Capa Principal

Guia de Bairros

Vila Madalena

De pacato bairro universitário a epicentro do agito paulistano. Conheça a moderna Vila Madalena em São Paulo.

Não há paulistano que não conheça ou não tenha ouvido falar da Vila Madalena. Os bares e a vida noturna fizeram dela um dos bairros mais famosos da Paulicéia. Mas nem sempre foi assim. Até a década de 70, aquele pedaço da cidade parecia um pacato lugar do interior. O perfil começou a mudar quando, na década de 70, estudantes e professores da Universidade de São Paulo (USP) escolheram o bairro para morar. 

Já havia vida lá, mais diurna do que noturna como é hoje, muito antes disso. A colonização da região começou às margens do córrego do Rio Verde, que tinha nascente nas proximidades da rua Oscar Freire, perto de onde hoje está a  estação Nossa Senhora de Fátima/Sumaré da Linha 2 Verde do Metrô. 

As terras do lado oeste do córrego que deságua no rio Pinheiros eram chamadas de Sítio do Rio Verde. O dono da propriedade era um português que tinha três filhas, uma delas chamada Madalena. Daí viria o nome do bairro. Mas essa versão não tem comprovação oficial. 

A história da Era moderna da Vila Madalena tem início em 1910, quando a Light anunciou a construção de uma linha de bondes que ligaria o bairro a regiões mais populosas da cidade, como Pinheiros e o Centro. 

Nessa época, as ruas eram de terra, muitas delas íngremes, sem iluminação e com acesso precário. Com o bonde chegaram também motorneiros, padeiros, açougueiros, sapateiros, pedreiros que vieram trabalhar na construção do Cemitério São Paulo e servidores públicos. A maioria dos novos moradores era de origem lusitana. Nesse momento, o Sítio do Rio Verde foi loteado e começou a transformação do bairro na Vila Madalena que conhecemos hoje. 

As ruas que formam o bairro têm nomes líricos e poéticos, que foram dados pelos seus primeiros habitantes. Lá você vai se deparar com a Rua Harmonia, Simpatia, Fidalga, Purpurina, e outras.

A Vila Madalena é sinônimo de agito e modernidade. Além de contar com muitas opções de lazer, oferece um cotidiano boêmio, mobilidade e segurança. Outra atração recente do bairro é o Carnaval, com vários blocos e cordões ocupando as ruas do perímetro. O barulho dos cortejos já virou motivo de reclamação de alguns moradores, mas a folia na Vila é um caminho sem volta. 

A fama da Vila Madá, como é carinhosamente chamada por seus moradores, ultrapassou os limites da cidade e chegou às telas da Globo. Em 1999, o bairro foi cenário de uma novela das sete. O personagem principal “Vila Madalena” era o caminhoneiro Solano, personagem interpretado pelo galã Edson Celulari, que é preso transportando contrabando sem saber que a carga era ilegal. 

Essa é a Vila Madalena do século XXI: carnavalesca, notívaga, alegre e gastronômica. 

Mobilidade

O bairro conta com a estação Vila Madalena da 2 Linha Verde do Metrô. Inaugurada em 1998, melhorou a mobilidade na região e trouxe muita gente de longe para conhecer o bairro e curtir sua vida noturna, bares e restaurantes. Esse trajeto faz conexão com a Linha Azul, nas estações Paraíso e Ana Rosa, e a Amarela, na parada Paulista Pernambucanas. No mesmo local há um terminal de ônibus com partidas para Avenida Paulista, Faria Lima, centro e outras regiões da cidade. 

Educação

A Vila Madalena fica perto de algumas das principais instituições de ensino superior da capital, como a Pontifícia Universidade Católica (PUC), que fica em Perdizes, e a Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP).

O distrito conta com diversas instituições particulares, exemplo do Colégio Palmares, Colégio Santa Clara, que trabalha com educação infantil até o ensino médio – além de cursos extracurriculares e a bilíngue Maple Bear e seu método canadense de ensino.

No ensino público, abriga a EMEI Zilda de Freitas e a EMEF Professor Olavo Pezzotti. Mas talvez a mais conhecida delas seja a Escola Estadual Professor Alves Cruz.  No início dos anos 2000, um grupo de ex-alunos do colégio decidiu se reunir para tirar a antiga escola do ostracismo e abandono em que se encontrava. Assim nasceu o projeto Fênix, iniciativa que aliava arte e cultura às disciplinas da grade curricular oficial. 

