A lista parece infinita e burocrática. Documentos e demonstrações indispensáveis se tornam um martírio para quem está com pressa para alugar um imóvel. Além disso, se não for rápido, corre-se o risco de perder a oportunidade do negócio. Pensando nisso, consultamos a CEO do aplicativo Homer, Livia Rigueiral, e organizamos aqui tudo o que você precisa ter em mãos na hora de alugar um imóvel.

Assine nossa newsletter e receba por e-mail as principais notícias e dicas.
Fique tranquilo, não enviamos SPAM.
Quero me cadastrar para receber informações relevantes por e-mail. Fique tranquilo, não fazemos SPAM.
“Estes documentos devem ser apresentados e analisados a fim de garantir a segurança para as duas pontas da negociação: o locatário e o locador. Eles também são uma forma de comprovar que o inquilino tem condições de arcar com as despesas do aluguel”, afirma Livia. Toda a papelada varia de acordo com a circunstância: se a locação será para uma pessoa física ou jurídica e como fazer a comprovação de renda.

Confira abaixo:

Locação para pessoa física:

  • RG e CPF;
  • Comprovante de rendimento superior a 03 vezes o valor do aluguel líquido;
  • Comprovante de residência;
  • Declaração de Imposto de Renda completa;
  • Os três últimos recibos de pagamento, se estiver pagando aluguel;
  • Ficha cadastral preenchida e assinada;

Locação para pessoa jurídica:

  • Contrato social e todas as alterações contratuais da empresa;
  • Cartão do CNPJ;
  • Último balanço e balancete (assinado e carimbado pelo contador com o número de CRC);
  • Ficha de inscrição Estadual ou Municipal;
  • Última declaração de imposto de renda da empresa;
  • Comprovantes de propriedades da empresa (se possuir);
  • Comprovante de endereço da empresa;
  • Ficha cadastral detalhada com referência da empresa;
  • RG e CPF
  • Comprovante de residência dos titulares da empresa;

Vale ressaltar que alguns imóveis têm especificidades para a locação e, por isso, requisitam fiador ou diferentes formas de comprovar renda.

Fiador para pessoa física:

  • RG e CPF;
  • Comprovante de rendimento superior a 4 vezes o valor do aluguel líquido;
  • Comprovante de residência;
  • Registro de Imóveis, matrícula atualizada dos últimos 30 dias;
  • Declaração de Imposto de Renda completa;
  • Se estiver pagando aluguel, os três últimos recibos de pagamento;
  • Ficha cadastral preenchida e assinada;

Outras formas de comprovação de renda:

Assalariados:

  • Três últimos contracheques;
  • Fotocópia da carteira de trabalho (folhas de qualificação, foto e dados do contrato de trabalho);
  • Declaração de Imposto de Renda completa.

Autônomos ou profissionais liberais:

  • Declaração de Imposto de Renda completa;
  • Declaração de rendimentos atuais (DECORE), assinada pelo contador com o número do CRC;
  • Contratos particulares de prestação de serviços.

Comerciantes ou Industriais:

  • Contrato Social e última alteração da empresa em que é sócio, proprietário ou administrador;
  • Cartão do CNPJ;
  • Declaração de Imposto de Renda completa;
  • Declaração de rendimentos atuais (DECORE), assinada pelo contador com o número do CRC.

Aposentado ou pensionista:

  • Comprovante de recebimento de aposentadoria ou pensão;
  • Declaração de Imposto de Renda completa;

Taxistas e trabalhadores da economia informal:

  • Declaração do sindicato da classe;
  • Certificado de registro do veículo (no caso de taxista e motoristas profissionais);
  • Cadastro da URBS;
  • Declaração de Imposto de Renda completa.

Lívia ainda enfatiza que toda negociação deve ser intermediada por um profissional devidamente cadastrado junto ao Creci, que é o órgão responsável por regular a atividade dos corretores.