Voltar
IMÓVEIS

Buscando sugestões para:


Página inicial / Guia de Bairros / Vila Sônia: um bairro em desenvolvimento

Vila Sônia: um bairro em desenvolvimento

Distrito jovem e com forte crescimento imobiliário vem chamando a atenção de quem busca mobilidade e qualidade de vida na cidade


Da Redação

23/07/2020 - 4 minutos de leitura


Vila Sônia tem vivenciado um crescimento imobiliário intenso, principalmente próximo à divisa com o distrito do Morumbi, com empreendimentos para classes média e média-alta/ Foto: Getty Images

Vila Sônia está situada na zona sudoeste da capital paulistana. O terreno da região pertencia ao médico Antonio Bueno e a Joaquim Manuel da Fonseca, sendo que o nome Vila Sônia foi dado em homenagem a uma das filhas de Bueno. É uma região relativamente nova no município de São Paulo e na década de 50 não possuía sequer energia elétrica ou água encanada.

O desenvolvimento do bairro teve início na década de 60. De lá para cá, o território tem vivenciado um crescimento imobiliário intenso, principalmente próximo à divisa com o distrito do Morumbi, com empreendimentos para classes média e média-alta.

A expectativa é de que a inauguração do metrô Pátio Vila Sônia, que está prevista para dezembro deste ano, reaqueça os lançamentos no bairro, em especial no formato dos compactos, que miram solteiros ou jovens casais dispostos a abrir mão de metragem privativa pela proximidade com o transporte público.

O território conta com dois shopping centers, ambos nas divisas com outros distritos: o Raposo Shopping, na fronteira com o Rio Pequeno, e o Butantã Shopping, próximo ao Butantã.

Preço

Segundo a Pesquisa de Mercado da Capital do Conselho Regional de Corretores de Imóveis (Creci-SP), o preço médio por m² de um patrimônio no bairro da Vila Sônia é de R$ 4.637,50. Já no aluguel, casas com um dormitório tem o valor médio de R$ 1.257,14. Com dois, R$ 1.834,67 e com três dormitórios, R$ 3.762,86.

Mobilidade

Vizinho de distritos como Morumbi e Butantã, a Vila Sônia está cercada de vias importantes que facilitam o deslocamento para outras partes da cidade e até para municípios vizinhos, como as avenidas Giovanni Gronchi, Jorge João Saad, Eliseu de Almeida, Professor Francisco Morato e as Rodovias Raposo Tavares e Regis Bittencourt, que são caminhos importantes para cidades do sul do Estado e do País.

Na parte de transportes, a área, que já conta com diversas opções de linhas de ônibus, inclusive intermunicipais, passará a ser atendida pela rede de metrôs da cidade de São Paulo. Atualmente, está em construção a estação que levará o nome do bairro e fará parte da linha 4-Amarela do metrô. Ela deverá ser o ponto final da linha, somando-se às outras dez da ligação. O objetivo do governo é que a estação seja entregue até final de 2020.

Assine nossa newsletter e receba por e-mail as principais notícias e dicas.
Fique tranquilo, não enviamos SPAM.
Quero me cadastrar para receber informações relevantes por e-mail. Fique tranquilo, não fazemos SPAM.

Educação

A região acomoda diversas opções de ensino, como a Escola Recriar, a Escola da Vila Morumbi, o Colégio Souza e Almeida, a Escola Estadual Professor Adolfo Tripoli e Universidade Cruzeiro Do Sul – Polo Morumbi.

Saúde

A área abriga a Assistência Médica Ambulatorial (AMA) e Unidades Básicas de Saúde (UBS) da Vila Sônia, Hospital Next Butantã e o MedServ Centro de Nefrologia e Diálise.

Lazer

Para quem aprecia a natureza, o bairro conta com o Parque Burle Marx, que tem uma proposta mais contemplativa e não apenas de lazer e diversão. O espaço foi inaugurado em 1995, depois que o arquiteto e paisagista Roberto Burle Marx finalizou seu projeto artístico que não proporciona área para andar de bicicleta, skate ou jogar bola. Isso se deve a sua importante função de preservar um trecho do que restou da Mata Atlântica paulista.

Com uma área aproximada de 138 mil metros quadrados, o local conta com áreas de trilha (sendo três de diferentes tamanhos e dificuldades), o Bosque das Jabuticabeiras, a Região dos Lagos, um grande gramado central, playground, horta comunitária, estação de compostagem, espaço para piquenique e eventos, e algumas construções importantes para a história e a arquitetura nacionais, como a Casa de Taipa e Pilão, utilizada pelo “Ciclo Bandeirista”, e o Jardim Burle Marx — que é uma das principais atrações.

Além deste, o distrito desfruta do Parque Villa-Lobos. Inaugurado no final de 1994, o projeto do arquiteto Decio Tozzi foi originalmente concebido para ser um oásis musical – uma homenagem ao compositor Heitor Villa-Lobos. Mas hoje é muito procurado para caminhadas e passeios de bicicletas. Ele possui 741 mil m² de área verde, ciclovia, parquinho, ilha musical para shows e concertos e bosque de Mata Atlântica. A área de lazer inclui ainda aparelhos para ginástica, pista de corrida, tabelas de basquete, três quadras para futebol de salão, sete para tênis, além de quadras poliesportivas, quatro campos de futebol, 2,4 quilômetros (km) de pistas para caminhadas, 3,5 km de ciclovia, um anfiteatro aberto de 729 m², com 450 lugares, e o Orquidário Ruth Cardoso.

Já para quem gosta de bater perna, o distrito tem duas opções de shopping centers: Raposo Shopping e Butantã Shopping. Ambos possuem lojas para todos os perfis, praças de alimentação e supermercado.

Gastronomia

O bairro da Vila Sônia oferece um grande leque de possibilidades gastronômicas. Como o restaurante 339 Gastronomia (Rua Manuel Jacinto, 339) e suas diversas opções de pratos com temperos brasileiros. O Masse Mangiare Rotisserie (Rua Dr. SÍlvio Dante Bertacchi, 468) é ideal para os apreciadores de massas. O Guerreiro Burguer (Avenida General Francisco Morazan, 45a) agrada quem gosta de um bom hambúrguer e o Kida Sushi II (Rua Doutor SÍlvio Dante Bertacchi, 840) é para quem ama comida japonesa.

AVALIAR ESSE ARTIGO
Você precisa estar logado para comentar.
Faça o login


Notícias relacionadas