O Indicador de Antecedente do Mercado Imobiliário (IAMI) da Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias (ABRAINC), elaborado pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (FIPE) a partir de dados da Prefeitura de São Paulo, mostra que foram concedidos 932 alvarás para construção de novos empreendimentos verticais nos 12 meses encerrados em junho deste ano. Com isso, o resultado apresentou um recuo de 1,5% na capital paulista, em relação ao período anterior.

Com relação ao 2° trimestre de 2021, porém, o município apresentou 171 novos alvarás para empreendimentos verticais, volume que correspondeu a um aumento de 6,2% em relação ao mesmo período de 2020. A alta foi impulsionada pelo desempenho nos meses de maio (+37,5%) e junho (+11,9%), que se sobrepuseram à queda em abril (-27,8%) – período que coincidiu com a imposição de restrições sanitárias mais rígidas na capital paulista. Neste período, o processo de emissão de alvarás foi impactado pelo processo de teletrabalho adotado pelos servidores de São Paulo. 

Para o presidente da ABRAINC, Luiz França, o recuo observado em abril, por conta das limitações impostas pela pandemia, não reflete uma diminuição da confiança por parte dos empresários e dos consumidores. “O retorno gradual das atividades presenciais em maio, a partir do avanço da vacinação contra a Covid-19, trouxe um novo ânimo à população, que continua contando com boas oportunidades de acesso ao crédito imobiliário. Os empreendedores seguem interessados em investir em novos projetos na capital paulista e em outras cidades do País”, afirma.

Distribuição regional 

Em nota, a prefeitura da cidade informa que a Secretaria Municipal de Urbanismo e Licenciamento (SMUL) instituiu, em setembro de 2020, durante a pandemia do novo coronavírus, o Portal de Licenciamento, plataforma de tramitação e análise de processos de licenciamento 100% digital. O propósito é reduzir burocracias e agilizar a concessão de alvarás, diminuindo custos e tempo de tramitação dos projetos, além de estimular a realização de novos investimentos em São Paulo.  

“Com o avanço da vacinação contra a Covid-19 na cidade e retomada da atividade econômica, a expectativa é de crescimento no ritmo de aprovações em toda a capital. No segundo trimestre de 2021, a prefeitura registrou aumento de 26% na emissão de alvarás para construção e reforma de edificações em comparação ao mesmo período de 2020.”

A zona leste foi a região que mais teve alvarás liberados nos 12 meses encerrados em junho, concentrando 41,7% do total concedido na capital paulista. Na sequência, vieram a zona sul (20,9%), zona norte (20,3%), zona oeste (13,6%) e centro (3,4%). 

No segundo trimestre deste ano, as regiões que mais contribuíram para a expansão da atividade construtiva foram as zonas leste e sul (cada uma respondendo por 26,3% do total de alvarás), seguidas pela zona oeste (21,6%), zona norte (21,1%) e centro (4,7%). 


O indicador aponta ter havido crescimento do interesse imobiliário em 2 das 5 zonas da cidade de São Paulo nos 12 meses analisados, com destaque para a zona oeste, onde foi registrado avanço expressivo de 30,9%, e na zona sul, com crescimento de 24,2% no volume de alvarás concedidos em relação a igual intervalo do ano anterior. Por sua vez, observou-se queda no número de alvarás para empreendimentos verticais no centro (-13,5%), zona leste (-12%) e Zona Norte (-11,3%). 

Já na comparação entre o segundo trimestre de 2020 e o deste ano, os avanços na atividade construtiva foram registrados na zona oeste (+117,6%) e na zona sul (+66,7%). Por sua vez, apresentaram queda no número de alvarás a zona leste (-30,8%), o centro (-20%) e a zona norte (-14,3%).