Compra

Churrasqueira, mobilidade e bairros planejados: as preferências de quem compra imóvel no Brasil

Estudo realizado pelo DataZAP+ mostra que 3 em cada 10 compradores estão dispostos a mudar de cidade

Por:Breno Damascena 21/09/2022 4 minutos de leitura
predio-condominio-residencial
A localização do imóvel é fundamental para indicar o preço. A proximidade de serviços e a mobilidade são determinantes na decisão dos compradores/ Crédito: Getty Images

Publicidade

Os modelos de trabalho híbrido e remoto transformaram as demandas de quem compra imóvel no Brasil. Essa foi uma das conclusões apresentadas pelo estudo “Tendências de Moradia”, realizado pelo DataZAP+ e divulgado no Conecta Imobi, evento voltado para o mercado imobiliário que acontece entre hoje e amanhã no Expo Transamérica, em São Paulo. 

“Percebe-se que a pandemia, ao impulsionar mudanças nos formatos de trabalho, reforçou tendências e acelerou mudanças nos imóveis procurados pelos compradores”, explica Danilo Igliori, VP e economista-chefe do DataZAP+. “Esse movimento é percebido tanto pelas características dos imóveis quanto pela sua localização”, complementa. 

Estudo Tendências de Moradia foi divulgado no palco principal do Conecta Imobi/ Crédito: Divulgação ZAP/BS Fotografias

Prova disso é que 3 em cada 10 compradores de imóveis estão dispostos a mudar de cidade, segundo a pesquisa. Esse número está próximo da quantidade de entrevistados que podem trabalhar de forma remota pelo menos dois dias da semana – 4 em cada 10. Destaca-se também que 5% são nômades digitais e 5% trabalham ao ar livre. 

Fonte: Pesquisa Tendências de Moradia/ DataZAP+

O impacto do mercado de trabalho em quem compra imóvel

A experiência com o trabalho em home office influenciou a busca por imóveis com mais área útil (56%), varanda/sacada (52%), quintal (49%), luz natural/espaços arejados (41%) e ambiente para escritório (36%). “Aquela ideia de ter grandes espaços abertos perde a força quando você precisa ficar bastante tempo dentro do apartamento. Agora as pessoas procuram privacidade dentro das próprias residências”, acredita Danilo.

Publicidade

Fonte: Pesquisa Tendências de Moradia/ DataZAP+

Para ele, essa tendência manda uma mensagem importante para as incorporadoras de revalorização das plantas antigas de arquitetura, com mais divisões e cômodos. Isso se reflete no tamanho dos imóveis procurados pelos compradores. A maior parcela do público entrevistado busca imóveis com área acima de 90 m², com a média em torno de 103,45 m², e três dormitórios, especialmente entre o público de classe A (58%). 

Diferença entre gerações

Ao apontar que cerca de 9 em cada 10 entrevistados desejam ter uma vaga de garagem no imóvel, o estudo mostra que ter um carro ainda é importante para quem compra imóvel. No entanto, o estudo também aponta que as gerações mais jovens gerações mais jovens (Z e Y: 9%) consideram esse um elemento menos importante que as gerações mais velhas (X e BB: 3%).

Valores pagos por quem comprou um imóvel nos últimos 12 meses. A média foi de cerca de R$ 410 mil. Fonte: Pesquisa Tendências de Moradia/ DataZAP+

Mais importante do que isso, porém, é a localização do imóvel. Além de ser importante para indicar o preço, a proximidade de serviços e a mobilidade são determinantes na decisão dos compradores. 

Neste sentido, o imóvel estar próximo de vias de acessos e avenidas (48%) é o principal aspecto considerado pelo público. O item é seguido pela proximidade de parques e áreas verdes (29%); clubes, shoppings, teatros e museus (24%) e praias (15%).

Publicidade

Já entre os serviços próximos, destacam-se supermercados e padarias (80%), farmácia (35%), hospitais e clínicas (29%) e bancos/lotéricas (24%). “Essas demandas se relacionam com o conforto, mobilidade e meio ambiente, preocupações que foram reforçadas pela pandemia”, aponta Danilo.

As preferências de moradia

Além do tamanho dos apartamentos, o público que compra imóvel no Brasil tem outras exigências marcantes para escolher o imóvel. Uma das mais marcantes é o desejo de morar em bairros planejados (46%). Ou seja, aqueles bairros que promovem um espaço urbano integrado com residências, opções de lazer, cultura e comércio. 

Enquanto isso, 47% dos compradores querem morar na mesma cidade, mas em um bairro diferente do que residem atualmente e 26% estão confortáveis com o lugar em que vivem.

As atividades de mobilidade geográfica são claras, mas não acontecem em uma escala grande o suficiente para alterar as estruturas urbanas. 

Publicidade

Danilo Igliori, VP e economista-chefe do DataZAP+

Chama atenção, também, quem sonha com imóveis localizados em condomínios-clubes (28%) e condomínios com serviços pay-per-use (16%). Ambas refletem o desejo da população por facilidades integradas e com acesso a serviços que consideram importantes. 

A qualidade de vida como foco da moradia fica ainda mais clara quando se analisa os itens convencionais e não convencionais preferidos pelos compradores de imóveis. Churrasqueira (49%), piscina externa (41%) e serviços de mensageria (39%) lideram o ranking divulgado pelo estudo da DataZAP+. 

Fonte: Pesquisa Tendências de Moradia/ DataZAP+

Preocupação com sustentabilidade

Aproximadamente 7 em cada 10 entrevistados afirmaram ser importante residir em um imóvel que possua reservatório de água da chuva (70%) ou bioarquitetura (67%). Enquanto isso, 65% espera sistemas de aproveitamento de água e 63% busca energia renovável limpa.

Publicidade

“Olhar para tecnologia e questões ambientais é um caminho sem volta. É algo que já havia começado antes da pandemia, e vai continuar”, diz Danilo. 

Hoje a pesquisa mostra esse comecinho de saída de pandemia. Essas tendências não têm muita volta. Elas vêm desde a pré-pandemia, passam pela pandemia. Olhar para a tecnologia e questões ambientais continuam. 

NEWSLETTER
IMÓVEIS

Inscreva-se e receba notícias atualizadas do mercado de imóveis

Notícias relacionadas

Imagem destacada

MRV aposta em diversificação para manter crescimento após ano de recordes

3 minutos de leitura
Imagem destacada

Construtoras dão descontos, televisão e até documentação de graça na Black Friday

5 minutos de leitura
Imagem destacada

Pode ou não pode decorar as ruas para a Copa do Mundo em São Paulo?

3 minutos de leitura
Imagem destacada

Investimento em imóveis de temporada é um bom negócio?

2 minutos de leitura