Voltar
IMÓVEIS

Buscando sugestões para:


O Itau inovou para você ter mais crédito e pagar menos. QUERO SABER MAIS
O Itau inovou para você ter mais crédito e pagar menos. QUERO SABER MAIS
Decoração, reforma e construção

Página inicial / Decoração, reforma e construção / 4 erros mais comuns em reforma de apartamento

4 erros mais comuns em reforma de apartamento

Precisa transformar seu imóvel? Confira os principais descuidos que podem fazer a obra se tornar uma dor de cabeça


Da Redação

22/10/2020 - 2 minutos de leitura


Se o objetivo da obra do apartamento for a ampliação da área construída, será necessário procurar a prefeitura/ Foto: Getty Images
Assine nossa newsletter e receba por e-mail as principais notícias e dicas.
Fique tranquilo, não enviamos SPAM.
Quero me cadastrar para receber informações relevantes por e-mail. Fique tranquilo, não fazemos SPAM.

Quem mora em apartamento precisa sempre observar a boa convivência com os vizinhos. Por isso, pensar na segurança de todos deve ser preocupação constante. Atividades ou movimentações que incomodam ou colocam as suas vidas em risco têm regras e horários restritos para acontecer.


É o caso da realização de reformas. Às vezes, por serem pequenas intervenções, muitos moradores acabam realizando as obras sem comunicar ao síndico. E acabam recebendo reclamações, multas do condomínio e até autuações da prefeitura, no caso de intervenções que deveriam ser previamente autorizadas.

Para evitar que você tenha esses problemas, separamos os quatro erros mais comuns ao reformar apartamentos. Confira e fique atento:

1 – Fazer a reforma sem se atentar às regras do condomínio

Antes de iniciar as obras, é importante revisar as normas do condomínio. Muitos têm restrições quanto a mudanças da fachada ou cobertura da varanda, que geralmente são padronizadas. Também vale ficar atento aos dias e horários em que é permitido fazer a reforma, bem como às regras de utilização das áreas comuns para depósito dos entulhos, porque esses descuidos podem gerar multas por desordem e sujeira, respectivamente.

2- Ampliar sem pedir autorização da prefeitura

Se o objetivo da obra do apartamento for a ampliação da área construída, será necessário obter o Projeto Legal de Reforma com Ampliação concedido pela prefeitura do local em que se encontra o imóvel. Cada município tem as suas regras. Em São Paulo, por exemplo, a prefeitura disponibiliza orientações no Manual de Licenciamento de Projetos.

3 – Não seguir a Norma de Reformas da ABNT

A NBR 16.280:2015 foi criada para evitar episódios como o ocorrido no Rio de Janeiro, em 2012. Na ocasião, três prédios comerciais vizinhos desabaram: Liberdade, Colombo e Treze de Maio. As investigações apontaram que a causa da tragédia foi uma obra que estava sendo realizada em um dos edifícios e que tinha sido aprovada apenas pelo síndico do condomínio. Ou seja, a restauração não tinha um engenheiro responsável.

A partir da criação da Norma de Reformas da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), toda obra que altere ou comprometa a segurança da edificação ou do seu entorno deve ser feita com acompanhamento de um engenheiro, arquiteto ou urbanista e ter autorização do proprietário da edificação.

Para reparos em apartamentos dentro do prazo decadencial, ou seja, que tenham sido construídos recentemente e estejam na garantia, a responsabilidade pela análise deve ser da construtora ou incorporadora e do projetista que entregaram a edificação. A Norma de Reformas estabelece também toda a regulamentação que deve ser seguida antes, durante e depois de consertos.

4 – Abrir mão de projetar a reforma do apartamento

Pode parecer perda de tempo e mera formalidade elaborar o projeto de reforma, especialmente se a intervenção for simples. Mas esse momento gasto com planejamento pode render ganhos em rapidez de conclusão do reparo e menos dor de cabeça depois.

O projeto de reconstrução ajuda a identificar o tipo de intervenção construtiva a ser realizada. Com essa visão, é possível obter tudo o que precisa para fazer o reparo do apartamento, desde as autorizações necessárias até os tipos e quantidades de materiais que deve comprar, para não sobrar ou faltar.

AVALIAR ESSE ARTIGO
Você precisa estar logado para comentar.
Faça o login


Notícias relacionadas