Notícias

O que valoriza uma rua? Especialistas explicam

Localização, proximidade de vias de acesso e arborização são diferenciais

Por:Breno Damascena 20/03/2024 2 minutos de leitura
ruas-valorizadas
Especialistas afirmam que ruas próximas de parques e praças atraem mais investidores e, por isso, são mais caras/ Crédito: Breno Damascena

Publicidade

No universo de mais de 50 mil ruas e avenidas oficiais que compõem a cidade de São Paulo, a mais valorizada fica no coração do Jardim Europa, bairro nobre da zona oeste da cidade. A Rua Seridó, vizinha da estação de metrô Cidade Jardim, ostenta o metro quadrado avaliado em cerca de R$ 67.073, o mais caro do País, de acordo com um levantamento realizado pela DataZAP para o Estadão Imóveis

+ Saiba quais são as 10 vias mais longas da Capital

Próxima dos clubes Pinheiros, Paulistano e Hebraica, a rua abriga apartamentos que ultrapassam os R$ 30 milhões. E é justamente esse fácil acesso a pontos importantes da cidade que fomenta o bom resultado da Rua Seridó, mas não o único. A localização se destaca como principal engrenagem no sistema de valorização de um bairro ou rua, porém outros aspectos ajudam a determinar o custo do metro quadrado na região. 

É isto que explica Alvaro Marco Coelho da Fonseca, Diretor Executivo da Coelho da Fonseca, imobiliária especializada no mercado de alto luxo. “Se a rua estiver a uma distância caminhável dos principais estabelecimentos daquele bairro, como um supermercado ou uma farmácia, ela tende a ser mais valorizada”, afirma Alvaro, que também destaca a estrutura do solo como fator importante na equação. 

Publicidade

“Se a rua for plana, as pessoas conseguem andar com tranquilidade, e o carro acelera menos, fazendo menos barulho”, justifica. Ele indica que o trânsito de veículos e pessoas também são analisados no momento de apontar o valor dos imóveis. “Ruas residenciais que não têm congestionamento são mais valorizadas. Também é importante que elas não possuam mais comércios do que residências”, adiciona.

Ruas arborizadas tendem a abrigar imóveis com o metro quadrado mais valorizado que outras regiões/ Crédito: Breno Damascena

+ São Paulo tem a rua mais cara do Brasil. Confira o top 10

Alvaro conta que ruas fechadas com portões e cancelas também são mais valorizadas, além da proximidade de praças e parques. Por outro lado, ele observa que poucas coisas desvalorizam tanto os imóveis quanto as feiras livres. “As feiras de rua atrapalham o trânsito e impedem o morador de chegar em casa, o que acaba desvalorizando o bem”, analisa o executivo.

“Não existe rua boa em bairro ruim”

São Paulo possui 6 das 10 ruas mais caras para comprar um imóvel no País. Delas, quatro estão no Jardim Europa, enquanto as outras duas estão no Itaim Bibi e na Vila Nova Conceição. “Não existe bairro ruim com uma rua supervalorizada”, justifica o consultor imobiliário Daniel Rosenthal. “Tudo está ligado ao potencial da rua de facilitar a vida dos moradores daquele local”, resume. 

Publicidade

“As pessoas vão investir onde notam potencial valorização do investimento”, acrescenta Daniel. Para alcançar este objetivo, ele diz que os três pontos fundamentais são localização, infraestrutura e segurança. “As vias de acesso, parques próximos, iluminação, nível de vigilância e monitoramento aumentam a demanda do público por uma determinada rua”, sinaliza.

NEWSLETTER
IMÓVEIS

Inscreva-se e receba notícias atualizadas do mercado de imóveis

Notícias relacionadas

Imagem destacada

Conheça os prédios mais feios do mundo, de acordo com o Twitter

3 minutos de leitura
Imagem destacada

Governo vai usar cadastro de programas sociais para selecionar famílias

3 minutos de leitura
Imagem destacada

Copa do Mundo influencia mercado imobiliário do Catar

2 minutos de leitura
Imagem destacada

Vila Sônia: um bairro em desenvolvimento

4 minutos de leitura