Compra

Quer comprar a casa mais cara do mundo? Você só precisa desembolsar R$ 1,5 bilhão

Imóvel ultrapassou valor de apartamento de R$ 1,2 bi em Nova York

Por: Redação, Estadão Imóveis 28/03/2023 1 minuto de leitura
the-holme-parque-do-regente
Mansão fica próxima ao Palácio de Buckingham e tem 40 quartos/ Crédito: Wikipedia Commons

Publicidade

Uma mansão construída há 205 anos em Regent’s Park (Parque do Regente), em Londres, é a casa mais cara do mundo. Isso se surgir algum comprador interessado em adquirir a propriedade de 16 mil m² e 40 quartos pelo valor de £ 300 milhões – algo em torno de R$ 1,5 bilhão.

Esse valor superaria o preço da casa que possuía o título de mais cara de Londres, uma mansão de £ 210 milhões de frente para o Hyde Park, de acordo com o Financial Times. Além disso, o valor também ultrapassa o valor de um triplex na cobertura da Central Park Tower, em Nova York, que até então era o imóvel residencial mais caro do mundo (US$ 250 milhões – cerca de R$ 1,2 bilhão).

A The Holme, como é conhecida a mansão bicentenária de Londres, pertencia a membros da família real da Arábia Saudita e era o lar de Abdullah bin Khalid bin Sultan al-Saud. Porém, por conta de um empréstimo de £ 150 milhões que não foi pago, o imóvel foi retomado. 

Além dela, também foram levados outros ativos que garantiam o tal empréstimo, como uma casa em Nova York e um avião particular. 

Publicidade

Localizado nos arredores do Palácio de Buckingham, o imóvel foi construído em 1818 por James Burton e carrega parte da história da monarquia inglesa. No entanto, a perspectiva é de que novamente ele seja adquirido por compradores estrangeiros, seguindo a tendência observada nas últimas décadas

NEWSLETTER
IMÓVEIS

Inscreva-se e receba notícias atualizadas do mercado de imóveis

Notícias relacionadas

Imagem destacada

Apesar da crise, startup hoteleira diz que vai abrir cinco unidades

1 minuto de leitura
Imagem destacada

E se alguém fizer xixi na porta da sua casa durante o Carnaval?

2 minutos de leitura
Imagem destacada

Produção de estúdios em São Paulo compensa novas demandas habitacionais

3 minutos de leitura
Imagem destacada

Fazer consórcio de imóveis para investir vale a pena?

4 minutos de leitura