Quando pensamos em reforma, logo vem à cabeça um ambiente repleto de material de construção, bagunça, barulho e uma preocupação: por onde eu começo? Para dar início com o pé direito, é preciso fechar alguns orçamentos, combinar prazos e contratar fornecedores. Atualmente, a NBR 16280/2014 – regulamentação que trata de reformas de edificações fixada pela Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) – obriga proprietários de apartamentos a informar ao síndico todos os detalhes sobre o plano de manutenção. A diretora do SPARQ Arquitetura, Brunaliza Almeida Firmino, aponta algumas dicas para evitar contratempos durante as obras.

Leia mais:
Entenda as etapas e sequência de uma obra
Entenda como funciona a alienação fiduciária
Reforma no apartamento: as regras da ABNT que devem ser seguidas

1) Planejamento

“Tenha em mente seu principal objetivo: reformar tudo ou um ambiente apenas? O próximo passo é a contratação do profissional habilitado. Ele deve te dar o planejamento da obra contemplando as etapas, bem como os prazos”, afirma Brunaliza. Ela aponta que na elaboração do projeto devem constar detalhes de todos os itens, como por exemplo, a planta de paginação de piso e de iluminação, mencionando a quantidade de pontos de luz.

O profissional é responsável também pela criação do caderno de referência, que nada mais é do que a lista de sugestões de revestimentos de parede, piso, iluminação, metais (torneiras, ralos e chuveiros), louças (vaso sanitário, cubas), móveis, eletrodomésticos e eletroeletrônicos. “Seja sincero em relação a quanto tem de verba disponível e se pretende aproveitar algum móvel. Isso afetará o custo total da obra, bem como o tempo”, conta a arquiteta. Vale lembrar que a marcenaria geralmente é o item que mais demora.

2) Segurança

É importante não poupar dinheiro quando o assunto é sua segurança, da sua família e do seu lar. “Mesmo após os desabamentos de obras que ocorreram sem a supervisão de um profissional habilitado, temos ainda muitas obras acontecendo sem nenhuma segurança para quem executa e para os futuros moradores. Todo mundo conhece algum profissional faz-tudo com vasta experiência e que é contratado para fazer uma reforma completa sem direcionamento e sem planta. Problemas surgirão, mas a forma de conduzir diminuirá tempo e dinheiro, pode ter certeza”, diz a profissional.

3) Referências

Atualmente, é possível buscar nas redes sociais ideias de decoração que facilitam na hora de orientar o profissional para qual caminho seguir. “Super importante ter essas imagens de referência para fazer a sala de jantar, por exemplo, do jeito que você almeja. Não precisa ser a cópia da imagem. O seu estilo é único e pode contemplar vários outros. Mas a inspiração otimizará o tempo e evitará surpresas desagradáveis, como a trocar do modelo da luminária, enquanto o fornecedor espera parado na obra”, conta Brunaliza. Ela afirma ainda que já teve uma experiência negativa com um cliente que preferiu comprar em loja não sugerida por ela. A loja demorou para entregar e o prestador de serviço de iluminação cobrou uma valor adicional por ter voltado ao imóvel após o término do contrato.

Assine nossa newsletter e receba por e-mail as principais notícias e dicas.
Fique tranquilo, não enviamos SPAM.
Quero me cadastrar para receber informações relevantes por e-mail. Fique tranquilo, não fazemos SPAM.

4) Procurar por profissional qualificado

A indicação de amigos e conhecidos é a melhor sugestão para a contratação de um responsável técnico de obra e também pela equipe de fornecedores. “O profissional habilitado com sua experiência vai encontrar a melhor solução, juntamente com sua equipe, para resolver um problema que surgiu na obra.”

5) Fique atento às intercorrências

Pode parecer que a reforma de um banheiro é simples, mas a arquiteta avisa que podem surgir problemas, não só no seu apartamento, como no imóvel vizinho. “Não poupe seu dinheiro contratando o profissional faz-tudo. Ele pode até dizer que vai resolver, mas sanar um problema é mais difícil. Podem aparecer outras questões, como infiltrações, indisponibilidade de algum produto ou atrasos nos prazos de entrega.” Imprevistos podem ser mais facilmente contornados por um profissional qualificado.

6) Geral

Ao contrário do que se pode pensar, o final de ano não é indicado para começar a fazer reformas. “Alguns fornecedores e lojas entram em recesso e só voltam no começo do próximo ano. Caso faça algo externamente, evite os meses de muita chuva, como na primavera e verão”, explica Brunaliza.

7) Mudança

Outra dica da arquiteta para quem quer reformar e não quer continuar morando na obra onde vai ter poeira, barulho e restrição de circulação, é mudar provisoriamente para outro local. “Encaixote os pertences frágeis e embale peças que exijam cuidados, tudo para evitar possíveis perdas. Caso não tenha como fazer isso, procure ficar parte do tempo fora de casa, exija limpeza na obra e organização no recebimento de materiais e de sacos para armazenagem de entulho. A contratação de caçamba é uma aliada para acumular entulho por dias na sua casa.”

8) Organização

Guarde todos os orçamentos, contratos, notas fiscais e recibos em pastas para evitar dores de cabeça em relação ao escopo do serviço, prazos e garantias de produtos instalados durante as obras.