Para conter o avanço da inflação no País, o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central decidiu elevar a taxa básica de juros (Selic) em 1 ponto percentual nesta quarta-feira, de 5,25% para 6,25%, ao ano. 

Por meio de nota, a Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias, Abrainc, considera que a medida é necessária e, mesmo com aumento, “a taxa de juros se encontra em um patamar baixo, principalmente ao avaliar o histórico brasileiro em que a Selic quase sempre esteve acima de dois dígitos”, informa o relatório.



Por isso, a taxa de juros real ainda segue negativa, o que segundo a associação configura cenário positivo e um “excelente momento para investimento em imóveis”. Para o presidente da ABRAINC, Luiz França, “as condições para aquisição da casa própria permanecem atraentes, a contratação de crédito imobiliário continua crescendo e a elevação da Selic não vai inviabilizar os planos de quem está em busca de um imóvel”.

Caixa reduz taxa de juros mesmo com alta da Selic
Na última quinta-feira, 16 de setembro,  a Caixa reduziu a taxa de juros de financiamento imobiliário para 2,95%. O anúncio foi feito pelo presidente do banco,  Pedro Guimarães, durante uma live pelas redes sociais, para trazer mais competitividade para o setor, beneficiando 927 mil famílias que podem se tornar elegíveis para financiamento, representando um aumento de 6% no poder de compra de um imóvel.