Voltar
IMÓVEIS

Buscando sugestões para:


Página inicial / Compra / Pensando em comprar um imóvel, mas precisa financiar o valor total?

Pensando em comprar um imóvel, mas precisa financiar o valor total?

Entenda quem pode comprar um apartamento sem dar sinal e como funciona o financiamento imobiliário


Da Redação

28/03/2020 - 2 minutos de leitura


Para quem não tem parte do montante para comprar a casa de uma vez, a alternativa é buscar um financiamento/ Foto: Getty Image

A compra de um imóvel à vista, segundo o Conselho Regional de Corretores de Imóveis do Estado de São Paulo (Creci-SP), representa cerca de um terço das vendas. As vantagens de adquirir o bem sem precisar de um financiamento são claras: reduzir o risco de endividamento e evitar as taxas de juros. Mas será que é possível comprar uma moradia sem entrada e financiar o valor total? Sim, mas apenas para beneficiários da Faixa 1 e 1,5 do programa Minha Casa Minha Vida.

Como participar

O programa tem como objetivo diminuir o déficit habitacional no País. Portanto, apenas os brasileiros que se encontram na Faixa 1, famílias com renda mensal bruta de até R$ 1.800, têm a possibilidade de comprar um apartamento sem entrada. Além destes, os beneficiários da Faixa 1.5 – famílias com renda mensal bruta de até R$ 2.600 – têm direito ao subsídio federal para ajudar a quitar o valor.

Além de estar enquadrado na faixa requerida, é preciso considerar outros fatores para financiar o imóvel. O primeiro deles é a análise do banco sobre o valor do bem e a região onde está localizado. De acordo com a Caixa, o valor das parcelas não pode ultrapassar 30% da renda bruta da família.

Sendo assim, é de extrema importância que os interessados escolham um imóvel que tenha um valor adequado para não ultrapassar esse limite. Outra necessidade é a participação em uma espécie de processo seletivo no município, que atende as pessoas que poderão comprar um apartamento sem entrada.

Para participar, é preciso estar cadastrado na Prefeitura, já que o sistema consiste em uma parceria entre o Governo Federal, a Caixa Econômica e o município. Apesar de o procedimento depender de cada cidade, vale ressaltar que o sistema como um todo pode levar um tempo e, por isso, é fundamental fazer um planejamento financeiro.

Assine nossa newsletter e receba por e-mail as principais notícias e dicas.
Fique tranquilo, não enviamos SPAM.
Quero me cadastrar para receber informações relevantes por e-mail. Fique tranquilo, não fazemos SPAM.

Também serão necessários documentos pessoais e da família. A prefeitura ainda pode exigir comprovantes complementares, de acordo com o programa e o imóvel a ser financiado. Por fim, a Caixa Econômica disponibiliza as regras para alterações, reformas ou ampliações em imóveis financiados. No site da Caixa você pode fazer uma simulação do Minha Casa Minha Vida e saber mais detalhes sobre prazos e condições.

Alternativa

Já para quem não tem parte do montante para comprar a casa de uma vez e não se encaixa nas faixas 1 e 1.5, a alternativa é contar com o financiamento de uma instituição financeira, como a própria Caixa, Banco do Brasil, Bradesco, Itaú ou Santander. A modalidade de crédito se baseia em um empréstimo para realizar a obtenção. No entanto, comprar apartamento contanto com uma concessão fica mais caro em taxas de juros mensais.

Além disso, essa opção não elimina a entrada. Mesmo com empréstimo é exigido um pagamento de 20% a 30% do valor do imóvel como sinal. Ou seja, para conquistar a residência dos sonhos, o comprador ainda precisará ter uma quantia considerável, caso contrário o pedido de financiamento será rejeitado.

É muito importante que o comprador avalie por completo todas as possibilidades na hora de adquirir um apartamento para que este esteja de acordo com as suas necessidades pessoais e faça diversas simulações para não comprometer demais o orçamento. Ou então, o sonho pode se transformar em um problema financeiro.

AVALIAR ESSE ARTIGO
Você precisa estar logado para comentar.
Faça o login


Notícias relacionadas