Diante da quarentena, a Rede Globo está reprisando o sucesso “Fina Estampa”, que mostra a vida de uma profissional “marido de aluguel”. A personagem Griselda, interpretada pela atriz Lilia Cabral, ganha a vida fazendo reparos de todos os tipos e mostra que o trabalho duro pode ser lucrativo e indispensável para aqueles que não se arriscam a colocar a mão na massa.


Afinal, nem todas as pessoas têm vocação para reparos, mesmo que sejam dos mais simples, como a instalação de quadros na parede ou a troca de uma resistência de chuveiro. Segundo o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), só no Estado de São Paulo, o número de profissionais que se formalizaram como Microempreendedores Individuais (MEIs) no setor de reparos domésticos cresceu 22% nos últimos dois anos. Na capital, esse crescimento foi de 13,1%. Em números absolutos, são cerca de 185 mil MEIs paulistas em atividades de reparos domésticos, categoria associada aos maridos de aluguel – 39 mil só na cidade.

“Faz-tudo” da vida real

Wagner Gutierrez, que trabalhou durante 28 anos como gerente comercial no ramo da construção civil, desde o início deste ano tornou-se prestador de serviços e proprietário da Marido de Aluguel ZN. “Meus clientes podem contar com a mão de obra em elétrica, hidráulica, marcenaria e diversos consertos.”

O autônomo confirmou que a trama ajudou a alavancar seu negócio, pois fez as pessoas lembrarem das facilidades e vantagens de contar com ele, que já é especializado em construção civil e encontrou uma nova oportunidade nesse nicho.

Crescimento em meio à crise

Mesmo com o distanciamento social, a profissão de “faz-tudo” continua em crescimento. O “Pereirão” da vida real diz que a maioria de seus ofícios eram requeridos aos finais de semana. Agora, está quase impossível tirar uma folga.

Assine nossa newsletter e receba por e-mail as principais notícias e dicas.
Fique tranquilo, não enviamos SPAM.

“Com as pessoas em casa, os problemas ficam mais evidentes, já que a observação fica mais fácil quando se está no isolamento. Inclusive, o momento gerou muito mais demanda. A novela ajudou a relembrar da importância do nosso trabalho, mas a pandemia criou uma situação de extrema necessidade para os clientes”, salienta Wagner.

Para o consumidor, existem muitas vantagens, principalmente diante do custo-benefício. Mesmo que alguns desses profissionais tenham especialização, eles costumam entender sobre todas as áreas. Além disso, não é necessário investir em ferramentas, tempo e tutoriais mirabolantes, já que eles garantem a efetividade por um valor acessível.

“Os preços variam de acordo com a necessidade do cliente, mas uma diária pode custar entre R$ 150 e R$ 200 na cidade de São Paulo”, conta o profissional.

Serviços realizados por um marido de aluguel

É bastante ampla a gama de atividades de um profissional que está pronto para ajudar nos percalços de uma casa e auxiliar na sua manutenção. Entre eles estão:

  • Troca de tomadas, lustres, torneiras, sifões, lâmpadas e chuveiros;
  • Desentupimento de calha, canos, sanitários e caixa acoplada;
  • Montagem e reparo de móveis;
  • Mudança de dobradiças e alinhamento;
  • Instalação de utensílios domésticos, suportes, ventiladores, cortinas, varal e ganchos;
  • Pintura, rejuntamento, drywall, troca de mangueira de fogão e mais uma série de outros serviços.

Segundo Wagner, o profissional também acaba consertando os danos causados pelas tentativas dos tutoriais, que costumam parecer simples, mas as pessoas acabam esquecendo que uma “boa edição às vezes faz mágica”.