Em pouco tempo, os estudantes começaram a apresentar uma nítida melhora em seu desempenho escolar. O projeto ganhou diversos prêmios e criou filhos, como o Maracatu Bloco de Pedra, formado por alunos da instituição. 

Saúde

O morador da Vila tem na vizinhança aquele que é considerado o maior complexo hospitalar da América da Latina. Fundado em abril de 1944, os números do Hospital das Clínicas impressionam. São 600 mil m², mais de 21 mil colaboradores, o corpo médico em sua maioria é formado por alunos e ex-estudantes da Faculdade de Medicina da USP, 2.500 leitos, um milhão de consultas ambulatoriais, 232 mil atendimentos de urgências e emergências e mais de 50 mil cirurgias por ano. 

Fora as dimensões, o HC também coleciona prêmios. Esse ano, mais uma vez a revista americana Newsweek o elegeu entre os 200 melhores complexos de saúde do mundo em sete especialidades no “The Word’s Best Specialized Hospitals”: oncologia (149º); cirurgia cardíaca (149º); cardiologia (182º); ortopedia (71º); neurocirurgia (90º), neurologia (29º, melhor colocação) e gastroenterologia (114º).  

A UBS Manoel Joaquim Pera é o principal equipamento de saúde localizado nos limites do bairro. Instalada na rua Purpurina, a unidade é desde 2015 parceira da Associação Saúde da Família (ASF). A UBS conta com 23 salas, 68 profissionais e realiza, em média, mais de 7,5 mil atendimentos por mês, incluindo 4,8 mil visitas domiciliares, consultas e procedimentos odontológicos. O horário de atendimento é de segunda a sexta-feira, das 7h às 19h.

Lazer

A Vila Madalena se tornou uma verdadeira galeria a céu aberto. O responsável por isso é o mundialmente conhecido Beco do Batman. Com seu grande acervo de painéis de grafites assinados por vários artistas, o Beco entrou para o circuito turístico da cidade. Aos finais de semana, recebe turistas de todas as partes do Brasil e do mundo, Nas redondezas surgiram vários bares e quiosques, além de uma feirinha de artesanato nos finais de semana. 

 Ali pertinho fica outro achado, a Loja Retrô 63, lugar perfeito para garimpar objetos, móveis e artigos antigos. Regularmente a loja promove leilões para movimentar seu acervo. 

Para quem curte um belo fim de tarde, o bairro tem um lugar especial. Trata-se da praça Coronel Custódio Fernandes, a famosa Praça do Pôr do Sol. Como o nome sugere, o local ideal para sentar e apreciar a chegada da noite com uma vista privilegiada da cidade. A Praça fica nas proximidades da rua Desembargador Ferreira França.

Outra atração da Vila Madalena é o seu Carnaval de Rua. Com o boom de blocos surgido a partir de 2013, o bairro acabou se tornando um dos epicentros da folia paulistana. Claro que as multidões que invadiram o bairro causaram incômodo naqueles moradores que não gostam da festa de Momo. Em resposta, a Prefeitura acabou limitando o número de desfiles na região. Mas isso não diminuiu a alegria e a empolgação dos foliões de blocos como a Banda do Macaco Cansado, Nu’Interessa e Maracatu Bloco de Pedra, entre outros, que enchem as ruas da Vila de alegria, suor e batuque. 

Gastronomia

Dos anos 90 para cá, a Vila Madalena se transformou em um dos maiores polos gastronômicos de São Paulo. Tem bar, boteco e restaurante para todos os bolsos e gostos. Desde os mais antigos como o Empanadas Bar, sobrevivente daquela Vila bucólica dos tempos dos alunos e professores da USP, até bares mais arrumadinhos, com cara de Vila Olímpia e Jardins, como o Salve Jorge e São Bento. A oferta é tão grande que fica até difícil escolher. 

A região da rua Aspicuelta é uma das mais famosas e está sempre cheia. É o principal eixo boêmio do bairro. Lá estão o Posto 6, a Cervejaria Patriarca, o Pasquim e o tradicional Quitandinha. Esses lugares viraram points e lotam de janeiro a janeiro. Ali pertinho tem um clássico da Vila. Mais intimista, com luz baixa e música alta, o Sub Astor é um convite para beber e dançar a noite toda com amigos ou naquele primeiro encontro. Para chegar lá tem a passagem obrigatória pelo Astor. 

