Compra

Estas são as capitais onde os imóveis mais valorizaram em 2024

Levantamento do Índice FipeZAP mostra que Curitiba foi a capital com maior variação este ano

Por:Breno Damascena 02/07/2024 2 minutos de leitura
valorizacao-venda
Curitiba registrou uma alta de 10,13% neste ano e 13,98% nos últimos 12 meses/ Crédito: Brastock Images/AdobeStock

Publicidade

De janeiro a junho deste ano, o preço dos imóveis em Curitiba (PR) aumentou 10,13% e disparou como a capital que mais valorizou no primeiro semestre do ano, de acordo com o Índice FipeZAP de Venda Residencial, divulgado pelo DataZAP+.

A segunda capital com melhor desempenho no período, João Pessoa (PB), apresentou uma valorização de 7,7%. Seguida por Maceió (AL), onde a valorização foi de 6,31%.

Variação do preço médio de venda residencial em 2024:

Fonte: Índice FipeZAP de Venda Residencial de junho de 2024

Com o resultado, Curitiba destronou Goiânia (GO) e agora ocupa a primeira posição entre as capitais que mais valorizaram nos últimos 12 meses. A terceira posição é ocupada por Maceió, que apresenta um movimento significativo de valorização desde 2019. E as três cidades apresentaram crescimento bem acima do IPCA (+4,41%) nos últimos 12 meses.

+ Apartamentos de luxo e custo da mão de obra impulsionam preço de imóveis em Goiânia

Publicidade

Variação do prédio médio de venda residencial nos últimos 12 meses: 

Fonte: Índice FipeZAP de Venda Residencial de junho de 2024

O bom desempenho das capitais, entretanto, ainda não é o suficiente para colocá-las entre as mais caras do Brasil. Atualmente, o preço do metro quadrado para comprar um imóvel em Curitiba é R$ 9.989, o que a posiciona como a 9ª cidade mais valorizada do País. O topo da lista continua sendo ocupado por Balneário Camboriú (SC), onde o metro quadrado custa R$ 13.259, segundo o levantamento.

+ Quais são as ruas com imóveis mais caros de SP em 2024? Veja mapa interativo

Das cinco cidades mais caras do Brasil atualmente, quatro estão em Santa Catarina. Além de Balneário Camboriú, observa-se Itapema (SC), Itajaí (SC) e Florianópolis (SC) apresentando médias acima de R$ 11 mil. 

A “intrusa” no top 5 é Vitória (ES), capital mais cara do Brasil, onde o metro quadrado para compra residencial custa R$ 11.349. Ou seja, para adquirir um imóvel de 80 m² na cidade capixaba, o comprador precisaria desembolsar cerca de R$ 907 mil. 

Publicidade

Preço médio de venda por cidade

Fonte: Índice FipeZAP de Venda Residencial de junho de 2024

É importante pontuar que dentro das cidades também existem grandes contrastes. Em Vitória, por exemplo, o preço do metro quadrado em Enseada do Suá, bairro nobre da capital do Espírito Santo, custa R$ 13.529. Já no Centro, o custo do metro quadrado cai para apenas R$ 3.194. Portanto, um mesmo imóvel de 80 m² custaria pouco mais de R$ 1 milhão em Enseada do Suá e R$ 250 mil no Centro. 

Isto explica porque São Paulo e Rio de Janeiro não são as cidades mais caras do Brasil apesar de possuírem alguns dos bairros com os imóveis mais valorizados do País. Leblon (RJ), com R$ 23.335 /m²; Ipanema (RJ), com R$ 21.756 /m²; Itaim Bibi (SP), com R$ 17.463 /m²; e Pinheiros (SP), com R$ 17.244 /m²; se posicionam como os mais caros dentro das capitais em todo o território nacional.

NEWSLETTER
IMÓVEIS

Inscreva-se e receba notícias atualizadas do mercado de imóveis

Notícias relacionadas

Imagem destacada

Vender imóvel para construtora é um bom negócio?

3 minutos de leitura
Imagem destacada

Minha Casa Minha Vida salva venda de imóveis durante a pandemia

2 minutos de leitura
Imagem destacada

Setor de construção filtra tecnologias para impulsionar inovações

1 minuto de leitura
Imagem destacada

O quebra-cabeça urbano das várias Lapas paulistanas

3 minutos de leitura