Compra

Sudeste registra queda em lançamentos e vendas de imóveis no último trimestre

Especialista aponta para efeitos da alta taxa de juros, nível de desemprego e turbulência política

Por:Breno Damascena 19/09/2023 3 minutos de leitura
construcao-mercado-imobiliario
Redução é ainda mais significativa em imóveis enquadrados no Minha Casa, Minha Vida/ Crédito: Getty Images

Publicidade

O mercado imobiliário do Sudeste não vive um momento tão positivo em 2023. De acordo com um levantamento da Brain Inteligência Estratégica, o setor registrou queda no número de lançamentos (-18%), vendas (-1,5%) e oferta final (-5,1%) na comparação do último trimestre deste ano com o mesmo período do ano passado. 

Quando se analisa o primeiro semestre deste ano e o primeiro semestre de 2022, a queda permanece considerável. A redução no número de lançamentos foi de 16,7%, do número de vendas foi de 2,4% e a queda na oferta final também foi de 5,1%. “A redução de lançamentos justifica-se em especial por um primeiro trimestre fraco”, explica Fábio Tadeu Araújo, CEO da Brain Inteligência Estratégica. 

“Isso aconteceu por dois motivos: a economia, impulsionada pela elevada taxa de juros, nível de desemprego e um nível de renda baixo; e a incerteza política, simbolizada pela mudança de governo”, justifica. Na visão dele, o primeiro trimestre do ano é marcado pela indecisão de empreendedores e incorporadores e o adiamento dos lançamentos para o segundo trimestre ou para o final do trimestre. 

PeríodoLançamentosVendasOferta Final
2T2022 X 2T2023-18%-1,50%-5,10%
1T2023 X 2T2023-19,90%4%-4,50%
1S2022 X 1S2023-16,70%-2,40%-5,10%
Fonte: Levantamento Mercado Imobiliário da Região Sudeste/ Brain Inteligência Estratégica

Ao postergar lançamentos, as incorporadoras iniciaram um efeito cascata no setor. “Quando caem os lançamentos, é natural que as vendas caiam também”, analisa Fábio. “Porém, as vendas tiveram uma queda menor do que os lançamentos, o que indica uma estabilidade”, acredita. “E sempre que as vendas têm uma movimentação melhor do que os lançamentos, a oferta final cai. Foi o que aconteceu em relação ao movimento geral de lançamentos, vendas e ofertas residenciais na região Sudeste”, pontua.

Publicidade

Queda no Minha Casa, Minha Vida

A queda observada pelo mercado imobiliário é ainda mais acentuada nos imóveis do segmento econômico. O levantamento da Brain Inteligência Estratégia mostra que o número de lançamentos (-43,8%), vendas (-19,4%) e oferta final (-34,6%) tiveram quedas vertiginosas na comparação entre o último trimestre e o mesmo período de 2022. 

PeríodoLançamentosVendasOferta Final
2T2022 X 2T2023-44%-19,40%-34,60%
1T2023 X 2T2023-43,80%-9,80%-23,2%
1S2022 X 1S2023-28,20%-20,60%-34,60%
Fonte: Levantamento Mercado Imobiliário da Região Sudeste/ Brain Inteligência Estratégica

O movimento também é significativo quando se compara o primeiro semestre do ano  com o primeiro semestre de 2022. “Isso acontece porque o governo já havia divulgado as regras do novo Minha Casa, Minha Vida, mas ainda não havia promulgado efetivamente as regras, o que só aconteceu no início de julho. Isso fez com que o mercado esperasse, segurasse os lançamentos de dois a três meses para aproveitar as novas regras”, analisa Fábio. 

“No primeiro trimestre, muitos empreendedores já estavam diminuindo o ritmo de lançamentos, mas estavam com o produto na prateleira. No segundo trimestre já estava muito próximo do momento das novas regras entrarem em vigor e existiu esse momento de postergar até poder aproveitar as regras bem mais favoráveis aos empreendimentos do programa Minha Casa, Minha Vida”, entende.

Fonte: Levantamento Mercado Imobiliário da Região Sudeste/ Brain Inteligência Estratégica

Valor Geral de Vendas do Sudeste

Ao todo, a região Sudeste registrou a venda de 77.907 imóveis no primeiro semestre do ano, segundo o levantamento. O número é 2,4% menor do que o mesmo período de 2022. Em contraponto, o Valor Geral de Vendas (VGV) cresceu 14%. Saiu de 35.567 no primeiro semestre de 2022 para 40.542 neste ano. “Isso acontece pelo menor volume de lançamentos de empreendimentos Minha Casa, Minha Vida”, explica Fábio. 

Publicidade

Fábio entende que à medida que o setor observa uma queda na quantidade de vendas de imóveis enquadrados no programa, aumenta a importância das unidades de produtos de luxo e super luxo. “Essas unidades acima de R$ 1,5 milhão mantiveram vendas elevadas, ampliando o VGV total”. 

Fonte: Levantamento Mercado Imobiliário da Região Sudeste/ Brain Inteligência Estratégica

NEWSLETTER
IMÓVEIS

Inscreva-se e receba notícias atualizadas do mercado de imóveis

Notícias relacionadas

Imagem destacada

Biopiscinas: a piscina natural que dispensa manutenção com produtos químicos

2 minutos de leitura
Imagem destacada

Por que os condomínios estão migrando para o interior de SP?

3 minutos de leitura
Imagem destacada

Preço do aluguel dispara na Faria Lima, com procura por escritórios em alta; veja quanto pode custar

5 minutos de leitura
Imagem destacada

Copom eleva Selic para 6,25%

1 minuto de leitura