Na gastronomia, a região tem várias opções para diferentes paladares. Muitos restaurantes resistiram à pandemia, caso do Quincho Cozinha & Coquetelaria, casa veggie e vegana que se rendeu ao delivery pela superlotação, “culpa” da qualidade da sua cozinha.  No Pé de Manga, você come e bebe ao ar livre. O menu é bem diversificado. Tem salada, acarajé vegano e caldeirada de legumes, entre outras tentações em forma de comida saudável e livre de agrotóxicos. 

Bravo  representante da Velha Guarda da Vila desde 1980, o Martin Fierro, da restauratrice argentina Ana Maria Massochi e seu filho Carlitos, faz a alegria dos amantes da carne servindo cortes suculentos e sempre no ponto certo. Não deixe de provar também as deliciosas empanadas da casa com acento porteño, eleitas as melhores da cidade pelo Paladar em 2019.

Mas tanto agito e badalação também produz suas baixas. A Queijaria, lojinha inteiramente dedicada aos queijos brasileiros artesanais, bateu pernas da Vila. Seus donos justificaram a mudança para a vizinha Vila Beatriz alegando que o bairro ficou muito cheio e congestionado, o que acabou dificultando a ida dos clientes tradicionais à loja. O progresso tem seu preço. 

PET

Coladinho na Vila Madalena, o Parque Villa Lobos tem o melhor cachorródromo da região. Desde setembro do ano passado sob administração de uma concessionária privada, o equipamento oferece duas áreas cercadas e delimitadas onde os bichos podem correr e brincar à vontade sem coleiras e guias. Os animais de pequeno porte devem ficar em um espaço de 500 m². Os maiores no de 1,5 mil m². Eles são separados por tamanho e peso justamente para segurança dos pequenos, que podem levar a pior numa brincadeira com os “grandões”. 

O piso é de areia e há dois quiosques com cobertura e alguns bancos para os tutores descansarem. Perto da grade, há bebedouros para os cachorros matarem a sede. No meio do espaço há um túnel e pneus para que os bichos possam passar por cima ou por dentro deles. 

Além do Villa Lobos, a região conta com várias praças públicas com os chamados “parcães“. São elas: Amundsen, Maria Noeli Carly Lacerda, praça da Mateus Grou, Praça Pôr do Sol e Horácio Sabino. Para frequentá-los, a Prefeitura informa que há regras e normas que precisam ser seguidas. São elas: recolhimento das fezes para evitar sujeira e propagação de doenças, carteira de vacinação em dia, aplicação regular de antipulgas e anticarrapatos e uso de focinheira para animais de raças mais agressivas. Recomenda-se, também, manter o animal seguro em guias e coleiras.

Outro benefício do distrito é a proximidade com um dos quatro hospitais veterinários públicos da cidade. Em 2022, a Prefeitura assinou um convênio com a USP para que a conhecida unidade veterinária da instituição passasse a atender o público da região. A prioridade do serviço é a população de baixa renda beneficiada por programas sociais dos governos municipal, estadual e federal. Mas qualquer cidadão pode levar seu cão ou gato para atendimento. 

Os hospitais oferecem serviços gratuitos de consultas, cirurgias, exames laboratoriais e internação. No total são sete especialidades oferecidas: oftalmologia, cardiologia, endocrinologia, neurologia, oncologia, ortopedia e odontologia.

E não poderíamos falar de Vila Madalena e região sem citar os bares e restaurantes amigos do seu “cãompanheiro”. Vários estabelecimentos são Pet Friendly. Exemplo do Le Jazz, gelateria Stuzzi Come L’Itália, Brado Restaurante, Olívio Bar, Bar do Beco, Pracinha do Seu Justino, hamburgueria Busger e a cervejaria Perro Libre, cachorro livre em espanhol, entre outros.  

Cultura

Não é exagero dizer que a Vila Madá respira cultura.  O bairro é célebre por suas galerias de arte. Algumas das melhores do ramo em São Paulo estão lá, como a Raquel Arnaud, Dezoito e Millan.

