Voltar
IMÓVEIS

Buscando sugestões para:


Página inicial / Guia de Bairros / Pari: centro comercial de artigos para decoração

Pari: centro comercial de artigos para decoração

Região abriga ainda a igreja de Santo Antônio do Pari, o Estádio do Canindé e restaurantes árabes


Da Redação

13/03/2020 - 2 minutos de leitura


A região tem vocação para o comércio, são 200 lojas populares que atraem compradores interessados nos itens para a casa, roupas, bichos de pelúcia e bijuterias/ Foto: Getty Images

Situado na região central do município de São Paulo, a nordeste do Centro Histórico da Capital, o Pari é um dos mais antigos bairros paulistanos, com mais de 400 anos. Foi uma área importante para a sobrevivência e o crescimento da cidade durante o século XVI, enquanto a alimentação dos moradores era resultado da pesca, principalmente dos rios Tietê e Tamanduateí. Aliás, o nome do bairro veio da pescaria. Os pescadores colocavam em certos pontos desses rios uma armadilha chamada “pari” para atrair os peixes, que consistia em uma cerca de taquara ou de cipó estendida de margem a margem do rio. Até a inauguração do Mercado Municipal, em 1867, na rua 25 de Março, a venda desse pescado acontecia nas calçadas da igreja do Carmo, que era uma espécie de mercado de peixe da cidade.


Atualmente, o item comercializado não é mais o mesmo, mas a vocação da região continua sendo o comércio. As 200 lojas populares presentes no bairro atraem compradores interessados nos objetos para a casa, roupas, bichos de pelúcia e bijuterias com valores mais em conta.

Preço

Segundo a Pesquisa de Mercado da Capital do Conselho Regional de Corretores de Imóveis (Creci-SP), o preço médio por metro quadrado (m²) de uma casa no bairro do Pari é de R$ 3.469,55 e de um apartamento é de R$ 3.629,03. Já no aluguel, casas com um dormitório tem o valor médio de R$ 711,43. Com dois, R$ 1.326,74 e com três dormitórios, R$ 2.581,25.

Mobilidade

O Pari faz fronteira com os bairros do Belém, Vila Guilherme, Brás, Santana e Bom Retiro, nas regiões central, norte e leste da cidade. Suas principais vias são as Ruas Silva Teles, Bresser, João Teodoro e a Avenida Cruzeiro do Sul, onde estão algumas das estações da linha 1-Azul do Metrô. A estação Armênia é a mais próxima do distrito, cerca de 1,5 quilômetro de distância. A previsão é de que a linha 11-Coral da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) ganhe uma nova parada a partir de 2025: a Pari.

Assine nossa newsletter e receba por e-mail as principais notícias e dicas.
Fique tranquilo, não enviamos SPAM.
Quero me cadastrar para receber informações relevantes por e-mail. Fique tranquilo, não fazemos SPAM.

Educação

O distrito abriga a Santa Maria, Saint Clair, Frei Paulo Luigi, Ciranda do Saber e a Universidade São Francisco do Pari. Além disso, na Avenida Carlos de Campos, 841, está situada a sede da Secretaria de Estado da Educação.

Saúde

A região abriga o Hospital Nossa Senhora do Pari, Hospital Evaldo Foz, Inter Hospital Pari, Posto de Saúde Pari, Assistência Médica Ambulatorial (AMA) Pari e diversos centros especializados, como a Centerclin e Interclínicas.

Lazer

O bairro tem como um dos principais pontos de referência a igreja de Santo Antônio do Pari, que todo dia 13 de junho recebe devotos em busca da bênção do santo casamenteiro. A região abriga também o Estádio do Canindé, a sede da Portuguesa de Desportos e o Shopping D. Além disso, o comércio é outro de seus atributos, em especial as lojas de decoração. Treze quarteirões entre a Avenida Vautier e a Rua Tiers formam um dos maiores centros comerciais de artigos de decoração e utensílios domésticos da cidade.

Gastronomia

Uma das opções para almoçar é a praça de alimentação do Shopping Galeria Pagé. Restaurantes, como Mortadela Brasil (Rua da Cantareira, 306) e os árabes Shiraz Shawarma (Rua Traipú,186) e Raful (Rua Comendador Abdo Schahin 118) são atrativos gastronômicos em dias de compras.

AVALIAR ESSE ARTIGO
Você precisa estar logado para comentar.
Faça o login


Notícias relacionadas