, 2805) oferecem cardápio especializado.

AVALIAR ESSE ARTIGO
Você precisa estar logado para comentar.
Faça o login


Notícias relacionadas