A Livraria da Vila é outro endereço icônico. Além da generosa oferta de livros, oferece um ambiente aconchegante e uma cafeteria com um delicioso espresso e outros saborosos doces e quitutes. Cachorros são bem-vindos. O espaço é Pet Friendly. 

O Centro Cultural Vila Madalena pode ser um bom programa para a família, com muita leitura, shows, teatros e exposições. O espaço fica coladinho no Beco do Batman.

Novidade no bairro, a Casa Rockambole ocupa desde 2022 as instalações do antigo Centro Cultural Rio Verde, mais um espaço vitimado pela pandemia. Projeto do selo musical que dá nome a casa, o empreendimento conta com uma curadoria voltada para trabalhos autorais de artistas da capital e de fora dela. A casa é palco fixo dos artistas e bandas contratados pela gravadora.

Mistura de agito com boa música, o Julinho Club se tornou um dos points mais movimentados do bairro. A casa do violonista e cantor Júlio Cesar Oliveira é antiga no pedaço. Mas bombou mesmo na volta da pandemia, quando foi descoberta por um público mais jovem e descolado que lota a casa para curtir seus shows de música ao vivo de terça a domingo.

As “Sextas de Chico” têm sido a noite mais concorrida, quando o próprio Julinho convida amigos para dividir com ele o repertório de Chico Buarque e “muito mais”, como o flyer do seu perfil no Instagram anuncia. Mas tente chegar cedo. Caso contrário, a fila é longa e a diversão acaba sendo curta.  

Segurança

De acordo com dados da Secretaria de Segurança Pública de São Paulo (SSP-SP), houve aumento de 6,7% nos roubos e furtos registrados no primeiro semestre na 14ª Delegacia de Polícia de Pinheiros, o distrito que atende a Vila Madalena, em comparação ao mesmo período do ano passado. Com alta concentração de bares e restaurantes, parte desses delitos acontecem no interior desses estabelecimentos. 

Em 2023, a SSP aumentou o nível de detalhamento das estatísticas criminais do Estado. Antes, nesse segmento, só havia dados disponíveis sobre os crimes cometidos em restaurantes e estabelecimentos comerciais em geral. A partir desse ano, é possível saber se um determinado furto ou roubo foi praticado especificamente em um bar, botequim, café, casa noturna, casa de espetáculo, lanchonete, padaria, pizzaria e restaurante. Segundo levantamento exclusivo do Caderno de Imóveis de O Estado de São Paulo, de janeiro a agosto foram registrados 27 furtos e roubos no interior desses estabelecimentos no DP do bairro. Os números podem ser bem maiores. Mas nem todo mundo que tem o celular, bolsa, carteira ou outro item roubado num bar, restaurante ou casa noturna registra o Boletim de Ocorrência na delegacia física ou nos meios virtuais da Polícia Civil. 

Localização 

Literalmente envolvida por Pinheiros, Sumaré e Alto de Pinheiros, a Vila Madalena está localizada na zona oeste da cidade, nas proximidades da Marginal do Rio Pinheiros. Está a 9,5 quilômetros da Praça da Sé, 13,7 quilômetros do Terminal Rodoviário do Tietê, 13 quilômetros do Aeroporto de Congonhas e 36 quilômetros do Aeroporto de Cumbica. Suas principais vias de acesso e circulação são as avenidas Sumaré, Henrique Schaumann, Pedroso de Morais e as ruas Cerro Corá, Fradique Coutinho, Mourato Coelho, dos Pinheiros e Cardeal Arcoverde. 

Lançamentos

Logo Empreendimento Capa do Lançamento
Logo Empreendimento

Vitra Paraíso

Vila Mariana, São Paulo

Metros Quadrados47 a 52m² Suítes1 suíte Garagem1 vaga

Notícias relacionadas

Imagem destacada

Construção civil na pandemia: 25% de afastamento e 60 dias sem óbitos

9 minutos de leitura
Imagem destacada

Seguro fiança é alternativa para quem não tem fiador

1 minuto de leitura
Imagem destacada

Mercado de imóveis novos em SP tem melhor resultado dos últimos 6 anos

2 minutos de leitura
Imagem destacada

Após receber US$ 250 mi, construtech Vila 11 entregará obra de mais cinco prédios

2 minutos de leitura