Se você sonha com a compra de uma propriedade no exterior de forma planejada, sem comprometer seus rendimentos, ou até mesmo se está em busca de uma nova e ousada oportunidade de renda extra com locação de imóvel fora do Brasil, o consórcio pode ser uma boa opção.

A BR Consórcios realizou em outubro de 2018 uma pesquisa com clientes que já buscaram a modalidade ou que integram o perfil do grupo de pessoas da classe A, com patrimônio superior a R$ 3 milhões. O estudo constatou que há interesse de 90% deles em adquirir imóvel no exterior, especialmente na Flórida (71%) e outras regiões dos Estados Unidos (8%). Portugal (13%), Itália, Inglaterra (ambos com 3%) e Canadá (2%) também foram citados.

Segundo a Miami Association of Realtors Commercial and the National Association of Realtors (NAR), em 2018 os brasileiros foram responsáveis por 12% de todas as compras em imóveis na região do sul da Flórida. Entre os principais motivos apontados para a aquisição estão a valorização imobiliária, a diversificação de portfólio de investimentos – com a facilidade dos financiamentos com prazos longos e preços acessíveis – e a qualidade de vida.

É o caso da advogada Vicki Passos, que sente mais segurança em investir o que poupou até agora em uma propriedade fora do País. “A instabilidade do Brasil e o temor do que está por vir foram os principais motivos que me levaram a pensar em algo fora daqui, para ter um refúgio”, desabafa ela.

Vicki conta que sempre sonhou ter uma casa em outro país, mas que não tinha condições de colocar a mão no bolso e entregar todo o valor da aquisição, porque simplesmente não tinha o montante necessário. “Por isso, o consórcio foi a melhor opção que eu encontrei para ver que meus planos já estavam em prática, que de alguma forma eu já caminhava nessa direção”, conta a advogada.

Assine nossa newsletter e receba por e-mail as principais notícias e dicas.
Fique tranquilo, não enviamos SPAM.
Quero me cadastrar para receber informações relevantes por e-mail. Fique tranquilo, não fazemos SPAM.
Segundo ela, uma amiga que já mora “lá e cá” indicou uma corretora de Miami, que, por sua vez, indicou o consultor Jean Silva, que além de apresentar as cotas, tira todas as dúvidas que surgem sobre o produto. “Tem uma diversidade de valores de cartas de crédito e, consequentemente, variações nos valores das parcelas mensais. Comecei com uma carta e agora estou com a segunda cota, para que juntas viabilizem um imóvel melhor”, explica Vicki.

O plano dela daqui por diante é dar lances, porque não quer esperar até a quitação ou simplesmente contar com o sorteio. Para aumentar as chances de ser contemplada, está juntando um valor considerável. “Enquanto isso, fico concorrendo mensalmente ao sorteio, e, quem sabe, ser contemplada sem a necessidade do lance. Parece inatingível esse sonho, mas essa foi a minha forma de tentar fazer isso virar realidade”, afirma.

Como funciona?

Segundo o corretor Jean Silva, a modalidade é semelhante ao consórcio de imóveis brasileiros. As cartas de crédito variam de R$ 300 mil a R$ 600 mil, com prazos de 60 a 120 meses, ou seja, parcelas a partir de R$ 3.000 aproximadamente. Quem tiver a intenção de comprar um imóvel mais caro, de R$ 1 milhão, por exemplo, terá de adquirir duas cotas de consórcio.

“Para fazer parte de um grupo, o interessado deve escolher a parcela que cabe no seu bolso e, depois de contemplado, por sorteio ou lance, oferece o seu imóvel no Brasil como garantia de crédito. Este último, por sua vez, deverá ser urbano, possuir escritura e matrícula junto ao Cartório de Registro de Imóveis e não poderá estar alienado”, esclarece Silva.

Jean explica ainda que qualquer brasileiro, mesmo morando nos Estados Unidos ou outro país, que tenha um imóvel no Brasil para alienar, pode fazer o consórcio. “A alienação do imóvel, no caso, serve como garantia da dívida quando o cliente for sorteado. Ele precisa fazer isso porque ele vai comprar um imóvel fora do Brasil”, diz ele.

Além de comercializar as cartas de crédito, as corretoras oferecem aos brasileiros um acompanhamento de todo o processo até a entrega de toda a documentação ao corretor responsável nos Estados Unidos, inclusive, se necessário, de advogados, contadores, brokers, assistentes financeiros e até consultoria imobiliária, como é o caso da Elite International Realty, para dar total apoio aos consorciados.

A modalidade é comercializada em todo o País por algumas empresas, entre elas Consórcio União, Consórcio Araucária, Consórcio Santa Emília, Consórcio Lyscar, Consórcio Saga, Rede Lojacorr Consórcios e MAPFRE Consórcios. E as cotas contemplam imóveis nos EUA e Europa.