As vendas de imóveis em São Paulo no mês de janeiro somaram 3.566 unidades, segundo pesquisa realizada pelo Sindicato da Habitação de São Paulo (Secovi-SP) e obtida com exclusividade pelo Estadão. O resultado é 6,1% superior ao registrado em janeiro de 2021 e 58,6% inferior ao registrado em dezembro de 2021, considerando residenciais e novos.

Já no acumulado em 12 meses (de fevereiro de 2021 a janeiro de 2022), foram vendidas 66.296 unidades, volume que representa aumento de 27,3% em relação ao período anterior, de fevereiro de 2020 a janeiro de 2021.

Para Ely Wertheim, presidente executivo do Secovi-SP, os números indicam que o mercado imobiliário está se mantendo estável. “Comparando janeiro de 2022 com janeiro de 2021, o crescimento de 6,1% representa uma estabilidade do mercado. O mês não traz grandes novidades, é um janeiro normal. 

E esse pequeno crescimento é até um pouco surpreendente para o lado positivo, se levarmos em consideração que a taxa de juros em janeiro de 2021 era muito menor que em janeiro de 2022″, diz. 

Em janeiro, foram lançadas 945 unidades residenciais na cidade, quantidade 47,3% menor do que a registrada em janeiro de 2021 e 95,1% menor que a registrada em dezembro de 2021. No acumulado de fevereiro de 2021 a janeiro de 2022, os lançamentos em São Paulo somaram 80.992 unidades, 31,4% superior ao registrado no período anterior, de fevereiro de 2020 a janeiro de 2021.

A cidade encerrou o último mês de janeiro com a oferta de 63.701 unidades disponíveis para venda, quantidade 39,7% acima do volume de janeiro de 2021 e 3,3% abaixo do volume de dezembro do ano passado. 

O indicador que apura a porcentagem de vendas em relação ao total de unidades ofertadas atingiu 5,3% em janeiro, ante 6,9% em janeiro de 2021 e 11,6% em dezembro de 2021.

Ely Wertheim destaca os resultados dos imóveis econômicos, enquadrados nos parâmetros do programa Casa Verde e Amarela que representaram 58% das unidades vendidas no mês e 82% das unidades lançadas, sendo que o total da oferta disponível para a venda desse tipo de imóvel foi de 26.836 unidades (42% do total).

“Eu acho importante dizer que as unidades do Casa Verde e Amarela tiveram um desempenho bastante bom, o que demonstra a demanda que há nessa faixa de preços e a força desse mercado”, afirma. 


Vendas de imóveis em S˜ão Paulo: expectativas para 2022 

A expectativa do Secovi-SP é que o mercado imobiliário não deve ter grandes altas em 2022. “Neste ano, evidentemente, o cenário é diferente do ano anterior”, afirma Wertheim. “É um cenário mais complexo, porque temos um ano eleitoral, temos a subida da taxa de juros, que vai impactar a economia. E agora também temos o conflito entre Rússia e Ucrânia. Nossa expectativa é de uma manutenção ou ligeira queda do mercado imobiliário para este ano. Não há indicações de que haverá crescimento das vendas, e sim uma estabilidade com um viés de baixa. Mas não deve ser uma baixa significativa”, explica.

Conteúdo originalmente publicado em:
https://economia.estadao.com.br/noticias/geral,secovi-imoveis-janeiro,70004000052