Decoração, reforma e construção

Muxarabi: uma solução para deixar a luz natural entrar em casa

A solução foi criada pelos árabes e chegou no Brasil em 1530 por meio dos colonizadores portugueses

Por: Da Redação 30/09/2020 2 minutos de leitura
A técnica pode oferecer transparência, entrada de luz, ventilação ou privacidade/ Foto: Getty Images

Publicidade

Deixar que a luz natural entre dentro de casa pode ser a melhor atitude para melhorar a sensação de bem-estar no lar. O muxarabi, espécie de treliça de madeira encaixada do chão ao teto pode ser uma boa opção para aproveitar a claridade e ainda criar bonitos desenhos luminosos no chão ou nas paredes.

A solução foi criada pelos árabes para proteger as mulheres dos olhares masculinos e trazer conforto térmico, filtrando a luz solar incidente, e o recurso chegou ao Brasil em 1530 por meio dos colonizadores portugueses.

Com ele, os ambientes ficam parcialmente fechados, de modo que quem está dentro da casa consegue ter visão da parte externa, mas quem está fora não consegue enxergar dentro do imóvel.

“Existem prédios de 60, 70 anos, que têm um muxarabi na fachada, nas janelas, no painel e estão intactos ainda, não apresentam problemas provocados pelo sol ou pela chuva”, explica o arquiteto Flavio Machado do Flavio Machado Arquitetura.

Publicidade

Segundo o profissional, existe tratamento a ser feito, mas é um material resistente, com muita durabilidade. “Por isso, além de ser bem bonito e poder ser trabalhado com infinitos desenhos, os arquitetos viram o quanto ele é resistente.”

Machado comenta ainda que estão sendo feitos hoje com vários materiais, como o ferro e alumínio. “Há portões recebendo muxarabi de alumínio cruzado, por exemplo, ou ripado em um único sentido. E o alumínio resiste ainda mais às intempéries. Há empresas se especializando em fazer isso”, afirma.

Dependendo da proporção, a técnica pode oferecer transparência, entrada de luz, ventilação ou privacidade – se a trama for mais fechada. E existem os mais abertos, com desenhos diferentes. É só saber usar.

“Virou até tendência em novelas. Há elementos vazados, ripados, que dividem salas. O muxarabi é uma referência de coisas antigas. O centro de São Paulo tem muitas referências de fachadas com a solução vazada.”

Publicidade

Vantagens e desvantagens

Privacidade, jogo de luz, resistência. “Trata-se de um material muito versátil e é possível criar coisas lindas com isso. As pessoas se inspiram até no Pinterest. A desvantagem é que não é um material barato”, conta Flavio. Outra desvantagem é a limpeza, dependendo de como ele é colocado: acumula pó. A régua trançada, sobreposta à outra, mostra cantos difíceis de limpar.

Com relação à manutenção, se está exposto ao tempo e é de madeira, é preciso envernizar – e o custo é alto. O muxarabi não empena nem entorta. Mas se tem madeira exposta tomando sol e chuva, é necessário envernizar periodicamente. Mas é preciso priorizar a qualidade. Há marcas de produtos usadas para envernizar que duram até cinco anos.

Vale contratar uma pessoa que saiba executar o trabalho, que não é simples nem barato. Existem empresas que são especializadas na execução da técnica, como a Cutter CNC e LaserLab. A obra precisa ser bem executada para que não aconteçam problemas no futuro.

NEWSLETTER
IMÓVEIS

Inscreva-se e receba notícias atualizadas do mercado de imóveis

Confira nossas

WEBSTORIES

Notícias relacionadas

Imagem destacada

4 bairros com a maior mobilidade urbana em São Paulo

1 minuto de leitura
Imagem destacada

Jaguaré: de vocação industrial a novo foco de crescimento urbano

4 minutos de leitura
Imagem destacada

Viver planeja expandir Solv, empresa que retoma obras paradas

2 minutos de leitura
Imagem destacada

Top Imobiliário: MRV faz seu maior volume de lançamentos em um 1º trimestre

3 minutos de leitura