Voltar
IMÓVEIS

Buscando sugestões para:


Página inicial / Investir em Imóveis / Quais os riscos de investir em imóveis?

Quais os riscos de investir em imóveis?

Em caso de vacância ou demora na revenda, os custos de manutenção da propriedade podem ser encargos pesados para o orçamento familiar


Da Redação

11/05/2020 - 2 minutos de leitura


Antes de adquirir o bem, é necessário fazer uma boa análise do mercado imobiliário, observando os indicadores de inflação, a taxa de desemprego, percentual de juros e o rendimento real/ Foto: Getty Images

Investir em imóveis pode ser uma estratégia interessante com rendimentos bastante significativos, porém, é uma ação que tem os seus riscos, e no caso de um passo mal dado, pode resultar na perder de muito dinheiro, já que os valores investidos costumam ser elevados. Além da compra da propriedade, as contas e manutenções podem elevar os gastos e tornar o período de vacância bastante oneroso.


Confira cinco riscos que devem ser levados em conta:

Riscos e incertezas de valorização

Antes de adquirir o bem, é necessário que se faça uma boa análise do mercado imobiliário, observando os indicadores de inflação, a taxa de desemprego, percentual de juros e o seu rendimento real, para que então se tenha uma base mais concreta antes de fechar o negócio. Sobre as incertezas da valorização, tudo depende das condições do ramo imobiliário e da localidade do empreendimento. Construções e melhorias na infraestrutura são elementos que valorizam uma propriedade. Porém, se a região não tiver investimentos e sofrer depreciação, como ruas esburacadas, crescimento da violência e fechamento de estabelecimentos comerciais, a desvalorização do imóvel deve acompanhar.

Baixa liquidez

Esta questão diz respeito ao tempo que pode levar para encontrar um comprador, caso coloque seu imóvel à venda. Não existe garantia de que irá conseguir o retorno esperado em um prazo determinado, já que pode aparecer um inquilino em um dia ou em 10 anos. Alguns perfis de propriedade estão em moda, estão em região de alta demanda ou têm características privilegiadas, garantindo maior liquidez. Ainda assim, é preciso ponderar que, em caso de vacância, as contas de manutenção, como despesas condominiais e impostos são responsabilidades do proprietário.

Patrimônio parado

Assine nossa newsletter e receba por e-mail as principais notícias e dicas.
Fique tranquilo, não enviamos SPAM.
Quero me cadastrar para receber informações relevantes por e-mail. Fique tranquilo, não fazemos SPAM.

A compra de um bem congela o patrimônio, afinal, com o dinheiro investido o comprador pode ficar sem o retorno por anos, fato que afeta diretamente a vida financeira da família. O investimento imobiliário, portanto, não é adequado para quem tem metas financeiras de curto prazo.

Rentabilidade

Todas essas questões de valorização, com riscos que não são calculados e possíveis turbulências no mercado, podem acarretar baixa rentabilidade. Para fixar metas com base em um retorno, tanto em caso de locação quanto de venda, é necessário fazer uma avaliação ampla do mercado e das particularidades do imóvel cogitado. Melhor consultar profissionais do ramo e apresentar seus cálculos.

Alto custo

Os custos que envolvem a aquisição de uma propriedade costumam ser elevados, afinal, além do valor pago na unidade, existe a manutenção inicial, manutenção em caso de vacância, tempo estimado de revenda, impostos, etc. Esse planejamento pode fazer a diferença para que um investimento não se torne um estorvo.

AVALIAR ESSE ARTIGO
Você precisa estar logado para comentar.
Faça o login


Notícias relacionadas