Em linha com os bons números do mercado imobiliário, o mega empreendimento Parque Global, na zona sul da capital, está impulsionando os resultados da Benx Incorporadora. O sucesso de vendas das duas torres lançadas em agosto de 2020 – após cinco anos de embargo, por questões ambientais –, já fizeram a empresa antecipar seus planos.


“O planejamento era para lançar duas torres em 2020, uma em 2021 e as outras duas em 2022. Mas já lançamos quatro (duas neste primeiro semestre) – a primeira está 100% vendida, a segunda 95% e a terceira, 75%”, afirma o diretor geral, Luciano Amaral.

Maior empreendimento do Brasil, segundo a companhia, ocupa um terreno de 217 mil m². “Serão cinco torres com 660 unidades, shopping center e complexos de educação, faculdade, saúde, num novo modo de viver e de morar. Só na área residencial são R$ 2,2 bilhões de valor geral de vendas (VGV). E muito verde, algo que quase se tornou obrigatório para quem tem a oportunidade escolher”, diz Amaral. Segundo ele, já estão vendidas 340 unidades. 

Ao longo de quase 1,5 km à beira do Rio Pinheiros, próximo ao Parque Burle Max, os cinco edifícios de 47 andares terão unidades de 142 m², a partir de R$ 2 milhões, até 600 m², custando entre R$ 10 milhões e R$ 11 milhões. 

Segundo a incorporadora, não faltará tecnologia nem itens de exclusividade e conforto, como wine bar, office center para pelo menos 30 pessoas, simulador de golfe, piscina com estrutura gourmet, deck e área ao ar livre, pistas de boliche, sala de cinema e quadras de tênis. Tudo assinado por escritórios de arquitetura europeus. O VGV total do empreendimento é estimado em R$ 11,5 bilhões.

As duas torres lançadas em 2020 contribuíram para colocar a Benx entre as vencedoras do Top Imobiliário na categoria Incorporadoras. No total, foram seis lançamentos e 1.263 unidades oferecidas ao mercado no ano passado. De acordo com a companhia, que pertence ao grupo Bueno Netto, foi o melhor ano em toda sua história. Segundo dados da Empresa Brasileira de Estudos de Patrimônio (Embraesp), a empresa teve um VGV lançado de R$ 1,26 bilhão.

Amaral diz que, apesar do adiamento de lançamentos por causa da pandemia, no ano passado, a empresa estava preparada e conseguiu aproveitar bem o momento, ajudada pelas taxas de juros em queda, a oferta abundante de crédito e ainda pelo aquecimento da demanda. 

Assine nossa newsletter e receba por e-mail as principais notícias e dicas.
Fique tranquilo, não enviamos SPAM.

“Reforçamos nosso pessoal e demos novos treinamentos em vendas e investimos em marketing digital. O mercado ajudou e quadruplicamos os R$ 400 milhões de lançamentos de 2019”, afirma o executivo. As condições que favoreceram o mercado também deram fôlego à outra vertente da equação que deu o melhor ano à incorporadora, o segmento econômico, com os empreendimentos do Viva Benx. 

Com o conceito de trazer o econômico para mais perto do centro da cidade, ficando mais próximo de maior oferta de trabalho, serviços e transporte, a empresa fez, ao longo do tempo, lançamentos em bairros como Barra Funda, Vila Leopoldina, Jardim Marajoara, Mooca, Santana, Vila Mascote e Vila Mariana, entre outros.

O Viva Benx tem apartamentos de 24 m² a 37 m², de R$ 180 mil a R$ 280 mil, com “qualidade e charme”, segundo Amaral. “Deu muito certo, pois oferecemos boa localização, arquitetura e design de interiores modernos e uma pegada de sustentabilidade aliada à economia, como reúso de água, pisos com maior capacidade de limpeza, economia de energia, elevadores inteligentes.” 

Para dar ideia de como as vendas estão bem em 2021, Amaral conta que o Viva Benx Vila Olímpia, lançado em dezembro, tinha 80% das 450 unidades vendidas em pouco mais de dois meses; o da Faria Lima tinha contratos assinados de 230 das 250 unidades – parte dos dez lançamentos do ano, que devem garantir o crescimento previsto entre 10% e 15% no ano.

Embargo

O Parque Global foi lançado em 2013, mas as obras foram embargadas em agosto de 2014, por três ações, duas relacionadas a questões ambientais – sobre a reabilitação ambiental do terreno e outra devido a dúvidas sobre a suficiência das medidas ambientais – e uma relativa a projeto, que teve como um dos objetos a exigência de aprovação dos empreendimentos por meio de processo único pela Prefeitura.

As ações ambientais foram encerradas por acordo homologado em segunda instância e, em março de 2019, foi extinta a terceira ação, pois foi aprovado o Estudo de Impacto de Vizinhança e Relatório de Impacto de Vizinhança (EIV-RIV) solicitado.

Conteúdo originalmente publicado em https://economia.estadao.com.br/noticias/geral,top-imobiliario-2021-megaprojeto-impulsiona-atuacao-da-benx,70003756831