A amortização nada mais é do que pagar uma quantia a mais do que aquela assumida como prestação da dívida para reduzir o saldo devedor. Ao abater o saldo, você desembolsa menos dinheiro com os juros que incidem sobre a dívida.

Existem duas principais modalidades de sistema de amortização: a Tabela Price e a Tabela SAC. Saiba como elas funcionam:

Tabela Price

Neste sistema, todas as prestações são iguais do início ao fim do contrato. A vantagem da Tabela Price é que a parcela, no começo, é menor do que a da Tabela SAC. Contudo, o valor final do financiamento fica maior, já que primeiro são pagos os juros e depois a dívida.

Assine nossa newsletter e receba por e-mail as principais notícias e dicas.
Fique tranquilo, não enviamos SPAM.
Quero me cadastrar para receber informações relevantes por e-mail. Fique tranquilo, não fazemos SPAM.
Tabela SAC

No Sistema de Amortização Constante, o pagamento da dívida é em prestações decrescentes – a parcela começa maior do que a da Tabela Price, mas termina menor. O mutuário paga, ao mesmo tempo, um percentual dos juros e outro da dívida. Como a taxa de juros incide sobre o saldo devedor, à medida que os pagamentos são realizados, o valor da prestação e o saldo devedor diminuem.

Mais dinheiro no começo, mais economia no fim

O sistema da Tabela SAC exige que você tenha uma quantia maior de dinheiro reservada, no início, para amortizar as parcelas. As primeiras prestações da SAC, em comparação com as da Price, podem ser 25% maior, considerando as mesmas taxa de juros.

Contudo, ao final do financiamento, quando é possível analisar o valor total que foi pago pelo bem, no sistema SAC a dívida terá custado de 10% a 15% a menos do que na Tabela Price.

Ao definir o sistema de amortização do financiamento, verifique a opção de reduzir o prazo de pagamento ou o valor da prestação. Se já está programado para bancar o custo da prestação, reduzir o prazo é a escolha mais vantajosa, porque você economiza com os juros que incidem em cada parcela.