Aluguel

São Paulo: Aluguel em Água Fria ficou 31,3% mais caro em 12 meses

Bairro registrou maior alta da cidade durante período, segundo levantamento do Quinto Andar

Por:Breno Damascena 27/09/2023 3 minutos de leitura
aluguel-valorizacao-sao-paulo
Preço médio do aluguel na cidade é de R$ 58,73 por metro quadrado/ Crédito: Getty Images

Publicidade

O preço do aluguel de apartamentos em Água Fria, na zona norte de São Paulo, valorizou 31,3% nos últimos 12 meses. É o bairro com a maior alta da cidade durante o período, de acordo com o Índice de aluguel QuintoAndar Imovelweb. O preço atual do metro quadrado na região é R$ 58,4. Desta forma, o bairro se coloca como o 15º mais caro da capital paulista. 

“Água Fria tem boa vocação no mercado residencial e possui grande potencial de valorização, o que sinaliza uma dinâmica positiva no médio e no longo prazo”, justifica Thiago Reis, gerente de Dados do Grupo QuintoAndar. “O bairro tem segurança adequada, boas opções de entretenimento e acessibilidade privilegiada, com alternativas de ônibus, trem e carro”, acrescenta. 

Para Reis, o movimento de alta é uma espécie de compensação pela queda durante a pandemia. “Água Fria sofreu perdas mais severas do que a média da cidade e apenas recentemente os preços voltaram ao patamar pré-pandemia, o que explica a valorização expressiva”, comenta. 

O segundo bairro com maior valorização nos últimos 12 meses é o Parque Novo Mundo (30,5%), também na zona norte. E o Top 5 se completa com Lapa (30,5%), Bom Retiro (30,3%) e Alto da Lapa (29,6%). 

Publicidade

Fonte: Índice de aluguel QuintoAndar Imovelweb/ Dados de agosto de 2022 a agosto de 2023

Na contramão dessas altas, Alto de Pinheiros teve uma desvalorização de 7,2%, a maior dos últimos 12 meses. “A tendência de longo prazo que se observa é de acomodação dos preços”, analisa Thiago. É importante pontuar que o levantamento considera apenas a dinâmica de preços dos apartamentos. “O bairro é pouco dinâmico em termos de lançamentos e tem tickets muito elevados”.

“Alto de Pinheiros é um bairro predominantemente horizontal e seus apartamentos são maiores que a média dos outros bairros observados, com maior participação de imóveis de 3 dormitórios. Ambos os fatores acabam influenciando no preço médio – dado que apartamentos menores tendem a registrar um preço maior do metro quadrado”, acrescenta Thiago. 

Fonte: Índice de aluguel QuintoAndar Imovelweb/ Dados do trimestre

Desaceleração de preços

O Índice mostra que o preço dos aluguéis vem dando sinais de desaceleração. São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Curitiba, capitais analisadas pelo estudo, diminuíram o ritmo de valorização após longo período de altas consecutivas. Na capital paulista, por exemplo, a alta nos últimos 12 meses foi de 10,68%, menor patamar alcançado desde maio de 2022.

“É o menor percentual desde maio do ano passado, quando os novos aluguéis acumulavam alta de 9,81%”, compara Thiago. “Esse movimento tem começado a ganhar força nos bairros. Nos últimos três meses, 27% dos bairros monitorados pelo indicador registraram desvalorização do preço do metro quadrado. Ao todo, 30 dos 110 bairros monitorados tiveram queda no valor”, adiciona.

Publicidade

Fonte: Índice de aluguel QuintoAndar Imovelweb/ Dados de agosto

O Rio de Janeiro segue na mesma direção. Depois de uma alta seguida de valorização que começou em agosto de 2021, no último mês a valorização acumulada de 16,66% é menor que a registrada nos 12 meses finalizados em julho. Em Curitiba, registrou-se a segunda menor valorização desde agosto de 2022.

Isso não significa que está mais barato morar por aluguel nestas regiões. O preço médio do metro quadrado nas principais capitais do país ainda está entre os mais altos de toda a série histórica acompanhada pelo Índice. O valor médio do metro quadrado em São Paulo, por exemplo, é R$ 58,73

No Rio, o preço do metro quadrado custa R$ 38,73. Já em Curitiba e em Belo Horizonte, os preços médios foram R$ 41,73 e R$ 32,64, respectivamente. 

Em termos práticos, para alugar um imóvel de 1 quarto de até 45 m² e sem vaga de garagem em São Paulo é necessário desembolsar entre R$ 1.550 e 1.700. Para imóveis de dois quartos com 80m² e com vaga de garagem, o locatário vai gastar entre R$ 2.310 e R$ 2.530.

Publicidade

“A alta dos studios acumulada nos últimos 12 meses é de 8,88% – bem menor que a de apartamentos de 2 dormitórios (13,44%) e 3 dormitórios (12,74%)”, observa Thiago. “O preço desses apartamentos menores caiu em agosto pela primeira vez em mais de dois anos. Desde julho de 2021, não era registrada uma retração no valor”. 

NEWSLETTER
IMÓVEIS

Inscreva-se e receba notícias atualizadas do mercado de imóveis

Notícias relacionadas

Imagem destacada

Leilão de apartamento decorado: conheça um jeito barato de decorar

2 minutos de leitura
Imagem destacada

São Paulo tem o aluguel comercial mais caro do Brasil em setembro

1 minuto de leitura
Imagem destacada

Brasileiros compram imóveis nos EUA para dolarizar investimentos

4 minutos de leitura
Imagem destacada

Como a rede de hotéis Hilton conseguiu dar um salto na pandemia e expandir presença no Brasil

2 minutos de leitura