A portabilidade de financiamento imobiliário é a transferência da dívida bancária de uma instituição financeira para outra. Mas qual a vantagem de fazer essa movimentação? Buscar melhores taxas de juros e de administração junto a outros bancos.

Leia mais:
Quanto vale o metro quadrado nas cinco cidades com maior IDH do Brasil
Conheça os fatores que interferem na valorização de imóveis
Casa ou apartamento? Descubra qual se encaixa melhor no seu estilo de vida

Como fazer

Quem estiver interessado pode obter informações sobre seu débito na instituição financeira original e negociar as condições mais vantajosas em outras instituições. Mas há exigências na hora de fazer esta portabilidade, como a necessidade de nova análise de crédito e reavaliação do valor do imóvel.

“É importante que, ao negociar com outra instituição financeira, o devedor tenha em mira o Custo Efetivo Total (CET) da operação. Somente juros atrativos não significam a melhora nas condições gerais do financiamento imobiliário”, diz a advogada Josiane Mafra, especialista em mercado imobiliário.

O CET corresponde ao valor dos juros e de todas as outras taxas cobradas pelo financiamento, incluindo, por exemplo, a Taxa Referencial. “O processo em si de portabilidade imobiliária deve ser feito de forma gratuita, ou seja, o consumidor é isento de qualquer taxa bancária”, fala Josiane.

Por dentro das regras  

A portabilidade de financiamento imobiliário segue as regras da Resolução 4.292/2013, do Banco Central. Confira algumas delas:

Assine nossa newsletter e receba por e-mail as principais notícias e dicas.
Fique tranquilo, não enviamos SPAM.
Quero me cadastrar para receber informações relevantes por e-mail. Fique tranquilo, não fazemos SPAM.

•        A portabilidade só pode ser feita para financiamentos de imóveis prontos;

•        O valor da transferência da dívida e o prazo de pagamento não podem ser superiores ao prazo e saldo devedor existente;

•        A instituição financeira original terá cinco dias úteis a partir do recebimento da requisição da portabilidade para incluir as informações sobre saldo, prazo e última prestação paga e vencimento, ou ainda apresentar uma contraproposta;

•        O processo deve ser conduzido somente pelas instituições. Todos os custos relacionados a transferência não podem ser repassados ao devedor;

•        A emissão de averbação para transferência da dívida junto ao Cartório de Registro de Imóveis deve se dar em dois dias úteis após a confirmação da quitação pela instituição financeira de origem do crédito;

•        Não há um valor mínimo para portabilidade de financiamento imobiliário.