Compra

Apartamentos de até 60 m² são os mais vendidos no Brasil

Levantamento mostra que empreendimentos entre 41 m² a 60 m² representam 41,7% das vendas no País

Por: Redação, Estadão Imóveis 29/11/2023 2 minutos de leitura
apartamento-pequeno
Imóveis enquadrados nesta metragem correspondem a 38,6% dos lançamentos, segundo pesquisa/ Crédito: Getty Images

Publicidade

Os imóveis com tamanho médio entre 41 m² e 60 m² são os mais vendidos e lançados no Brasil. Os empreendimentos enquadrados nesta tipologia correspondem a 38,6% dos lançamentos e 41,7% das vendas do País, de acordo com um estudo do software de vendas imobiliárias CV CRM em parceria com a startup Dataland.

“A maior procura por esse tipo de propriedade se deve às facilidades de acesso e aos incentivos do governo, como é o caso da possibilidade de financiamento via FGTS, promovidas por programas como Minha Casa, Minha Vida”, analisa Fábio Garcez, CEO do CV CRM.   

O levantamento mostra que os imóveis com mais de 251 m² aparecem na segunda colocação, com 15,5% dos lançamentos e 18,3% das vendas. “O resultado reflete o comportamento do setor imobiliário no pós-pandemia, período marcado pela alta dos preços de aluguéis, levando as pessoas a optarem pelo melhor custo-benefício”, acredita Garcez.

Classificados no segmento econômico, os imóveis avaliados em até R$ 264 mil são os campeões de venda. Em seguida, estão os imóveis padrão – com preços entre R$ 264 mil e R$ 500 mil. O estudo analisou os lançamentos e vendas em 487 cidades brasileiras entre o início de 2020 e agosto deste ano.

Publicidade

Fonte: CV Trends
Fonte: CV Trends

Apesar dos números, a tendência anual é de queda. Do segundo trimestre de 2022 para o segundo trimestre de 2023, o número de unidades lançadas caiu 22% no estudo da CV e 16%, de acordo com dados divulgados pela Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC). Entre as unidades vendidas, a queda apurada pela CV é de 11% e pela CBIC é de 6%. 

“Entre os fatores que influenciaram essa queda está a redução da oferta, que chegou ao seu menor patamar dos últimos dois anos neste período, indicando que a produção não estava acompanhando a alta demanda por imóveis na época”, complementa o executivo.

Expectativas para o futuro 

Garcez acredita que o próximo trimestre será marcado por um aumento no número das vendas, consumindo o estoque de imóveis restante no mercado, enquanto os lançamentos devem seguir em ritmo lento, sem acompanhar a demanda. “Apesar dos dados da pesquisa apresentarem uma baixa, o setor deve continuar aquecido e as vendas crescendo nacionalmente”. 

Na visão de Fábio Garcez, CEO do CV CRM, programas habitacionais impulsionam vendas de apartamentos de até 60 m² / Crédito: Divulgação/ Agência J.Somensi

“Para 2024, esperamos que o mercado continue enxergando a digitalização e a integração de aplicações como soluções que possam potencializar seus resultados frente à grande demanda por imóveis, em especial para lançamentos do tipo Minha Casa, Minha Vida”, antecipa. “Projetos deste tipo começarão a ser aprovados em maior volume”, acredita. 

Publicidade

NEWSLETTER
IMÓVEIS

Inscreva-se e receba notícias atualizadas do mercado de imóveis

Confira nossas

WEBSTORIES

Notícias relacionadas

Imagem destacada

Cuidados essenciais que evitam choques e incêndios com a decoração de Natal

2 minutos de leitura
Imagem destacada

Inteligência artificial: apenas 19% das empresas do setor imobiliário já utilizaram tecnologia

1 minuto de leitura
Imagem destacada

O que pode motivar uma ação de despejo?

3 minutos de leitura
Imagem destacada

Confira 14 dicas para fazer uma mudança residencial organizada

5 minutos de leitura